SEAGRI Bahia estrutura pesca no Norte do Estado aumentando a oferta de tilápias

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
SEAGRI Bahia assina Ordem de Serviço para a construção da sede da colônia de pesca no município de Glória.
SEAGRI Bahia assina Ordem de Serviço para a construção da sede da colônia de pesca no município de Glória.
SEAGRI Bahia assina Ordem de Serviço para a construção da sede da colônia de pesca no município de Glória.
SEAGRI Bahia assina Ordem de Serviço para a construção da sede da colônia de pesca no município de Glória.

Em atendimento a 220 famílias de pescadores da região Norte do Estado, é assinado hoje (30/09/2015) Ordem de Serviço para a construção da sede da colônia de pesca no município de Glória. Além do incentivo à organização produtiva e associativa, um projeto estruturante atenderá à Estação de Alevinagem Caiçara, e à unidade de beneficiamento de Xingozinho, visando o aumento da produtividade, além de envolver um trabalho de capacitação das redes empresariais. Ao todo serão beneficiados, direta e indiretamente, 600 famílias que sobrevivem da pesca e pequenos empresários que atuam na atividade.

A iniciativa é fruto da parceria entre a Secretaria da Agricultura, através da Bahia Pesca, e a Secretaria de Ciências e Tecnologia (Secti/Bid) e conta com um investimento de R$ 1,593 milhão do Programa Progredir, direcionado ao Arranjo Produtivo Local de piscicultura. As Ordens de Serviço para a realização de obras de infra-estrutura e eletrificação rural em unidades produtivas são resultado da ação conjunta entre a Seagri e a Secretaria de Infra-estrutura (Seinfra).

A solenidade acontecerá, às 15 horas, durante o Encontro Regional de Piscicultura e Pesca, no Centro de Convenções do Hotel Belvedere, no município de Paulo Afonso e contará com as presenças do secretário da Agricultura, Eduardo Salles, além de parceiros do setor público estadual, pescadores do município e cidades vizinhas e representantes do segmento. No evento, estarão presentes ainda o gerente da Bahia Pesca em Paulo Afonso, Leivan Souza Pinto e o coordenador local do programa Progredir Secti/Bid, Perisvalter Diniz, além do diretor de Energia da Seinfra, Dernival Oliveira Junior.

Os documentos a serem assinados garantem, dentre outras coisas, a construção da sede da colônia de pescadores, em Glória, a aquisição de equipamentos destinados à unidade de beneficiamento de Xingozinho, cuja capacidade de processamento diário é de 2 toneladas, e a ampliação das atividades da Estação de Produção de Alevinos da Caiçara, que passará a produzir dez milhões de alevinos até 2011. A estação,que possui uma área de dez hectares de lamina d’água e produz atualmente 3 milhões de alevinos, possui uma estrutura física adequada para produção de peixes, com 15 viveiros, laboratório, escritório e estruturas de apoio técnico para o desenvolvimento da produção.

Segundo o presidente da Bahia Pesca, Isaac Albagli, o objetivo final das ações é aumentar a oferta de pescado no estado e melhorar as condições de trabalho dos pescadores. “A unidade de beneficiamento, por exemplo, permitirá que a produção passe por um processamento adequado, agregando valor ao produto. Possibilitará ainda a geração de mão-de-obra qualificada e o desenvolvimento local através da criação de empregos”, conta.

Dados da Bahia Pesca apontam para uma produção de tilápia no estado estimada em 889 toneladas, sendo o território de identidade de Itaparica é o maior produtor da Bahia. O estado ocupa a 6ª posição no ranking nacional, e a 2ª no nordeste (atrás do Ceará). Estão envolvidos na produção das tilápias cerca de 1,5 mil famílias. Estima-se ainda que existem, na região, seis mil tanques-redes em água, gerando R$ 25 milhões de reais para as 32 associações de pescadores envolvidas na produção.

Piscicultura em Itaparica

O território de identidade de Itaparica é responsável por 85% da produção de peixes cultivados na Bahia. Foram 6,2 mil toneladas em 2009. A demanda por alevinos na região é crescente. “A Bahia Pesca transferirá para a estação de Caiçara diversos reprodutores. Isto facilitará o trabalho dos piscicultores locais, já que os animais passarão por menos estresse no transporte e terão sua taxa de sobrevivência elevada”, afirma Albagli.

As ações beneficiarão nove entidades na região, Cooperativa Mista Agropecuária dos produtores de Paulo Afonso (COOMAPA), Associação do Tará, Associação Olho D`Aguinha, Associação Pia do Roque, Associação Lagoa do Junco, Associação Malhada Grande II, Associação Malhada Grande III, Aquicultura Colorado e Aquicultura Natarelli.

Segundo o secretário Wilson Brito, o município de Paulo Afonso transformou-se em um verdadeiro canteiro de realizações. “Hoje (29) estou indo à região de Paulo Afonso e autorizo ao Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia (Derba) que inicie a recuperação do Terminal Rodoviário de Paulo Afonso, além de outras obras a exemplo da recuperação da BA 210, que já estão sendo executadas. Isso significa levar mais desenvolvimento para o município”, declarou Wilson Brito.

