Presidente Lula vai apelar aos presidentes da Colômbia e da Venezuela para que negociem acordo

Hugo Chávez, presidente da Venezuela, recebe das mãos de Lula, presidente do Brasil, uma camisa autografada da Seleção Brasileira, durante encontro ocorrido em 28 de abril de 2010, no Palácio do Itamaraty, em Brasília.
Hugo Chávez, presidente da Venezuela, recebe das mãos de Lula, presidente do Brasil, uma camisa autografada da Seleção Brasileira, durante encontro ocorrido em 28 de abril de 2010, no Palácio do Itamaraty, em Brasília.
Hugo Chávez, presidente da Venezuela, recebe das mãos de Lula, presidente do Brasil, uma camisa autografada da Seleção Brasileira, durante encontro ocorrido em 28 de abril de 2010, no Palácio do Itamaraty, em Brasília.
Hugo Chávez, presidente da Venezuela, recebe das mãos de Lula, presidente do Brasil, uma camisa autografada da Seleção Brasileira, durante encontro ocorrido em 28 de abril de 2010, no Palácio do Itamaraty, em Brasília.

Em nome da unidade da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve apelar aos presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e o que tomará posse na Colômbia, Juan Manuel Santos, que se esforcem por um acordo de paz na região.
As informações são do assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia. Segundo ele, a expectativa é que o impasse se solucione em breve.

“Há interesses políticos muito importantes. A credibilidade da América do Sul e da Unasul estão, evidentemente, em jogo. E há interesses econômicos do ponto de vista bilateral”, afirmou Garcia, depois de almoço oferecido ao presidente de Camarões, Paul Biya, no Itamaraty.

Desde o último dia 22, Colômbia e Venezuela estão em crise. O conflito foi deflagrado com o anúncio público do embaixador colombiano, durante sessão da Organização dos Estados Americanos (OEA), que havia guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército da Libertação Nacional (ELN) infiltrados em território venezuelano.

Ofendido com as informações, Chávez rompeu com o governo do presidente da Colômbia, Alvaro Uribe. A reação gerou uma série de ações do Brasil e dos demais países da região para evitar o agravamento da crise. A expectativa é que o impasse seja encerrado após a posse de Santos, marcada para o dia 7.

“Esperamos que na Colômbia nós venhamos a ter agora, com a ascensão do novo presidente, outras condições para o diálogo. Essa foi a percepção que tivemos da conversa que o presidente Lula teve com o presidente Santos há poucos dias em um tom muito cordial. Todas essas informações convergem no sentido de que há uma disposição do governo colombiano de tabular negociações com a Venezuela”.

De acordo com o assessor, há a mesma disposição por parte do governo da Venezuela. “Pretendemos renovar [o pedido pelo esforço coletivo em busca da paz] em Caracas e vamos insistir neste tema para desmanchar essa confusão que se armou o mais rápido possível. A Venezuela é a grande importadora de produtos colombianos. O fluxo de comércio exterior está fragilizado no momento atual e acho que isso é ruim”.

O presidente Lula viaja na sexta-feira, dia 6, para a Venezuela, quando mantém uma agenda bilateral. Em seguida, o presidente vai para a Colômbia onde participa de um jantar em homenagem a Uribe e depois vai a posse de Santos.

*Com informações da Agência Brasil

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 106814 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]