Carlos Geilson presta homenagem à professora Georgina Erismann, confira as notícias do PTN

Georgina Erismann

O deputado estadual Carlos Geilson (PTN), prestou hoje, homenagem à memória da compositora, declamadora, musicista, pianista, poetisa e professora Georgina de Mello Lima Erismann, autora do “Hino à Feira”, que faleceu há 71 anos, em 23 de fevereiro de 1940. “Filha de Camilo de Mello Lima e Leolinda Bacelar de Mello Lima, nasceu em Feira de Santana em 27 de janeiro de 1893. O pai dela colaborava com algumas crônicas publicadas nos jornais da cidade e era proprietário da Pensão Universal, hoje, Prédio do Mandacaru, na rua Conselheiro Franco, onde a família residia”, lembrou o parlamentar.

No conservatório de música, Georgina foi aluna do professor Silvio Deolindo Fróes. Com um desenvolvimento excepcional, ela resolve, juntamente com Zulmira Silvany e Georgina Silva Lima, fundar a Sociedade Auxiliadora do Conservatório de Música, onde ministraram aulas de piano e canto. “Foi pianista clássica elogiada pela imprensa carioca no período em que lá morou para aprimorar os estudos sobre música. De retorno à Feira de Santana, realizou várias apresentações lítero-musicais no Cine Teatro Santana, em benefício do Clube Coreográfico Dois de Julho, Asilo Nossa Senhora de Lourdes, Albergue Noturno, Igreja Senhor dos Passos. O Teatro Santana foi palco de várias exibições de Georgina Erismann, com a criação do programa lítero-musical, sempre apresentado às quartas-feiras, com a presença de ilustres de feira de santana”, disse Geilson.

O deputado, que fez a leitura do “Hino à Feira”, disse que Georgina Erismann sempre tocava ao piano na pensão do pai, despertando a atenção daqueles que se hospedara, sendo que, um desses viajantes era o engenheiro Walter Tudy Erismann, com quem veio se casar em 08 de setembro de 1926. Formada em Magistério, foi nomeada professora de música em 1927 para a Escola Normal Rural de Feira de Santana (Cuca), onde formou um coral composto de alunas, faz lançamento do hinário, e em 1928, apresenta o Hino à Feira, que é cantado pela primeira vez.

“A sua projeção fez com que, em agosto de 1936, fosse indicada pelo governador da Bahia, Juraci Magalhães, para representar oficialmente o Estado, na Grande Feira Artística, Industrial e Comercial, realizada em Campinas, São Paulo, em homenagem ao centenário de nascimento do maestro Carlos Gomes. De volta à Bahia, já em Feira de Santana, inaugurou a Escola de Música, anexa ao Instituto de Música da Bahia. Georgina, então, vai morar no Rio de Janeiro. Em 07 de fevereiro de 1940, publica a sua última obra intitulada de Solicitude. Dia 23 de fevereiro de 1940, georgina tem um mal súbito e morre em casa, onde o corpo é velado. O sepultamento ocorreu no dia 24, no Cemitério São João Batista, Rio de Janeiro”, narrou o parlamentar.

Carlos Geilson lembrou que, para homenagear a professora Georgina, em março de 1940, a Escola de Música de Feira de Santana, passou a denominar-se de Escola de Música Georgina Erismann. Existe uma rua com seu nome nas proximidades da estação rodoviária e uma escola de 1º grau no bairro Jardim Acácia. Na rua Santos Dumont, funcionava a Escola de Balé Georgina Erismann. Houve uma apresentação no Teatro do Cuca, no dia 07 de dezembro de 1999, em tributo a Georgina Erismann com concerto de cordas pela Orquestra Sinfônica da Bahia. “Para marcar o aniversário de morte dessa grande representante de Feira de Santana, haverá, na sexta-feira, através do Núcleo de Preservação da Memória Feirense, a Fundação Senhor dos Passos um ‘Tributo a Georgina Erismann, 71 anos sem ela’, no Centro Comunitário Ederval Fernandes Falcão. Faço esse registro para marcar a história, as personagens e suas tradições para reconhecimento de toda sociedade baiana e, sobretudo, feirense”, concluiu o parlamentar.

Luizinho Sobral pede recuperação de estradas vicinais em Irecê

O deputado estadual Luizinho Sobral (PTN) encaminhou hoje ao governador Jaques Wagner, indicação para que determine o asfaltamento das estradas vicinais que ligam o município de Irecê aos povoados de Meia Hora, Angical, Queimada do Floriano, Umbuzeiro, Itapicuru, Fazenda Nova, Queimada dos Rodrigues, Mocozeiro I e II, Lagoa Nova, Baixão de Zé Preto e Baixão dos Paraibanos, uma vez que a população necessita de acessos melhores para o escoamento da produção bem como acesso aos grandes centros.

“Não existem vias de acesso aos grandes centros saindo dos distritos, a não ser pelas estradas vicinais e a trafegabilidade desses acessos ficam comprometidos, principalmente na época das chuvas”, afirmou o parlamentar.“Os hortifrutigranjeiros produzidos nos distritos pelos projetos irrigados e não irrigados, representa a principal fonte de renda dos agricultores da região. O estímulo à geração de emprego e renda na região, necessita de uma estrutura viária adequada para acesso e escoamento de produtos e serviços produzidos. São centenas de famílias que serão beneficiadas”, enfatizou o deputado Luizinho Sobral.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108207 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]