Tourinho diz que paciente recebeu medicamento estragado em um PSF da Prefeitura de Feira. Leia esta e outras notícias da CMFS

Jornal Grande Bahia compromisso em informar.Jornal Grande Bahia compromisso em informar.


Uma paciente teria recebido medicamento estragado, no PSF do bairro Campo Limpo. A denúncia foi feita na sessão desta quarta-feira da Câmara pelo vereador Roberto Tourinho. Ele declarou que recebeu as informações da parte da própria usuária do posto de saúde, cujo nome está sendo preservado.

De acordo com o vereador, o medicamento Ranimax foi entregue à paciente, sem condições de ser utilizado. “Trago essa denuncia para que a Prefeitura apure”, disse Tourinho. Segundo ele, o lote do medicamento é 6151. “O paciente pediu que seu nome fosse preservado, temendo que pudesse ser prejudicado, já que é usuário daquela unidade de saúde e não tem condições de pagar consultas particulares”, acrescentou.

Para Tourinho, é necessário que o Governo Municipal tenha mais atenção com a distribuição de medicamentos em suas unidades de saúde. “Este fato demonstra a situação de abandono da saúde em Feira de Santana”, reclama o edil. Em seguida, ele lembrou que, “recentemente, a polícia descobriu um pé de maconha no interior de uma escola da rede pública municipal”.

Na opinião do vereador Antônio Francisco Neto, o Ribeiro, vice-líder da bancada do Governo, a denúncia deve ser investigada pela administração municipal. Ele não descarta que o fato – entrega de medicamento vencido – ou estragado possa ter sido premeditado por alguém interessado em prejudicar a reputação do governo.

Francisco Neto disse que os vereadores, independente de serem governistas ou não, são solidários à paciente. “Se um paciente maldoso, querendo prejudicar o governo, tiver guardado esse medicamento, o que podemos fazer? O vereador está fazendo o seu papel. E esse paciente que recebeu também. É preciso ver se não existem outras pessoas maldosas querendo criar uma situação”, comentou o vice-líder governista.

O vereador Tourinho contestou o colega. Segundo ele, todo medicamento adquirido pela Prefeitura consta o número do seu lote. “Se (o remédio) foi adquirido em uma farmácia, obviamente que o número do lote apontará essa situação”, observou.

Câmara aprova projetos ampliando a segurança nos bancos e shoppings

A Câmara Municipal aprovou, na sessão desta quarta-feira (13/10/2010), dois projetos de lei que criam medidas de segurança, em instituições financeiras, shoppings e galerias estabelecidos em Feira de Santana. Um dos projetos, de autoria do vereador José Sebastião, obriga os bancos a instalar bloqueadores de telefonia celular no interior das agências.

Ele disse que a medida complementa uma lei municipal, em vigor, que proíbe o uso de celulares pelos clientes, dentro das agências bancárias. “A lei já existente é importante, mas ela necessita dessa outra que estamos apresentando. A simples proibição não resolve. Já existe equipamento que bloqueia o uso do celular”, comentou. A matéria ainda deverá ser votada em segunda e última discussão, o que deverá ocorrer na sessão da próxima segunda-feira.

O outro projeto de lei aprovado dispõe sobre a instalação de detectores de metais em shoppings e galerias com mais de 20 lojas. O autor da proposta é o vereador David Neto. Ele ressaltou que lei semelhante já está em vigor em diversos municípios brasileiros, diante do estado de insegurança que se instala nas grandes cidades, com registro de ocorrências de violência nesses estabelecimentos onde existem grandes aglomerações. O projeto é polêmico e causou discussão no plenário.

O vereador Marialvo Barreto, que votou contra, disse que não há, em outras cidades, esse tipo de exigência aos shoppings. Segundo ele, os shoppings não têm registros de disparos de arma de fogo. “São casos raríssimos no país e em Feira de Santana não é diferente”. Para ele, detector de metais é algo complicado e que causa constrangimentos. “Às vezes, as pessoas só faltam tirar a roupa, para mostrar que não carregam armamento algum. Os brown é que vão ter problema para retirar as correntes e os adereços que normalmente utilizam”.

“Que competência tem o vigilante de um shopping para enfrentar alguém que esteja entrando armado no local? Se o shopping constata um freqüentador armado, o que fará? O projeto não diz o que fazer”, argumentou o vereador Justiniano França, também contrário à proposta. “Além disso, o histórico de violência nos shoppings não justifica essa medida”.

Justiniano observou ainda que locais como o estádio Jóia da Princesa, mesmo em grandes jogos, quando recebe público numeroso, não contam com a exigência de detector de metais. O vereador Carlos Alberto Costa Rocha disse que nos dias de grande movimento, será complicado fiscalizar.

O vereador Reinaldo Miranda, no entanto, defende a medida. Ele acredita que proporcionará maior segurança para os freqüentadores dos shoppings.

O autor do projeto, David Neto, salientou que, ao contrário do que informam alguns dos seus colegas, a obrigatoriedade do detector de metais existe nos shoppings de outras cidades e até mesmo em grandes redes de supermercados. A matéria deverá ser votada em segunda e última discussão na próxima segunda-feira.

Vereador condena panfletagem lançando candidatura à sucessão do prefeito em 2010

Em discurso na sessão de hoje (13/10) da Câmara Municipal, o vereador Antônio Francisco Neto disse que considera precipitado um movimento que está acontecendo em Feira de Santana, em torno da sucessão do prefeito Tarcízio Pimenta. Ele se refere a panfletos distribuídos na cidade, recentemente, lançando o nome do ex-prefeito José Ronaldo ao Governo Municipal. “O político citado no panfleto certamente não é o responsável pela panfletagem. Certamente isso não tem a sua autorização”.

Para o vereador, a campanha com tamanha antecedência do pleito, previsto para 2012, não é uma medida de bom senso. “Nesse momento, temos que estimular o prefeito Tarcízio Pimenta a realizar um bom governo, como está fazendo. Esse é um procedimento que não traz nenhuma contribuição”.

Na opinião do edil, além de ser um risco para a candidatura proposta no panfleto, essa divulgação com tamanha antecedência pode funcionar como um desrespeito ao prefeito atual. “Sempre ouvi dizer que lançar um nome há tanto tempo da eleição prejudica o possível candidato, além de ser uma descortesia com o prefeito que está no poder”, disse Francisco Neto.

“São puxa-sacos”, disse o vereador Ewerton Carneiro, sobre a iniciativa da panfletagem anunciando a possível candidatura do ex-prefeito José Ronaldo. Em sua opinião, o objetivo dos responsáveis pela divulgação é dividir o grupo político. “Creio que devemos deixar o prefeito e ex-prefeito discutir, conversar e tomar as decisões que sejam mais acertadas para os dois.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]