Feira de Santana: deputado federal Fernando Torres diz não ser candidato a prefeito em 2012 e acusa DEM de querer manter seus filiados na base da chantagem

Fernando Dantas Torres.
Fernando Dantas Torres.
Fernando Torres é entrevistado por Joilton Freitas.
Fernando Torres é entrevistado por Joilton Freitas.

Durante participação em entrevista realizada hoje à tarde (14/04/2011) pelo programa Rotativo News, Rádio Sociedade de Feira de Santana, sob o comando do comunicador Joilton Freitas, o deputado federal Fernando Torres (DEM), externou a sua insatisfação com o seu partido em especial com os seus dirigentes, tendo como alegação o fato deles não dispensar a atenção e nem ouvir os seus liderados. Na oportunidade cita como exemplo, o caso do prefeito Tarcízio Pimenta, que vem tendo os mesmos problemas de relacionamento com as lideranças do partido.

Ao ser questionado sobre a possibilidade do prefeito Tarcízio Pimenta deixar o DEM, Fernando Torres, ao que parece já está de mala e cuia pronta para mais uma vez trocar de legenda partidária e ingressar para hostes do PSD (Partido Social Democrático). Ele disse que as portas estão abertas para o prefeito e até mesmo para o ex-prefeito José Ronaldo, se este for o seu desejo.
Na condição de líder da legenda na Câmara ACM Neto ameaça através da executiva do partido, na próxima segunda-feira, entrar com uma ação contra os possíveis dissidentes com punição por infidelidade partidária. Torres disse que migrar para um novo partido como no caso do PSD, esta regra não se aplica. “ O  que o DEM quer é manter seus filiados na base da chantagem”, garante.
Prefeito
O deputado Fernando Torres ao ser indagado sob a possibilidade de se candidatar a prefeito de Feira de Santana, em 2012, descartou a ideia e disse que pode adiar os seus anseios no tocante a este aspecto, mas não escondeu o desejo de em um futuro próximo disputar uma vaga para o executivo feirense.
Com relação à crise política, que não se caracteriza como nenhuma surpresa para ninguém, existente entre o prefeito Tarcízio Pimenta e o seu padrinho político o ex- prefeito José Ronaldo. O deputado foi diplomático ao afirmar que não se envolve com a administração de Pimenta e se considera apenas como amigo e aliado político. E arremata, “enquanto estiver vinculado ao DEM vou lutar para unir os dois”.
Quanto a postura que deverá adotar na eleição para prefeito em 2012, o deputado não respondeu de forma direta, mas deixou claro que deverá endossar o seu apoio ao prefeito Tarcízio Pimenta, ao declarar que José Ronaldo foi um bom prefeito, mas fez a seguinte ressalva: Pimenta merece governar por 8 anos.
No tocante ao fato de que a possível mudança de partido poderia ser uma forma encontrada por Torres de se aproximar mais uma vez, do governador Jaques Wagner. O parlamentar garante não ter nada pessoal contra o governador Wagner, “o que eu tenho criticado sempre é o sistema de segurança pública na Bahia”, esclarece.
Sobre Carlos Augusto 9707 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).