Eleições 2010 – Bahia: R$ 300 mil em dívidas de campanha, cargo de secretário e apoio à Graça Pimenta definem fim da candidatura de Antônio Carlos Borges Junior ao mandato de deputado federal

Antônio Carlos Borges Junior.
Antônio Carlos Borges Junior durante ato da campanha eleitoral de 2010. Candidato a deputado federal desiste de participar do pleito e declara apoio a Fernando Torres (DEM).

Ao desistir da candidatura à deputado federal pelo Democratas, o ex-vice-prefeito de Feira de Santana Antônio Carlos Borges Junior declarou apoio, nas eleições de 2010, à Fernando Torres (DEM), como deputado federal e Graça Pimenta, primeira-dama de Feira de Santana, como candidata à deputada estadual pelo PR.

Nos bastidores comenta-se que a desistência da candidatura a deputado federal por parte de Borges Junior, contou com dois importantes incentivos: saldar as dívidas de campanha, orçadas em R$ 300 mil e retornar ao paço municipal como secretário.

Segundo as nossas fontes, o acordo contou com o apoio do prefeito de Feira, o médico Tarcízio Pimenta que pactuou o regresso de Borges a gestão municipal. Coube ao empresário e político, Fernando Torres a parte financeira da operação. É claro que tudo isto circula nos bastidores e que não temos provas para afirmar com veemência o exposto.

Borges Junior vinha fazendo em Feira de Santana uma dobradinha com a primeira dama de Salvador, a deputada estadual Maria Luiza, esposa de João Henrique, filho do senador João Durval que apoia os candidatos ao senado Lídice da Mata e Walter Pinheiro. Henrique optou, recentemente, por apoiar ao senado um candidato que ele mesmo derrotou no passado, César Borges. Assim é a política dos dias atuais. Falta definição ideológica.

Mas, voltando a Borges Junior. Ao optar por apoiar uma candidata que não tem serviços prestados a Feira de Santana e que só aparece de quatro em quatro anos para pedir votos, demonstrou que estava pouco preocupado em fortalecer a identidade política do município e mais em fortalecer sua falida candidatura a deputado federal. Ao desistir de Luiza e aproximar-se de Graça Pimenta, Borges Junior tenta uma sobrevida política que parece asfixiar-se.

Ele foi responsável pela implantação da passagem única em Feira de Santana: ônibus velhos, emplacamentos vencidos, projetos de terminais de ônibus mal concebidos, corredores viários inadequados e pasmem, em pleno centro comercial de Feira de Santana, a inédita faixa exclusiva à esquerda para ônibus. Borges deve regressar ao governo municipal, onde esperamos que faça uma gestão com melhor planejamento.

Sobre Carlos Augusto 9523 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).