Encontro Regional de Piscicultura e Pesca é uma realização da Seagri/Bahia Pesca, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia; Banco Interamericano de Desenvolvimento e Secretaria de Infraestrutura da Bahia.

Câmara Setorial do Charuto quer conquistar mercado asiático 

Depois de um período de retração, em que pouco se expandiu para outros mercados, o segmento do tabaco e do fumo da Bahia dá um importante passo para o seu desenvolvimento. A Câmara Setorial do Charuto acaba de ser instalada nesta quarta-feira (29), em Cruz das Almas, em solenidade aberta pelo secretário da Agricultura do Estado, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, na Câmara de Vereadores do município. Ela nasce com a proposta de elevar a qualidade do charuto baiano e conquistar o mercado asiático.

A nova câmara setorial, que se junta a outras 18 câmaras do setor agropecuário baiano, coloca frente a frente todos os elos da cadeia produtiva do tabaco e do fumo, tanto do setor público como privado, especialmente do Recôncavo baiano, uma das principais regiões produtoras do Brasil. Com isso, espera-se que a produção local seja acelerada, garantindo a oferta de emprego na região, e exportada para um número maior de países, sobretudo do continente asiático.

De acordo com Eduardo Salles, a Bahia não poderia ficar sem uma câmara setorial tão importante como a do Charuto. “O charuto é um patrimônio nosso. O Estado tem hegemonia na produção desse fumo, graças ao clima e solo da região do Recôncavo, extremamente favorável à cultura”, destacou. O secretário ressaltou também que, no cenário nacional, a Bahia possui lugar de destaque, pois apresenta o 2º maior parque fontícula do País e o 1º do Nordeste. Além disso, o segmento emprega, somente no Estado, entre funcionários diretos e produtores da agricultura familiar, em torno de 15 mil trabalhadores.

“Com a instalação dessa câmara setorial, o objetivo é que possamos pensar o segmento do tabaco e do fumo a médio e longo prazo. Vamos fazer um planejamento estratégico do charuto para os próximos 20 anos, levando em conta questões como logística, infraestrutura e comercialização”, declarou Salles, salientando que, através dessas câmeras, é possível aumentar a eficiência das cadeias produtivas e a eficácia das políticas públicas no Estado no setor agropecuário, que representa 24% do Produto Interno Bruto (PIB) baiano.

O secretário disse ainda que é preciso encontrar alternativas para levar o charuto e outros produtos da Bahia para outros mercados. “Produzimos não só os melhores charutos, juntamente com os cubanos. Temos um dos melhores chocolates, um dos melhores vinhos e tantos outros produtos. É por isso que a Secretaria da Agricultura instalou um escritório de negócios em Pequim, na China, através do qual esses produtos passarão a ser conhecidos no mercado asiático, alcançando um contingente de 1,3 bilhões de pessoas”.

Representando o Ministério da Agricultura, o chefe de gabinete da Secretaria de Defesa Agropecuária, José Conceição Ferreira Sobrinho, destacou a importância de se elevar o charuto baiano à qualidade de produto do tipo exportação, abrindo novos caminhos para o mercado asiático. Ele ressalta que o charuto não encontrará dificuldades para ser levado para outros países, já que o Estado está autorizado a receber certificado do Ministério em que o coloca como área livre de pragas como o Mofo Azul do Tabaco, doença que causa o aparecimento de manchas amareladas nas folhas.

Para Ricardo Becker, presidente do Sindicato da Indústria do Tabaco do Estado da Bahia (Sinditabaco), a Câmara Setorial do Charuto deve ajudar o setor superar alguns entraves. “O charuto normalmente não vicia, normalmente não é tragado e não possui produto químico em sua formulação. Mesmo assim, sofre preconceito e sanções tributárias. Não podemos fazer propagandas e ainda precisamos pagar IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). A grande saída, sem dúvida, é a exportação”, afirmou.

Parabenizando a Secretaria da Agricultura pela iniciativa de instalar a Câmara Setorial do Charuto, ressaltando que já era uma vontade antiga do segmento, o prefeito de Cruz das Almas, Orlando Peixoto Pereira Filho, considerou que a câmara trará à tona ainda o debate de questões de suma relevância para a região do Recôncavo, como o estímulo do plantio do tabaco mata fina em locais onde ainda não é feito ou a produção é incipiente.

O evento reuniu representantes dos mais diversos setores, englobando associações, sindicatos, cooperativas, industriais, instituições de ensino, dentre outros.

Segmentos – As câmaras setoriais são órgãos consultivos formados por representantes de entidades de caráter estadual, de produtores, trabalhadores, consumidores, empresários, autoridades do setor privado e de órgãos públicos, além de instituições financeiras. Elas representam os segmentos da apicultura e meliponicultura, algodão, seringueira, cana-de-açúcar e derivados, mandioca, café, grãos, pesca e aquicultura, oleaginosas, hortaliças, silvicultura, fruticultura (com duas subcâmaras: citricultura e fruticultura temperada e tropical) e guaraná, além de uma câmara temática de relações internacionais e comércio exterior.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113740 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]