Praça de Sergipe aguarda resultado sobre patrimônio mundial

Após ser aceita pela Unesco, candidatura do local deve ser decidida na madrugada deste sábado.

Um comitê da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, deve decidir neste fim de semana o destino de vários sítios candidatos a Patrimônio Mundial.

A reunião do Comitê do Patrimônio Histórico ocorre em Brasília. O órgão analisa 39 indicações de 33 países.

Melhorias

Entre os inscritos está a Praça de São Francisco, em São Cristóvão, no Sergipe.

O local fica a cerca de 23 km da capital Aracaju. Segundo o governo estadual, já foram investidos mais de R$ 770 mil em melhorias na praça e na restauração de partes do Convento Santa Cruz.

A coordenadora do Setor de Cultura da Unesco no Brasil, Jurema Machado, contou à Rádio ONU, de Brasília, o significado histórico do local para a candidatura

Domínio Espanhol

“Seria, no Brasil, uma representação de urbanimos com características espanholas porque ele resulta de um momento em que a Coroa Portuguesa estava sob domínio espanhol. Além disso, o próprio convento franciscano e o conjunto de edificações em torno desta praça têm, de fato, uma feição excepcional por ser uma adaptação com um padrão brasileiro principalmente no nordeste do país”, afirmou.

São Cristóvão, a primeira capital de Sergipe, foi o local de vários confrontos causados na época da presença holandesa no nordeste.

Pegadas

Portugal e Espanha indicaram as Icnitas de Dinossauros da Península Ibérica, um sítio natural onde há pegadas fossilizadas de dinossauros.

A Cidade Episcopal de Albi, na França, as Cavernas Pré-Históricas de Yagul, no México e o observatório religioso de Jantar Mantar, na Índia, são outras indicações que passam por análise. A reunião da Unesco em Brasília termina na terça-feira

*Com informações da Rádio ONU

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111199 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]