O prefeito Tarcízio Pimenta é criticado e defendido na Câmara Municipal de Feira de Santana

O prefeito Tarcízio Pimenta, ontem (02/08/2010), na abertura dos trabalhos legislativo da Casa da Cidadania, sofreu duras críticas dos vereadores de oposição, em relação ao estado precário de algumas vias públicas de Feira de Santana, após as chuvas dos últimos meses. Por sua vez, em respostas as reclamações, a bancada governista fez a defesa do chefe do Executivo, gerando muita polêmica, inclusive de âmbito religioso.

O vereador Roberto Tourinho (PSB) foi o primeiro a se pronunciar sobre o caso. Segundo o edil, o prefeito Tarcízio Pimenta é incompetente. “A cidade está abandonada, literalmente abandonada. Aliás, Feira de Santana hoje é um buraco só. Até parece que nós estamos vivendo na lua, visto que os buracos tomaram conta do município. O prefeito vem demonstrando a sua total incompetência. O que o ex-prefeito demorou oito anos pra fazer, Tarcízio conseguiu acabar em um ano e meio. Ao retornar esta Casa, nós queremos discutir Feira de Santana, a situação de miséria que se encontra as ruas da cidade”, reclamou.

Segundo o vereador Antônio Francisco Neto – Ribeiro – (DEM), os buracos nas vias públicas estão surgindo em Feira de Santana em decorrência do período prolongado de chuvas. O edil afirmou que o Governo Municipal tem realizado as operações de reparos emergenciais, mas a chuva não está colaborando com a zona urbana, ao contrário da zona rural, onde a população está feliz com o período chuvoso.

Na oportunidade, ele informou que a Prefeitura está realizando, a partir de hoje, a obra da cobertura do canal da Avenida Padre Anchieta (Avenida Canal). “Essa ação do prefeito é uma grande obra. O chefe do Executivo não pode ser registrado nesta Casa como incompetente. Ele tem que ser tratado como um homem que está preocupado e atento aos movimentos de Feira de Santana. Tem alguns problemas que não podem ser solucionados de imediato, mas o prefeito tem boas intenções. As grandes obras ainda serão resolvidas nesta cidade”, declarou Ribeiro.

O líder da bancada governista, vereador Ewerton Carneiro – Tom – (PMN), em consonância com o vereador Ribeiro, disse que fica difícil o governo fazer reparos nos buracos com chuva. Conforme Tom, Feira de Santana está tendo o inverno mais chuvoso dos últimos anos. “Mas o prefeito está revitalizando várias ruas esburacadas. Ele é um prefeito inteligente e não competente”, defendeu.

Por sua vez, o petista Ângelo Almeida disse que ratifica as palavras do vereador Roberto Tourinho, enfatizando que ficou perplexo com a quantidade de tonéis nas vias públicas, em decorrência dos buracos. “Acabou a cidade digital e virou a cidade dos tonéis”, ironizou.

Na sequência, Ângelo Almeida declarou: “O que nós não podemos permitir é que o prefeito use o nome de Deus, como usou pra dizer que Deus fez o bem a zona rural, mas Deus está esburacando a cidade. Quero pedir ao prefeito que tire Deus disso porque Deus criou o universo, Deus criou a natureza de forma sublime. São os homens que transformam a natureza. Nós temos que ter cuidado com as palavras. O prefeito foi muito infeliz com essa declaração”.

Para o vereador, a má gestão do dinheiro público, sobretudo, em obras de péssima qualidade é que ocorrem os problemas dessa natureza. “Não teve aqui nenhuma tempestade. Não ocorreram fortes chuvas, apenas deu uma invernada em Feira e a cidade começou a dissolver”, observa.

Na opinião do vereador Ailton Araújo Rios – Ailton Mô – (PSDB) é preciso um pouco de paciência para resolver os problemas das vias públicas. “Feita de Santana não teve tempestade, mas as chuvas estão acontecendo com frequência. O Governo Municipal não está de braços cruzados, ele tem desenvolvido ações para melhorar as ruas do município, porém uma série de períodos intermitentes de chuvas não está colaborando”.

O vereador Getúlio Barbosa (PP) também saiu em defesa do Governo Municipal. “O que está acontecendo agora em Feira de Santana não depende da vontade do prefeito, é um problema da natureza”. Segundo o edil, tanto as cidades simples quanto as de grande porte enfrentam dificuldades, no que tange a buracos, oriundos das chuvas. “São Paulo é um exemplo, é uma das metrópoles do mundo e todos sabem quando tem temporal como São Paulo fica”, retrucou.

Em seguida, em resposta ao vereador Ângelo Almeida, sobre um suposto pronunciamento do prefeito Tarcízio Pimenta a respeito da ação Divina em Feira de Santana, Getúlio declarou: “concordo com Vossa Excelência que não foi Deus que fez isso porque Deus não existe. Todo mundo sabe que cientificamente já está provado que o mundo não foi criado por Deus. Foi criado por religiões que implantaram essa idéia porque se Deus existisse eu queria saber quem foi que criou Deus”.

Sobre Carlos Augusto 9448 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).