O mercado editorial baiano contará com uma novidade a partir deste mês: a revista Boca de Cena

O mercado editorial baiano contará com uma novidade a partir deste mês: a revista Boca de Cena.
O mercado editorial baiano contará com uma novidade a partir deste mês: a revista Boca de Cena.
Artes cênicas em revista, Universo teatral ganha revista Boca de Cena. A publicação baiana conta com participação de pesquisadores internacionais como o italiano Eugenio Barba e a americana Beatriz Rizk.
Artes cênicas em revista, Universo teatral ganha revista Boca de Cena. A publicação baiana conta com participação de pesquisadores internacionais como o italiano Eugenio Barba e a americana Beatriz Rizk.

O mercado editorial baiano contará com uma novidade a partir deste mês: a revista Boca de Cena – Revista de Artes Cênicas da Bahia. Organizada pelos diretores teatrais Luis Alberto Alonso e Paulo Atto, a publicação conta com mais de dez colaboradores, nacionais e internacionais, e aborda temas relacionados à crítica do universo teatral. O coquetel de lançamento será realizado no próximo dia 12 de abril, a partir das 19 horas, no Teatro Eva Herz, localizado na Livraria Cultura, no Salvador Shopping. A primeira edição da revista tem 168 páginas.

Boca de Cena é uma publicação associada ao Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia (Filte Bahia) e direcionada a pesquisadores, estudantes, docentes, grupos e profissionais do teatro. O objetivo é estimular o pensar crítico a partir dos aspectos teóricos, dos diferentes espaços e vertentes de investigação e pesquisa na área. “Pretendemos incentivar a cobrir um vazio que existe na área de crítica teatral. Motivar o exercício da crítica é uma das características dessa nossa publicação. Também oferecemos um produto de caráter historiográfico, que pretende manter viva a memória de diversos processos de criação teatral”, avalia Luis Alberto Alonso.

Alonso conta que a revista surgiu a partir dos resultados da trajetória do Filte, que teve sua terceira e bem sucedida edição em 2010, como um recurso sobre as obras cênicas e sua encenação. Ele acredita que Boca de Cena transitará por dois caminhos convergentes. “Um deles envolve o diálogo, a discussão e o debate. O outro é o caminho do registro dos processos de trabalho e pesquisa teatral”, avalia.

Com o lançamento do primeiro número da revista, o Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia pretende dar continuidade ao desenvolvimento de novas formas de pensar e discutir o teatro além das fronteiras da representação, fomentando um diálogo necessário entre criadores, pensadores e pesquisadores das artes cênicas. Para isso, boa parte da segunda edição da publicação será dedicada ao teatro baiano, com a participação efetiva de colaboradores locais.

Pesquisadores nacionais e internacionais

Para compor a primeira edição da Boca de Cena, os organizadores convidaram pesquisadores nacionais e internacionais. Em destaque os trabalhos do diretor e fundador do Odin Teatret, o italiano Eugenio Barba; da baiana Cleise Mendes, membro da Academia de Letras da Bahia e do Conselho de Cultura do Estado da Bahia; da professora, crítica, promotora e pesquisadora teatral americana Beatriz Rizk, do diretor teatral baiano, dramaturgo, jornalista e doutor em Artes Cênicas, Luiz Marfuz; além de Ângela Reis, que apresenta um ensaio sobre o livro Cassandra, de Christa Wolf, e da atriz e pesquisadora do Lume Teatro (SP), Ana Cristina Colla.

A revista está estruturada em quatro blocos: Critica Teatral, Trabalho de Grupo, Intervenções e Dramaturgia. No primeiro, intitulado Crítica Teatral, o leitor é levado a pensar a crítica em função da prática, dos resultados artísticos. Os artigos selecionados são resultados dos encontros do Círculo Internacional Itinerante de Crítica Teatral, que ocorreu em 2008, em Buenos Aires, como proposta da editora Tablas-Alarcos (Cuba). A ideia foi somada a outras intervenções sobre crítica teatral que ocorreram nos últimos três anos do Festival Ibero-Americano de Teatro de Cádiz.

