Discurso do diretor do CIS, José Mercês Neto, proferido durante as comemorações dos 40 anos de fundação da autarquia estadual

José Mercês de Oliveira Neto, advogado, diretor geral do Centro Industrial do Subaé (CIS).José Mercês de Oliveira Neto, advogado, diretor geral do Centro Industrial do Subaé (CIS).
José Mercês de Oliveira Neto, advogado, diretor geral do Centro Industrial do Subaé (CIS).

José Mercês de Oliveira Neto, advogado, diretor geral do Centro Industrial do Subaé (CIS).

Senhoras e senhores, industriais e diretores de indústrias; demais empresários; funcionários, ex-funcionários e ex-diretores do centro industrial do Subaé; autoridades aqui presentes,  boa noite!

Inicialmente, gostaria de agradecer a todos vocês que aqui estão prestigiando este evento tão importante para a história da nossa cidade.

Agradeço também a cada um dos ex-funcionários e atuais funcionários, efetivos ou não, bem como a todos ex-diretores do CIS por todo o esforço diário empreendido na construção e manutenção daquele centro. obviamente, sem vocês, o CIS não chegaria até aqui.

Como também não chegaria às quatro décadas de vida se não fosse o empenho dos industriais que para aqui trouxeram seus empreendimentos, seus anseios, seus sonhos, suas perspectivas, acreditando no potencial gigantesco da princesa do sertão. a vocês empresários e respectivos diretores, nosso muito obrigado.

Agora, nada disso seria possível também sem a sensibilidade de um visionário de um homem que tinha e tem a capacidade de antever os acontecimentos, de enxergar à frente do seu tempo: o ex-vereador, ex-deputado, ex-prefeito, ex-governador e atual senador da república Dr. João Durval Carneiro.

Ele que há 40 anos sentiu, diante das circunstâncias vivenciadas à época, a necessidade de se gerar riqueza e emprego neste município e no seu entorno por mais de um espectro, ou seja, Feira de Santana, para este senhor, não poderia crescer e se desenvolver refém tão somente do comércio. Feira de Santana e demais cidades circunvizinhas necessitavam de expansão no setor de serviços e no setor industrial.

Nessa conjuntura é que foi instituído o centro industrial do Subaé pelo então prefeito João Durval no dia 14 de dezembro do ano de 1970.

Depois, em 1983, quando foi governador, e, segundo dizem, nesta ocasião passou a figurar como o melhor prefeito que esta cidade já teve, elevou o CIS à condição de autarquia estadual de fomento industrial, condição que se encontra até hoje.

De lá pra cá, tantas indústrias se instalaram aqui e permanecem até hoje.  Tantas e tantas pessoas vieram de tão longe, e implantaram seu empreendimento, fincaram residência e constituíram família na nossa terra e permanecem aqui até os dias atuais, como é o caso do amigo e pioneiro, o gaúcho Luiz Fernando Kunrath.

Ademais, são muitas as empresas feirenses, baianas e de vários estados do Brasil e até de outros países que aguardam a destinação de uma área sob a jurisdição do CIS para se instalarem. O que nos enche, por óbvio, de orgulho.

Temos a consciência de que como o segundo maior polo industrial do estado ainda temos que avançar bastante, reconhecendo, sempre, que muito já foi feito.

Feira de Santana e microrregião, e aqui me dirijo expressamente aos demais municípios sob a égide desta autarquia, quais sejam, São Gonçalo dos Campos, Conceição da Feira e conceição do Jacuípe, merecem destaque no cenário econômico regional.

Portanto, cada vez mais a política de incremento industrial do governo do estado da Bahia caminha em direção ao interior.  Sendo assim, observamos o desenvolvimento sustentável, com crescimento ordenado, de tantos outros núcleos industriais em todo o estado.

