Três vereadores avaliaram discurso do prefeito Tarcizío Pimenta, durante abertura dos trabalhos da Câmara Municipal de Feira de Santana

Ribeiro e Tourinho, opiniões díspar sobre a administração e discurso do prefeito Roberto Tourinho.
Ribeiro e Tourinho, opiniões díspar sobre a administração e discurso do prefeito Roberto Tourinho.

Com exclusividade o JGB entrevistou, durante a solenidade de abertura do legislativo feirense 2011, três vereadores de Feira de Santana. Enquanto Antônio Francisco Neto (Ribeiro, DEM) e José Sebastião (Bastinho, PRTB) avaliam positivamente e destacam as ações sociais do governo de Pimenta. O vereador da oposição, Roberto Tourinho (PSB), declara que a prefeitura de Feira cai no descrédito financeiro e ninguém sabe afirma qual o montante e a origem real da dívida do município.

Confira entrevistas

Entrevista com presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, Antônio Francisco Neto (Ribeiro) DEM

O presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, Antônio Francisco Neto (Ribeiro) DEM, presidiu, nesta manhã (15/02/2011), a primeira sessão do órgão e falou com exclusividade ao Jornal Grande Bahia (JGB) sobre as suas expectativas frente aos trabalhos na câmara e avaliou o discurso do prefeito Tarcízio Pimenta: “O prefeito trouxe um discurso mostrando as ações que ele já fez no poder executivo. Ele está de parabéns”.

JGB: Vereador Ribeiro quais as suas expectativas para esse ano frente à presidência da Câmara Municipal de Feira de Santana?

Ribeiro: A expectativa é muito boa. Compareceu a sociedade de Feira de Santana, os senhores vereadores e nós já estamos com várias proposições para a sessão de amanhã. O prefeito, também, trouxe projetos que foram pautados no setor legislativo e nós vamos trabalhar, vamos procurar administrar essa casa com transparência, com respeito aos senhores vereadores, com respeito aos senhores funcionários desta casa porque não sou presidente de mim mesmo, sou presidente de um poder e esse poder tem que ser enaltecido por esse vereador e pelos demais pares que existem nesta casa.

JGB: O senhor enquanto presidente da Câmara faz qual avaliação do balanço feito pelo prefeito Tarcízio Pimenta nesta manhã?

Ribeiro: Muito bom. O prefeito trouxe um discurso mostrando as ações que ele já fez no poder executivo. Ele está de parabéns. Isso foi 2010-2011 e nós esperamos que 2011-2012 cresça muito mais porque o prefeito é trabalhador, o prefeito age e está trabalhando. As ações são fortes e nós estamos aqui como vereador e presidente desse poder parabenizando o prefeito Tarcízio Pimenta.

Entrevista com o vereador José Sebastião (Bastinho) PRTB

JGB: Vereador José Sebastião (Bastinho) PRTB qual a sua avaliação do balanço administrativo feito pelo prefeito Tarcízio?

Bastinho: É um balanço positivo. O prefeito Tarcízio Pimenta em apenas dois anos fez muitas coisas pelo município de Feira de Santana. Infelizmente, têm cabeças de mentes curtas que querem avaliar o mandato do prefeito José Ronaldo de oito anos com apenas dois anos do prefeito Tarcízio Pimenta. Somos testemunhas dos atos do prefeito.

Foram mais de 80 ruas asfaltadas, mas de 50 escolas reformadas. Agora, recentemente, um presente grandioso, na minha concepção, para os estudantes municipais, em que cada um recebe o kit escolar completo, fato inédito no município de Feira de Santana e acredito eu que o prefeito tem feito a sua gestão direcionado para as pessoas humildes e simples, que mais precisam da administração municipal.

JGB: Vereador quais os projetos que você tem para o ano de 2011?

Bastinho: 2009-2010 trabalhamos voltados para vários projetos aqui na casa da cidadania. A exemplo, da volta gratuidade dos comissários de menores no transporte coletivo de Feira de Santana e inúmeros projetos já foram aprovados pela casa da cidadania, sendo eles idealizados por mim.

Em 2011 a gente já fica mais focado na reeleição, vamos fortalecer o nosso grupo político e vamos reivindicar mais obras para as comunidades que a gente representa, a exemplo, Queimadinha, George Américo, Campo Limpo e zona rural de Feira de Santana. Então, nesse ano de 2011 e 2012 vamos trabalhar mais focado na reeleição e contribuir com o prefeito Tarcízio Pimenta no que for necessário aqui na câmara.

