Influência do Brasil no mundo: só não vê quem não quer | Por Josias Gomes

Muita gente inconformada ainda haverá de questionar os novos números sobre a influência que o Brasil exerce sobre as Nações de todo o mundo. É uma gente insatisfeita ou por conta de miopia política ou de elevado conservadorismo ou por preconceito contra a sua própria gente ou radicalismo político ou tudo isto junto. Trata-se da mesma turma que não se conforma, mas, de jeito algum, com as mudanças pelas quais o Brasil vem passando, em sua ampla maioria, de caráter progressista, com viés igualitário.

Os novos números sobre a influência do Brasil entre os povos de outros países, para começo de conversa, foram levantados pela BBC de Londres, através de seu Serviço Mundial, envolvendo 27 países. De acordo com a sondagem, as opiniões positivas sobre a influência do Brasil no concerto das Nações alcançaram o maior aumento entre os 27 países, com o índice passando de 40% para 49%. Enquanto isto, as visões negativas caíram três pontos percentuais, ficando em torno dos 20%, com larga vantagem, assim, para as opiniões positivas.

A pesquisa revela ainda que a imagem do Brasil ao redor do mundo ganhou mais clareza no último ano: o número de entrevistados não dispostos a avaliar a influência do país caiu seis pontos percentuais em relação à pesquisa anterior. O levantamento, coordenado pelo instituto de pesquisas GlobeScan e pelo Programa de Atitudes em Política Internacional (Pipa, na sigla em inglês) da Universidade de Maryland (Estados Unidos), foi feito entre dezembro de 2010 e fevereiro de 2011 com 28.619 pessoas, que opinaram sobre a influência de 16 países e da União Européia.

Está cada vez mais claro que o Brasil mudou, e mudou para melhor, nos últimos anos, período que coincide com o governo Lula e início do governo Dilma. Porém, independente desse fato cristalino, é obrigação de todo brasileiro, especialmente os que fazem opinião, de contribuir para a elevação da auto-estima do nosso povo, que, por séculos, manteve-se em níveis muito baixos. Não é possível ignorar que o Brasil subiu sua cotação no contexto econômico internacional, e já é a sétima economia do mundo, conforme os últimos números de crescimento do PIB nacional.

Também não é mais concebível que alguém de bom senso negue-se a reconhecer o constante aperfeiçoamento de nossas instituições democráticas. A influência crescente do Brasil nos organismos internacionais somente não vê quem não deseja fazê-lo. Enfim, é inadmissível que, devido a miopia política, alguns continuem se negando a enxergar o aumento do poder aquisitivo do povo brasileiro, que nos fez atravessar uma crise econômica mundial poderosa, acompanhado, este crescente poder aquisitivo, de uma queda progressiva das desigualdades entre os indivíduos e entre as regiões do país.

Às oposições radicalizadas contra o governo é de se recomendar bom senso. Se todos nós, que militamos na política, fizermos a nossa parte, principalmente nos mantendo nos limites recomendáveis do equilíbrio analítico, capazes, por isso, de reconhecer os avanços obtidos pelo país, tal atitude somente nos engrandeceria. No entanto, engrandeceria, ainda mais, o país, que necessita do esforço de todos para que continue crescendo, sempre, como efetivamente vem acontecendo.

Alegra-nos, entretanto, uma compensação à ausência dessa saudável perspicácia na turma do contra, que, felizmente, é minoria: a afirmação da maioria, através do voto, que, no último pleito, deixou clara sua aprovação a tudo o que de bom vem ocorrendo em favor do Brasil de todos nós.

Leia +

O esforço de Jacques Wagner pelo desenvolvimento da Bahia | Por Josias Gomes

Dilma: cortes, combate à inflação, e compromisso com fim das desigualdades | Por Josias Gomes

*Por Por Josias Gomes

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]

Be the first to comment on "Influência do Brasil no mundo: só não vê quem não quer | Por Josias Gomes"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*