Embrapa participa de encontro sobre mandioca na Itália

Jornal Grande Bahia compromisso em informar.Jornal Grande Bahia compromisso em informar.

As principais instituições do mundo que trabalham com mandioca se reuniram de 2 a 4 de novembro em Bellagio, na Itália, para o Segundo Encontro Estratégico da Parceria Global em Mandioca para o Século 21. Assim como na primeira edição, há cerca de oito anos, a Embrapa marcou presença no fórum de discussão, sendo desta vez representada por Alberto Vilarinhos, chefe adjunto de Transferência de Tecnologia (TT) da Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, BA), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. “O objetivo era discutir os futuros da pesquisa com mandioca para os próximos 20 anos, focando no melhoramento clássico e molecular”, explicou.

Vilarinhos disse que a principal vantagem de um encontro dessa natureza — que reuniu 30 pessoas das mais diversas regiões do mundo, sendo 13 representantes de instituições relacionadas à pesquisa com mandioca — foi ter uma visão geral do que vem sendo realizado mundo afora. “Pude constatar que desenvolvemos basicamente as mesmas linhas de pesquisa. Estamos, portanto, no caminho certo”, avaliou. O produto dessa reunião, de acordo com ele, será um relatório com um panorama da situação da pesquisa com mandioca nos últimos anos e planos de ação para as duas próximas décadas. Todas as instituições participam da construção desse documento, cuja organização está a cargo dos três coordenadores do encontro: Joseph Tohme, do Centro Internacional de Agricultura Tropical (Ciat), Colombia; Eugene Terry, da TrasnFarm Africa, localizada nos Estados Unidos; e Alfred Dixon, do Instituto de Pesquisa em Agricultura de Serra Leoa.

As demais instituições que participaram foram: Organização Nacional de Pesquisa em Agricultura (Naro), Uganda; Universidade dos Andes, Colômbia; Centro de Ciências Vegetais Donald Danforth, Estados Unidos; Instituto Internacional de Agricultura Tropical (Iita), Quênia; Aliança para Revolução Verde na África (Agra), Quênia; Instituto Central de Pesquisa de Raízes e Plantas Tuberosas, Índia; Centro Nacional para Engenharia Genética e Biotecnologia (Biotec), Tailândia; Universidade do Arizona, Estados Unidos; e Centro de Ciências Vegetais Riken, Japão. “A organização também levou especialistas de instituições que não trabalham com mandioca, principalmente dos Estados Unidos, para falar, por exemplo, sobre o impacto das mudanças climáticas sobre a produção e sobre as doenças e pragas que atacam a mandioca”, contou Vilarinhos.

Participaram ainda instituições que atuam como financiadoras de pesquisa, cujo objetivo era avaliar de que forma poderiam contribuir no desenvolvimento de pesquisas com mandioca. Entre as quais, estavam a Fundação Bill & Melinda Gates e a Fundação Syngenta. “A participação dessas instituições foi muito importante para a construção de uma rede de relacionamento. Por exemplo, após a nossa apresentação, que evidenciou ser a distribuição de manivas uma das grandes dificuldades em nosso sistema de produção, a Fundação Syngenta se mostrou interessada em nos ajudar”, revelou.

Segundo o chefe de TT, o grupo tratou de pesquisas na área de biotecnologia voltadas para a identificação de genes relacionados à resistência a doenças. “Houve também apresentação do estado da arte dos programas de melhoramento genético que utilizam ferramentas biotecnológicas e como isso pode ser aplicado para a cultura da mandioca.” Vilarinhos informou que está sendo discutida a montagem de uma coordenação mundial de pesquisa, de forma a constituir um banco de dados sobre o que está acontecendo com a cultura da mandioca ao redor do mundo.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]