Situação em Gaza continua difícil, apesar da entrada de mais alimentos

Jornal Grande Bahia compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.

Diretor da ONU nos territórios palestinos diz que relaxamento do bloqueio econômico à região não é suficiente e que indústria de construção deve ser reativada.

A vida dos palestinos da Faixa de Gaza continua sendo uma luta cotidiana, apesar do relaxamento no bloqueio econômico por parte de Israel, que permitiu a importação de bens de consumo.

Foi o que afirmou o coordenador das Nações Unidas para Assuntos Humanitários nos Territórios Palestinos, Maxwell Gaylard.

Variedade

Segundo ele, agora há mais variedade de produtos no mercado local, mas isso não garante o acesso da população a mantimentos básicos.

Isso porque só os mais abastados podem comprar os produtos.

Gaylard acrescentou que o que Gaza necessita, no momento, é reativar a indústria de construção e de restauração, além de desenvolver a indústria de exportação, o que que diminuiria o desemprego e a pobreza da população.

Operações

Mais de 75% da população da Faixa de Gaza dependem da assistência de ONGs para alimentação e moradia.

As palavras de Gaylard espelham as ditas pelo diretor de operações da agência das Nações Unidas para refugiados palestinos, Unrwa.

Para John Ging, apesar da diminuição do bloqueio econômico israelense, a situação econômica, humanitária e física dos moradores de Gaza continua difícil.

O bloqueio econônico de Israel começou em meados de 2007, em reação à tomada de controle da região pelo grupo islâmico Hamas.

Em junho deste ano, no entanto, autoridades israelenses relaxaram o boicote, mantendo apenas a proibição da entrada de materiais de construção como concreto e ferro.

*Com informações da Rádio ONU em Tel Aviv

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109741 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]