Entrevista com Roberto Tourinho (PSB)

No primeiro dia de trabalho (15/02/2011) dos vereadores feirenses, na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Roberto Tourinho (PSB) fala com exclusividade ao Jornal Grande Bahia (JGB) sobre o balanço administrativo feito pelo prefeito Tarcízio, sobre os seus projetos no ano de 2011 e afirma que: “o que observamos em todos os setores da administração municipal é o seu processo de deterioração, putrefação”.

JGB: Vereador Roberto Tourinho qual a sua avaliação do balanço administrativo feito pelo prefeito Tarcízio Pimenta há pouco?

Roberto Tourinho (PSB): Na realidade eu não sei se dava risada ou se eu chorava das palavras do prefeito. O mais importante hoje em Feira de Santana, ele deixou de falar, que é o crescente aumento da dívida em Feira de Santana.

Comenta-se que a prefeitura hoje em Feira de Santana já deve mais de 50 milhões de reais. As licitações estão dando desertas. O jornal Tribuna Feirense publicou em uma de suas manchetes: Prefeitura de feira deixa de licitar por deserção dos interessados. As pessoas não estão mais acreditando e o fornecedor não comparece porque já começa a possibilidade de não receber pelo seu material.

As cooperativas médicas suspendem os seus serviços e os médicos entram em greve. Os fornecedores alegam que tem três, quatro meses que não recebem da prefeitura. Artistas que muitas vezes, se apresentam no São João, na Micareta, ocupam os meios de comunicação para cobrar as apresentações que realizaram meses atrás. Fornecedores de todo tipo de material administrativo estão suspendendo o fornecimento.

Então, o que estamos observando e que aí, sim, nos preocupa é a situação econômico-financeira real da Prefeitura Municipal de Feira de Santana. A prefeitura anunciou que tirou a gratificação de alguns servidores municipais porque outros continuam recebendo. A prefeitura instituiu este turnão que na prática não se tem visto muito sucesso. Ontem (14/02/2011) o PROCON de Feira de Santana estava com a água, luz e telefone cortados por falta de pagamento.

O que nós observamos é que a PMFS entra num processo de falência, entra num processo de descredito no município de Feira de Santana. Isto é que nos preocupa. Tirando as obras que o prefeito anunciou e, diga-se de passagem, boa parte delas foram de autorias governo do estado, muito pouco ou quase nada a prefeitura está anunciando, motivo pelo qual eu não sei se choro ou se ou dou risada após as malfadadas palavras do prefeito Tarcízio Pimenta.

JGB: Vereador Tourinho como o senhor reage a recente fala do prefeito José Ronaldo que diz não ter conhecimento desta dívida existente na PMFS?

Tourinho: Na realidade eu ouvi essa entrevista. Nós estamos inclusive apresentando um requerimento para que seja informado ao povo de Feira de Santana qual é o valor real da dívida do município de Feira. A origem desta dívida para que seja prestado os devidos esclarecimentos deste calote que a PMFS vem aplicando, hoje no comércio em Feira de Santana.

As pessoas não confiam mais, as pessoas não querem vender e a imagem do munícipio hoje é completamente desgastada. Isso mostra a inadimplência da PMFS, a fragilidade econômica e muito mais do que isto, nós preocupa porque é um saco sem fundo, o município vem, cada vez mais, se enterrando nas suas finanças o que pode comprometer sobremaneira administrações futuras. Então, esperamos que o prefeito Tarcízio faça com mais responsabilidade o término do seu mandato.

JGB: vereador Tourinho quais as suas expectativas e os seus projetos para 2011?

Tourinho: Eu, enquanto vereador, tenho cumprido com o nosso papel, inclusive, já estamos protocolando na casa inúmeros projetos de lei, temos nos preocupado muito com o sistema de ônibus coletivo da nossa cidade. Quanto a educação do município de Feira de Santana, tenho denunciado a situação de abandono das escolas da rede pública municipal, no ano passado mesmo, maconha estava sendo plantada em algumas escolas da rede pública municipal.

A prefeitura anuncia que a saúde é digital, mas o atendimento é analógico. Você chega nos postos de saúde e não tem médico, quando tem médico não tem medicamentos, são distribuídas senhas incompatíveis com a quantidade de pessoas que buscam o atendimento médico.

As pessoas continuam chegando de madrugada, as pessoas quando são atendidas por um médico, que é prescrito a realização de um exame elas esperam quatro a cinco meses para fazer os exames, assim muitos pacientes morrem com tamanha demora. Além de postos da rede pública municipal que distribuem remédios vencidos à população. Então, o que observamos em todos os setores da administração municipal é o seu processo de deterioração, putrefação.

Sobre Carlos Augusto 9717 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).