IBGE registra em março de 2011 menor desemprego para o mês desde 2002

IBGE registra em março de 2011 menor desemprego para o mês desde 2002.
IBGE registra em março de 2011 menor desemprego para o mês desde 2002.
IBGE registra em março de 2011 menor desemprego para o mês desde 2002.
IBGE registra em março de 2011 menor desemprego para o mês desde 2002.

O desemprego no Brasil foi de 6,5% em março de 2011, menor taxa registrada para este mês desde o início da série histórica, em 2002, segundo informou nesta terça-feira o IBGE.

O índice ficou estável em relação a fevereiro, quando foi de 6,4%, e recuou 1,1 ponto percentual na comparação com março de 2010 (7,6%).

De acordo com o IBGE, a população desocupada não teve variação em relação a fevereiro, ficando em 1,5 milhão de pessoas. Em relação a março do ano passado, ela teve queda de 14%, com menos 250 mil pessoas à procura de trabalho.

A população ocupada em março (22,3 milhões) também ficou estável em relação a fevereiro, e cresceu 2,4% quando comparada com março de 2010, com 531 mil ocupados a mais.

Já o número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado ficou estável na análise mensal, ficando em 10,7 milhões.

Este número, na comparação com o mesmo mês de 2010, representa um aumento de 7,4%, ou 739 mil postos de trabalho a mais.

A região metropolitana com maior variação mensal na taxa de desocupação foi Belo Horizonte, que passou de 6,3% em fevereiro para 5,3% em março.

Na comparação com março de 2010, foram registradas quedas em Belo Horizonte (1,0 ponto percentual), Rio de Janeiro (1,5 ponto percentual), São Paulo (1,3 ponto percentual) e Porto Alegre (0,9 ponto percentual).

Postos de trabalho gerados

Ao mesmo tempo, o volume de empregos formais gerados em março foi o menor do último trimestre, informou na tarde desta terça-feira o Ministério do Trabalho.

Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), foram criados 92,6 mil postos de trabalho formais no mês passado, contra 280,7 mil em fevereiro e 152 mil em janeiro.

“O comportamento modesto em relação aos dois meses anteriores pode ser justificado, em parte, pela antecipação de contratações realizadas pelos estabelecimentos em fevereiro e pela redução do número de dias úteis em março, devido ao Carnaval”, informou comunicado do ministério.

Para o ministro da pasta, Carlos Lupi, o ritmo menor não é decorrente de uma possível desaceleração da economia. “O mercado de trabalho está muito ligado ao mercado interno, e não vejo nesses dois demonstrações claras de desaquecimento. Pelo contrário.”

No trimestre passado, no total, mais de 500 mil empregos foram criados no país.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 106708 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]