SEAGRI Itinerante encontra soluções para questões estruturantes em Itaberaba

Jornal Grande Bahia compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.

O Parque de Exposições Agropecuárias de Itaberaba é fundamental para o município, que tem tradição na ovinocaprinocultura e também na criação de bovinos, além de ser o quarto maior produtor de abacaxi do País. A declaração é do secretário estadual da Agricultura, Eduardo Salles, que passou todo o dia de quarta-feira (04/08/2010) no município de Itaberaba, reunido com produtores da região, verificando os problemas e debatendo as soluções possíveis. A programação faz parte do Programa Seagri Itinerante, que a secretaria está realizando na Chapada Diamantina. A Seagri Itinerante prossegue nesta quinta (5) e sexta-feira (6), em Mucugê, também na Chapada.

O encontro terminou com saldo positivo. Além de definir que o Parque de Exposições será reativado, com o apoio da Seagri, o secretário afirmou que a Exposição Agropecuária de Itaberaba vai entrar no calendário oficial da secretaria a partir de 2011, e se comprometeu a apoiar articulações com a Sicm (Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração) e a Sedur (Secretaria de Desenvolvimento Urbano) para a construção de um centro de comercialização e distribuição de frutas, “para que o abacaxi de Itaberaba ganhe todo o Brasil e o mundo, e para transformar o município num novo polo frutícola, a exemplo de Juazeiro”. Além da exposição em 2011, Itaberaba terá também o Festival do Abacaxi, contando com o apoio da Seagri.

O secretário analisou que uma região como Itaberaba, um dos maiores produtores de abacaxi do Brasil, não pode ficar sem pesquisas, e por isso a Seagri, atendendo solicitação da Cooperativa de Produtores de Abacaxi de Itaberaba (Coopaita), vai implantar um campo experimental visando já a próxima safra. O campo será implantado pela EBDA, utilizando mudas produzidas pela Biofábrica de Itabuna.

Outra ação importante destacada pelo secretário Eduardo Salles é a construção do frigorífico de Itaberaba, cuja licitação deverá ser feita em novembro. Será uma unidade de abate modular com capacidade para 30 animais/dia, mas que pode ser ampliada para até 100 animais. “O governo da Bahia, através da Seagri/Adab, desenvolveu uma planta padrão, seguindo as exigências da Portaria 304 do Ministério da Agricultura, para garantir a saúde da população e combater o abate clandestino”, disse o secretário, informando que “esta planta está, gratuitamente, à disposição das prefeituras”.

No final do dia, o secretário, acompanhado pelos superintendentes, diretores e coordenadores, visitou a sede da Coopaita, um campo de plantação de abacaxi, a Unidade Experimental da Ebda e as instalações da Indústria de Produção de Frutas Desidratadas, que está sendo construída em convênio com a Ebda. “A agroindústria é um elo da cadeia muito importante, pois vai agregar valor ao produto, regular o mercado e dar sustentabilidade”, disse o secretário.

Abacaxi

O abacaxi é o principal produto de Itaberaba, e a Bahia é o quarto principal produtor do Brasil – maior produtor mundial. Para se ter dimensão, a produção do município é maior que toda a produção de Tocantins. A cultura se destaca por ser principalmente familiar e de sequeiro.

São 90 milhões de frutas produzidas numa área plantada de cinco mil hectares. A atividade emprega diretamente seis mil pessoas, do plantio à colheita. Deste total, mais da metade vem da agricultura familiar. A fruta até então é comercializada in natura, gerando uma receita de R$ 60 milhões/ano para o município. Hoje, mais de 60% da produção de abacaxi do Estado sai de Itaberaba.

O prefeito de Itaberaba, João Filho, aprovou a ideia da construção de um centro de comercialização de frutas. “Aqui não há um centro de distribuição e abastecimento de frutas. Não faz sentido, pois a Bahia pode se tornar um dos maiores distribuidores de frutas do País. Juazeiro possui um centro de abastecimento; Jaguaquara, por sua vez, tem um centro de horticultura. Esses centros ajudam a superar uma das principais dificuldades enfrentadas pelos agricultores, que é o de ter como escoar devidamente a sua produção”, afirmou.

Fábrica de processamento do abacaxi é principal aposta da agroindústria

A fábrica de processamento do abacaxi, a ser inaugurada em outubro, é a principal aposta para o desenvolvimento da agroindústria na região de Itaberaba. É o que diz Valdomiro Vicente Victor, presidente da Cooperativa dos Produtores de Abacaxi de Itaberaba (Coopaita). Inicialmente, o novo equipamento vai gerar 20 empregos diretos e cerca de 500 indiretos. Além disso, vai absorver quatro toneladas de frutas por dia.

“Essa agroindústria vai agregar valor ao abacaxi. Além disso, será um motivo a mais para a iniciativa privada investir no município”, acredita o presidente da Cooperativa, que participa de um grupo gestor, composto por Sebrae, Embrapa, Adab, Ebda, Banco do Nordeste, Banco do Brasil e prefeitura local, que discute questões referentes ao abacaxi da região.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108872 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]ia.com.br.