ADAB avalia ações para evitar introdução da Mosca-Negra dos Citros

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.

Empenho, dedicação e responsabilidade foram palavras que nortearam, nesta quinta-feira (07/10/2010), a reunião de avaliação do Programa Estadual de Citros, após a implantação do plano de contingência para evitar o ingresso da Mosca-negra no parque citrícola baiano. O encontro contou com a presença de mais de 50 pessoas entre agrônomos, técnicos e fiscais agropecuários da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) que trabalham em campo. A citricultura baiana ocupa atualmente a segunda colocação no ranking nacional, com produção de um milhão de toneladas/ano e possui a Certificação de Área Livre de Pragas dos Citros pelo Ministério da Agricultura (Mapa).

Para assegurar esse status, a Adab intensificará a fiscalização do trânsito de vegetais nas divisas ao norte do estado, especialmente nas rodovias federais BR- 101 (Rio Real), BR-110 (Paulo Afonso) e BR-116 (Juazeiro). “A citricultura na Bahia é um dos patrimônios mais representativos do estado. Uma vez que a Mosca- negra esteja instalada o impacto social causado é enorme porque 70% dos nossos produtores são da agricultura familiar”, explicou o diretor geral da Adab, Cássio Peixoto, ressaltando que a praga está presente no país, causando prejuízos de 50 a 90%.

A doença é facilmente disseminada por mais de 300 hospedeiros, dentre eles, espécies frutíferas como abacate, banana, manga uva e caju e espécies ornamentais como helicônias, roseiras e crisântemos. “Todas as medidas adotadas no plano têm como premissa manter a sustentabilidade do agronegócio baiano, viabilizando aos produtores as condições necessárias para trabalhar em conjunto com a Agência e evitar a entrada da praga em solo baiano”, afirmou o diretor de Defesa Vegetal da Adab, Armando Sá.

“Para evitar a dispersão da Mosca-negra nos pomares baianos, a Adab intensificará todas as ações já estabelecidas no plano de contingência, compartilhando informações com os parceiros e socializando soluções”, destacou a coordenadora do Programa de Citros, Suely Brito. Nos estados do Nordeste existem registros de ocorrência da praga na Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará.

Controle

A Bahia, apesar de ter a praga, mantém um controle rígido, evitando a dispersão para os pomares comerciais. Para isso, medidas simples podem ser realizadas em conjunto com associações, sindicatos e setor produtivo – evitar o transporte de vegetais contaminados (ou parte destes) para locais livres da praga, produzir ou transportar mudas de plantas susceptíveis à Mosca-negra em ambiente telado, lavar para manter descontaminados os tratores, implementos e material de colheita e podar plantas cultivadas nos fundos de quintais.

“Mas nenhum desses instrumentos funciona sem mobilização, dedicação e empenho. Temos um plano forte, consistente, respaldado em aspectos técnicos e científicos”, enfatizou Cássio Peixoto, citando a participação ativa da Embrapa e da Biofábrica Moscamed Brasil na elaboração deste Plano de Contingência e de outros planos exitosos de controle e erradicação de pragas, elaborados pela Agência como o da soja, algodão e mamão, que serviram de referência para outras agências de defesa no Brasil.

A Adab também pretende promover ainda inspeções fitossanitárias nos viveiros localizados em áreas de risco e o armadilhamento para detecção da praga em pontos críticos como aeroportos, centros de abastecimento (ceasas), terminais rodoviários e postos de fronteiras. “Qualquer suspeita de ocorrência da Mosca-negra-dos-citros, deve ser comunicada à Adab para que o pomar seja inspecionado e as medidas de erradicação do foco aplicadas”, disse o diretor de Defesa Vegetal.

Banner do Governo da Bahia: Campanha 'Aqui é trabalho', veiculada nesta sexta-feira (04/11/2021).
Sobre Alberto Peixoto 488 Artigos
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.