A revista também disponibiliza aos leitores no bloco Trabalho de grupo um vasto material documental sobre grupos de artes cênicas. O enfoque nesta primeira edição recai sobre os 40 anos do grupo Yuyachkani, homenageado durante o III Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia, em 2010. Entre os destaques, está o artigo Seguir a si mesmo. Carta a Yuyachkani pelos 40 anos, de Eugenio Barba.

O bloco Interações traz reflexões de pesquisadores como Luiz Marfuz, Jacyan Castilho, Angela Reis e Matias Maldonado. Já no último bloco, Dramaturgia, a criação da literatura dramática é apresentada em duas obras – uma delas já encenada no próprio Filte, Flores arrancadas à névoa, do diretor, pesquisador, ator e dramaturgo argentino-equatoriano Aristides Vargas, numa montagem de Albanta Teatro de Cádiz (Espanha). A outra, um processo de criação denominado “texto em processo”, reflete sobre O Farol de Alexandria, do dramaturgo, pesquisador e diretor teatral baiano Paulo Atto.

Boca de Cena, que terá periodicidade semestral e tiragem inicial de 500 exemplares, é uma produção independente com realização do Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia, Oco Teatro Laboratório, Carranca Produções Artísticas e Aude Produções Artísticas. A revista poderá ser adquirida na Livraria Cultura do Salvador Shopping, após o lançamento, a um preço de capa de R$ 5,00.

Sobre os organizadores

Luis Alberto Alonso

Formado pela Escola Nacional de Arte, Luis Alberto Alonso estudou no Instituto Superior de Arte de Havana (Cuba). Foi integrante do Teatro Buendia, uma das companhias teatrais cubanas mais importantes de America Latina e Caribe. Residente no Brasil desde 2003, fundou o grupo Oco Teatro Laboratório e criou o Filte Bahia e o Núcleo de Laboratórios Teatrais do Nordeste (Nortea). Integra a equipe de organizadores da Coleção Dramaturgia Latino­Americana e dirige a Coleção Teoria Teatral Latino­ Americana. É editor da revista Boca de Cena e possui artigos publicados e colabora com importantes revistas especializadas, a exemplo da Artex (Espanha). Participa como ator, diretor e palestrante de festivais ao redor do mundo (Dinamarca, Santo Domingo, Espanha, Itália, Áustria, Alemanha, Grécia, Peru, Equador e Estados Unidos). Tradutor de Literatura Dramática e do livro Cenários Liminares (Teatro, Performance e Política). É membro permanente do grupo internacional de pesquisa e pedagogia teatral Ponte dos Ventos (Vindenes Bro), dedicado à investigação e trabalho do ator, dirigido por Iben Nagel Rasmussen, atriz fundadora do Odin Teatret.

Paulo Atto

Paulo Atto é dramaturgo, diretor teatral e produtor cultural. Com mais de 25 anos de atuação, possui formação em Química, Filosofia e Teatro. Participou de programas sobre interpretação e artes cênicas na Alemanha, Rússia, Espanha, Dinamarca e Portugal. Dirige a Cia de Teatro Avatar desde 1987 e, em 2003, associou-se a outros artistas para a criação do Centro Internacional Avatar de Artes (Ciacen) – instituição especializada em projetos e programas de desenvolvimento sócio-cultural através da arte – sendo diretor-presidente por seis anos. Dirigiu espetáculos no Brasil e exterior e possui vasta experiência em comunicação e cultura, realizando oficinas e apresentado espetáculos em países como Colômbia, Espanha, Venezuela, México, Rússia, Estados Unidos, Equador, Cuba, Suíça, Itália e Canadá. Participou de diversos festivais internacionais representando o Brasil com espetáculos como Kaô e A Terra de Caliban. É autor dos textos Diosas Del Olvido, A Confissão e Kaô, entre outros.

Serviço

O que: Lançamento da revista Boca de Cena
Quando: 12 de abril, às 19 horas
Onde: Teatro Eva Herz, localizado na Livraria Cultura, no Salvador Shopping
Site: www.revistabocadecena.com.br

O mercado editorial baiano contará com uma novidade a partir deste mês: a revista Boca de Cena.
O mercado editorial baiano contará com uma novidade a partir deste mês: a revista Boca de Cena.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110917 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]