O deputado federal Fábio Souto quer mais transparência no uso do dinheiro público através dos portais na Internet

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Projeto torna obrigatória criação de portais na internet com divulgação dos gastos de órgãos do Governo Federal

Mais respeito ao contribuinte brasileiro e maior clareza na aplicação dos recursos públicos. É o que espera alcançar o deputado Fábio Souto (DEM/BA) com o Projeto de Lei de sua autoria apresentado à Mesa Diretora da Câmara Federal esta semana. Aproveitando o alcance da internet na sociedade atual e estimulando o dever fiscalizador do cidadão, o parlamentar quer tornar obrigatório que cada órgão da administração pública federal disponha de um portal de transparência na rede mundial de computadores. Os sites servirão para divulgação de todos os gastos e repasses de cada pasta.

Alguns governos estaduais e órgãos da União já criaram portais para o controle popular dos gastos públicos. O objetivo de Souto é tornar essa medida ainda mais abrangente, já que ela se mostra muito positiva. “Com a progressiva massificação da internet, a melhor forma de controlar os gastos do governo se dá por meio desses sites. O controle social tem sido largamente utilizado em todo o mundo e alcança resultados muito mais expressivos que as formas tradicionais. Soma-se a este fato a velocidade com que os cidadãos e a mídia tomam conhecimento de eventuais desperdícios ou mau uso dos recursos. O brasileiro terá à disposição mais um meio de fiscalização e cobrança em busca de uma política limpa e justa”, argumenta.

Para o deputado, os diversos instrumentos de controle dos gastos públicos, desde as instâncias do Poder Legislativo até os tribunais de contas, não tem sido eficientes. “Constantemente vemos matérias na mídia sobre escândalos envolvendo aplicações indevidas do dinheiro do contribuinte. Precisamos coibir ações incorretas e ilícitas. Infelizmente, a descoberta tardia de atos de corrupção e a tentativa de punição dos responsáveis não têm obtido sucesso no Brasil. O controle popular do uso da verba pública pode ser muito eficaz”, ressalta.

Exemplo para os Estados

Souto acredita que a iniciativa vai contribuir para o aperfeiçoamento da gestão pública em todas as esferas. Governos estaduais e municipais, no entanto, não serão obrigados a criar tais portais com essa Lei. “Esperamos que o exemplo da Câmara Federal possa ser seguido pelas assembleias estaduais e câmaras de vereadores de todo o Brasil e que esses criem legislações semelhantes. Não cabe ao Congresso Nacional alcançar todas as esferas de Poder da República”, justifica.

O Projeto de Souto traça a diretriz básica da obrigatoriedade da presença na internet do portal de transparência de cada órgão público, mas deixa a regulamentação dos detalhes de apresentação para cada Poder. Dessa forma, cada peculiaridade pode ser mais bem divulgada aos cidadãos.

Câmara Federal busca soluções para combater o crack e Fábio Souto vai integrar Comissão Especial de enfrentamento à droga

A luta do Brasil contra o crack ganha cada vez mais força no Congresso Nacional. A Câmara dos Deputados vai instalar uma Comissão Especial destinada a promover estudos e proposições de políticas públicas e também de projetos de lei com o intuito de combater e prevenir os efeitos dessa e de outras drogas ilícitas na sociedade. Preocupado com o tema, o deputado Fábio Souto (DEM/BA) vai integrar o colegiado, que deve iniciar os trabalhos em abril.

O principal objetivo desse grupo de parlamentares, segundo Souto, é analisar as implicações do uso do crack e buscar soluções tanto para coibir o tráfico da droga, como para distanciar os jovens do interesse pelo consumo e também para ressocializar quem é ou já foi dependente. “O assunto é muito pertinente e preocupante, envolve todo o país. Precisamos nos debruçar sobre a questão e encontrar uma saída. O crescente consumo da droga tem dizimado adolescentes, famílias, uma geração inteira. Implica problemas de saúde e de segurança pública. Queremos sincronizar os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário para realizar ações de combate ao crack, formulando novas ideias para permitir que os governos Estaduais e Municipais possam criar e aplicar mecanismos de prevenção e de tratamento dessa verdadeira epidemia da droga”, explicou.

A realidade do uso do crack no Brasil preocupa as autoridades, mas os dados ainda são muito imprecisos. A Comissão Especial da Câmara terá como base para o trabalho uma pesquisa, em fase de finalização, desenvolvida pela Fundação Oswaldo Cruz e pela Universidade Norte-Americana de Princeton. O estudo pretende fazer um mapa do consumo da droga no país e deve ser apresentado já no próximo mês.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115091 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.