Em Salvador, IPAC reinicia Conversando sobre Patrimônio

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Arquitetos, engenheiros, historiadores, sociólogos, antropólogos, educadores e profissionais de outras áreas do conhecimento estão se reunindo, mensalmente e até final deste ano (2011), no auditório do Centro Cultural Solar Ferrão, no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador. O objetivo é aprofundar e discutir questões acerca de intervenções que visam a salvaguarda dos patrimônios culturais baianos, sejam eles, materiais ou imateriais.

Trata-se do projeto Conversando sobre Patrimônio, criado e mantido pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), autarquia da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA) responsável pela política pública de preservação e difusão dos bens culturais baianos. Cerca de 40 técnicos estaduais participam de cada encontro.

A duas primeiras reuniões contaram com a presença do secretário estadual de Cultura, Albino Rubim. “Esses seminários são da maior importância já que a secretaria e seu corpo técnico devem ser capazes de desenvolver reflexões críticas acerca das suas responsabilidades e dos trabalhos que desenvolvem”, diz Rubim. O secretário alerta que um dos desafios é atender as demandas dos patrimônios culturais na realidade da complexidade contemporânea. “Com essas análises, reflexões e busca de soluções conseguimos resultados mais efetivos para a salvaguarda dos bens culturais”, comenta.

“A idéia é proporcionar troca de experiências e discutir ações futuras ou que já estejam acontecendo em algum dos 417 municípios baianos sob a responsabilidade do IPAC”, informa a chefe de gabinete da instituição, Lícia Cardoso. O projeto foi iniciado desde 2007, mas é interrompido durante períodos de feriados, carnaval, São João, Natal e festividades de final de ano.

Nessa retomada em 2011, já foram discutidos estudos sobre a poligonal do tombamento estadual da Soledade, em Salvador, durante duas reuniões. As próximas temáticas serão os Circuitos Arqueológicos da Chapada Diamantina, o Guia de Arquitetura e da Paisagem de Salvador e do Recôncavo, e a Reformulação da lei estadual de Patrimônio.

Salvaguarda de terreiros de candomblé, patrimônio imaterial e festas populares e preservação de sítios urbanos, também serão discutidos. “Pretendemos conhecer, igualmente, experiências bem-sucedidas de outros estados brasileiros, como o ICMS cultural de Minas Gerais que já tem cerca de 20 anos implantado”, completa Lícia Cardoso

Algumas dessas ações discutidas integram o convênio de cooperação técnica entre IPAC e Universidade Federal da Bahia (Ufba). Os Circuitos Arqueológicos foram realizados em parceria com o Departamento de Arqueologia da Ufba que contou, ainda, com aporte de recursos dos Editais do IPAC. Já os estudos sobre a Soledade foram realizados com a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. “É fundamental que técnicos estaduais troquem know how, metodologias e dados com pesquisadores universitários, proporcionando melhoria efetiva das políticas públicas”, finaliza a chefe de gabinete do IPAC.

Os estudos da Soledade foram apresentados pelo professor Luiz Antônio Cardoso do Mestrado Profissional em Conservação e Restauração de Monumentos e Núcleos Históricos da Ufba. “Essa iniciativa abre interlocução entre a academia e a sociedade, reduzindo a distância entre o que se discute em um vetor e o que se faz no outro”, afirma Cardoso. Outras informações sobre ações do IPAC são disponibilizadas no site www.ipac.ba.gov.br.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108855 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]