Kassab se desliga de comissões do DEM, mas não pede desfiliação e Alckmin diz que força do PSD dependerá de bancada e governos eleitos

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Kassab se desliga de comissões do DEM, mas não pede desfiliação

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, enviou hoje (21/03/2011) ao presidente do DEM, José Agripino Maia, carta pedindo seu desligamento dos cargos de presidente da Comissão Provisória do Estado de São Paulo e da Comissão Executiva do Município de São Paulo.

À frente dessas comissões, o prefeito da capital paulista atuava como interventor provisório nos diretórios municipal e estadual do partido. Com o seu desligamento, Alfredo Cotait Neto deverá assumir as funções.

Apesar do afastamento das presidências dessas comissões, Kassab ainda não se desfiliou do DEM. Para isso, ele precisará enviar uma carta explicitando o desejo de deixar de fazer parte do partido. Hoje, Agripino Maia disse que aguarda a carta de desfiliação do prefeito, conforme prometido por ele.

Enquanto isso, o presidente nacional do DEM diz que o partido deverá definir novos nomes para as comissões provisórias em São Paulo. “A Executiva do partido nomeará uma nova comissão provisória estadual que fará intervenção no diretório municipal”, disse Agripino.

Mesmo que o prefeito ainda estando filiado ao partido, Agripino também já falou sobre a sua saída. “É claro que é ruim perder qualquer quadro, ainda mais quando se trata do prefeito de São Paulo. Mas isso é letal para o partido? Longe disso.”

Kassab anunciou recentemente a criação do Partido Social Democrático (PSD), para onde deverá ir quando sair do DEM. Com a criação do novo partido, o prefeito paulista não corre o risco de ter seu mandato requisitado pelo DEM na Justiça. Mas, se sair da sigla e ficar sem partido por algum tempo, Kassab pode ter o mandato constestado.

Alckmin diz que força do PSD dependerá de bancada e governos eleitos

O governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), voltou a falar sobre a criação do Partido Social Democrático (PSD), que foi lançado oficialmente no início da tarde de hoje (21) pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Alckmin disse que a criação da nova legenda faz parte do “processo democrático” e que não trará problemas para a administração estadual.

“Eu não vejo nenhum problema nessa mudança. As pessoas têm o direito de criar partidos, defender aquilo em que acreditam. Acho que é do processo democrático”, disse.

Para o governador, ainda é cedo para analisar o impacto que o novo partido provocará nacionalmente. Segundo Alckmin, o número de parlamentares e de governos eleitos é que definirão a força da nova sigla. “O Brasil já tem mais de 30 partidos políticos. Isso terá expressão se for um grande partido. É difícil, neste momento, você avaliar o impacto sobre o ponto de vista nacional. [O PSD] Terá influência, mas o tamanho dessa influência depende muito da sua força, da sua presença parlamentar, de governos”, disse.

Alckmin considerou ainda que a aliança que o PSDB tem com o DEM não será prejudicada com criação da nova sigla. O vice-governador do estado, Afif Domingos, que já formalizou a saída dele do DEM e manifestou hoje a intenção de migrar para o novo partido.

“Eu não sei ainda quantos deputados deverão ficar no DEM, mas acho que ele elegeu oito deputados estaduais. Talvez fiquem sete deputados. É um partido importante, tem a quarta maior bancada na Assembleia Legislativa [de São Paulo]. Vamos continuar juntos, trabalhando em benefício da população”.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, oficializou hoje a saída dele do DEM e a criação do Partido Social Democrático (PSD). Na cerimônia, na Assembleia Legislativa de São Paulo, deputados federais, estaduais e prefeitos assinaram documento manifestando apoio e intenção de migrar para o novo partido. Entre eles estão, além do vice-governador, o ex-governador Cláudio Lembo, o prefeito de Itu, Herculano Passos, os deputados federais Joji Hato, Guilherme Campos, Walter Ihoshi, Zulaiê Cobra, Eleuses Paiva e Marcelo Aguiar e a deputada estadual Rita Passos.

*Com informação da Agência Brasil

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113534 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]