Hospital Estadual da Criança é inaugurado com as presenças de Jorge Solla e Tarcízio Pimenta. Presidente Lula não pode vir ao evento

Hospital Estadual da Criança é inaugurado com as presenças de Jorge Solla e Tarcízio Pimenta.
Hospital Estadual da Criança é inaugurado com as presenças de Jorge Solla e Tarcízio Pimenta.
Hospital Estadual da Criança é inaugurado com as presenças de Jorge Solla e Tarcízio Pimenta.
Hospital Estadual da Criança é inaugurado com as presenças de Jorge Solla e Tarcízio Pimenta.

A estrutura estava montada para receber o presidente Lula em Feira de Santana no HEC (Hospital Estadual da Criança), mas virtude do mau tempo em Salvador, não houve teto seguro para que o presidente se deslocasse de helicóptero até a cidade. A agenda de eventos de Lula foi mantida na capital, com comício ao lado da candidata do PT (Partido dos Trabalhadores) à presidência, Dilma Rousseff.

Às 17h, o presidente Lula segue para o Palácio Rio Branco, em Salvador, onde assina contratos do Projeto de Mobilidade Urbana para a Copa 2014, para a construção de novas unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida em três municípios e a autorização do edital de licitação para duplicação da BR-101, no subtrecho da divisa entre Sergipe e Bahia, entroncamento com a BR-324 (Feira de Santana).

Inauguração

O secretário estadual de Saúde, Jorge Solla, inaugurou o Hospital Estadual da Criança (HEC), em Feira de Santana. A placa foi descerrada ao lado do prefeito do município, o médico Tarcízio Pimenta. A nova unidade hospitalar é especializada em pediatria e conta com 280 leitos, sendo 40 de UTI e 30 semi-UTIs.

O prefeito Tarcízio Pimenta ressaltou a importância do equipamento. “É muito importante que a gente neste momento possa agradecer ao presidente Lula e ao ministro Temporão, a todos que entenderam a importância da instalação de um hospital desta magnitude em nosso município. Feira de Santana se sente agraciada. A nossa região se sente contemplada com esta unidade. Realmente é uma unidade que nos deixa cada dia mais entusiasmado e cada dia mais entendendo que a gente cada dia mais possa ver investimentos desta natureza em área tão essencial e tão sofrida como a da saúde. Investir na assistência médica e na saúde é muito importante”, frisou.

Adson França, assessor especial do Ministério da Saúde, informou que a maior política de inclusão social é a oferta de serviços de saúde de qualidade. ”Se constitui entre os maiores hospitais públicos do país. E vai se transformar em referência do Norte e Nordeste do país. Essa visão de parceria é de formação de rede de atenção”, observou.

O secretário estadual da Saúde, Jorge Solla, lamentou a ausência de Lula mas observou que o mais importante é a inauguração do hospital. “Prefeito Tarcízio Pimenta tem sido um parceiro muito importante na qualificação da saúde em Feira de Santana. Este projeto é um projeto do Governo e sua realização se deu pela articulação de diversos órgãos, diversas secretarias”, afirmou

Durante a solenidade também estiveram presentes compondo a mesa de honra o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Feliciano Monteiro; o diretor geral da Sucab, Elmo Vaz; a superintendente da SAES, Gisele Souza; a diretora do Hospital Estadual da Criança, Edilma dos Reis; o diretor do Instituto Guanais, André Guanais, o representante da Organização Pan-Americana de Saúde, Patrício Janriska (ex-ministro de Saúde do Equador), e o representante dos trabalhadores que construíram o hospital, Francisco Santana, dentre outros.

O hospital oferece serviço de diagnose e terapia, ambulatório de especialidades, internação e atividades de ensino e pesquisa. É caracterizado pelo atendimento de alta complexidade e deverá assistir cerca de 2,188 milhões de habitantes de 73 municípios baianos.

A proposta do HEC é oferecer 19 especialidades médicas. Entretanto, de imediato a população poderá usufruir de atendimento nas áreas de cirurgia pediátrica, incluindo videolaparoscopia, pnumologia; anestesiologia, cirurgia vascular, pediatria clínica; cardiologia pediátrica, oftalmologia e neurologia pediátrica.

Somente na construção do prédio foram investidos R$ 20 milhões e outros R$ 20,8 milhões foram investidos em equipamentos. O resultado foi a construção de 280 leitos, dentre os quais 50 destinados às UTIs, e demais especialidades médicas, como cirurgia cardíaca e torácica e oncologia. Entretanto, nesta primeira etapa vão funcionar 80 leitos.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9321 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).