Aleluia diz que secretário tenta esconder a verdade sobre escalada da violência na era Wagner ao falar de subnotificações

José Carlos Aleluia
José Carlos Aleluia

“O secretário estadual de comunicação, o engenheiro eletricista Robinson Almeida, quer enganar quem com essa conversa de subnotificação dos homicídios pelos governos anteriores para justificar o exponencial crescimento da criminalidade na Bahia durante o governo Wagner, apontado pelo Mapa da Violência 2011?”, questiona o presidente da Fundação Liberdade e Cidadania, José Carlos Aleluia.

 Segundo Aleluia, o secretário Almeida é flagrado vergonhosamente na mentira quando se faz um comparativo dos dados do Mapa da Violência ano a ano com os divulgados oficialmente no período pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), durante o último governo de Paulo Souto.
“Os números de assassinatos do Mapa da Violência de 2003 a 2006 são inferiores aos divulgados pela SSP na época. Aonde é que está a subnotificação?”, afirma o vice-presidente nacional do Democratas.
De acordo com o comparativo, em 2003, no Mapa da Violência constam 2.155 homicídios no estado, enquanto foram notificadas pela SSP 2.905 mortes violentas. Em 2004, a Secretaria de Segurança Pública registrou 2.929 assassinatos e o Mapa da Violência informa a ocorrência de 2.225. Em 2005, a SSP notificou 3.044 homicídios e o Mapa 2.825. Já, em 2006, foram registradas 3.278 mortes violentas pelo Mapa da Violência e 3.222 pela secretaria.
“Se não bastasse esse comparativo para desmascarar mais essa tentativa do governo Jaques Wagner de escamotear a verdade e transferir responsabilidades a terceiros, eu gostaria que fosse explicado, então, por que houve crescimento exponencial da violência no primeiro mandato petista, quando, em 2007, ocorreram 3.718 homicídios, e, em 2010, 4.856”, desafia Aleluia.
Para o ex-deputado federal, o governador Jaques Wagner precisa respeitar a inteligência do povo baiano. “O povo não é bobo. A escalada da violência na Bahia é constatada no dia-a-dia. Basta sair de casa, ligar o rádio, a televisão, ler jornal ou entrar na internet para saber que uma joalheria do Salvador Shopping foi assaltada, que a população de Valença fez um grande protesto esta semana contra a falta de segurança na cidade, que, nesta sexta-feira, dois bancos na cidade de Condeúba foram assaltados. Enfim, que a cada quatro horas uma pessoa é assassinada na Região Metropolitana de Salvador”.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115027 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.