O CIS, atendo à melhoria de seu desempenho, vem celebrando parcerias com as principais instituições atinentes à questão industrial, como o dueto formado entre CIS e CIFS, a universidade estadual de feira de Santana, a própria SUDIC – nossa prima rica, e, claro, as prefeituras municipais de Feira de Santana, São Gonçalo, conceição da feira e conceição do Jacuípe. Todas essas cooperações tem como cerne principal a promoção do desenvolvimento desta região.

Nos últimos quatro anos deste governo, foram desapropriadas novas áreas em Feira de Santana e São Gonçalo, totalizando aproximadamente um milhão de metros quadrados, gerando a implantação de três novos núcleos industriais.

Não poderia deixar de mencionar que somente neste ano de 2010 é que a Pepsico tirou do papel o seu projeto para Feira de Santana. Projeto este que se encontrava engavetado há mais de seis anos e que agora já virou realidade ali na entrada do distrito de humildes. Junto com o projeto em curso, surgem tantos outros, tanto que a referida empresa já estuda aquisição de mais 200 mil metros quadrados na cidade para implantação de tantas outras plantas industriais.

Além disso, também neste ano de 2010 conseguimos avançar numa tarefa silenciosa, numa tarefa que não traz resultados palpáveis nem visíveis. Conseguimos reestruturar e readequar às exigências legais e constitucionais todo o iter procedimental do CIS.

Muitas vezes somos cobrados pelo número de empresas instaladas, com a preocupação de quantas estão vindo, sem a devida observância de como elas estão vindo. Com qual publicidade, com qual transparência o processo de atração daquele investimento se deu. e isso, senhoras e senhores, traz segurança jurídica não só para a gestão, mas, também, a todos aqueles com contratam com o CIS, a todos os administrados, que estão insertos neste contexto.

Assim, sabemos que somos carecedores de resposta imediata à sociedade, e esta resposta, sem sombra de dúvidas virá a partir de 2011. Tudo fruto do bom trabalho, organizado, ponderado, planejado, traçado e executado estrategicamente em 2010.

Sendo assim, convido-os para, juntos, darmos em 2011 um novo passo rumo às conquistas importantíssimas que, sem sombra de dúvidas, experimentaremos no ano vindouro.

Depois de falar da instituição, eu gostaria de fazer alguns agradecimentos pessoais.

Reiterar meu muito obrigado, sempre em primeiro lugar, à minha família, meu pai, minha mãe e minha irmã, pois, se hoje estou aqui, é na certeza de que tenho nela meus pilares bem sedimentados.

Aos empresários do setor, em especial aos que compõem a diretoria do CIFS e frequentam a reunião de diretoria, pessoas com quem tenho contato mensal, agradeço também por tudo que tenho aprendido ao longo deste ano. a presença de vocês é fundamental para solidificação das diretrizes da política de desenvolvimento industrial traçadas pelo CIS.

Meu muito obrigado também ao Luiz Gonzaga, chefe de gabinete da secretaria da indústria que sempre me tratou com toda elegância, respeitabilidade e cordialidade possíveis.

Meu muito obrigado ao Dr. James correia, secretário da indústria e comércio por toda confiança no nosso trabalho à frente do CIS. agradeço pela oportunidade de convivência e aprendizado constante.

E, claro, ao triunvirato formado pelo senador João Durval, pelo amigo Zé Chico, seu suplente, e pelo deputado federal Sérgio Carneiro, meu muito obrigado pela porta aberta e pela oportunidade concedida para que pudesse desempenhar este papel chave à frente da política de industrialização do governo de todos nós, do governador Jaques Wagner, aqui nos municípios de Feira de Santana, conceição da feira, Conceição do Jacuípe e são Gonçalo dos Campos.

Mais uma vez, agradeço a presença e desejo a todos um feliz natal e um 2011 repleto de novas realizações.

Feira de Santana, 15 de dezembro de 2010.

José Mercês de Oliveira Neto, advogado, diretor geral do Centro Industrial do Subaé (CIS).

Leia +

CIS completa 40 anos de fundação: José Mercês destaca os avanços conquistados, e garante que situação será mais favorável em 2011

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]