Governo da Bahia consolida ações para proteção do patrimônio arqueológico

Jornal Grande Bahia compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.

O evento internacional de Arte Rupestre que começou ontem (segunda-feira, 23/08/2010) e se realiza até amanhã, dia 25 (quarta-feira), na cidade de Lençóis, Chapada Diamantina (BA) e reúne mais de 200 pessoas, entre estudantes e professores universitários, guias de turismo, empresários de hotelaria, pesquisadores especialistas e arqueólogos brasileiros e estrangeiros, integra a consolidação das ações que o Governo do Estado empreende desde 2008 para a proteção do patrimônio arqueológico baiano.

“Hoje já comprovamos significativo avanço das ações do governo estadual que visam a conscientização do patrimônio arqueológico na Bahia, principalmente na região da Chapada Diamantina, onde se concentram a maior parte do acervo baiano de pinturas rupestres”, sinalizou Frederico Mendonça, diretor geral do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), durante a apresentação da mesa sobre ‘A política de gestão de sítios de arte rupestre na Bahia’.

O acervo arqueológico de todos os estados é um bem gerido e lincenciado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) órgão do Ministério da Cultura (MinC) já que toda a riqueza do solo brasileiro é de pertencimento da União.

Já o Governo da Bahia implanta, desde 2008, através do Ipac, órgão da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), ações inéditas na história do nosso estado que visam a sensibilização e conscientização de agentes públicos e multiplicadores municipais, como vereadores, professores, estudantes, líderes comunitários e até microempresários regionais da Chapada, em benefício do rico acervo de pinturas rupestres – do latim rupes que significa rochedo – ainda existente nesses municípios baianos.

“Não conseguiremos ações concretas sem a conscientização e participação efetiva das prefeituras municipais, das populações locais e da iniciativa privada que explora o turismo cultural e ambiental nessa grande região da Bahia, e por isso é fundamental que trabalhemos em redes de cooperação com realizações mútuas, contemplando inclusive o pacto federativo que já assegura a presença dos poderes públicos municipais, estadual e federal”, explicou Mendonça.

Durante a palestra, o dirigente estadual destacou ainda os acordos de cooperação técnica já assinados neste ano (2010) com os prefeitos dos municípios de Seabra, Iraquara, Palmeira, Lençóis e Wagner, o projeto de Oficinas de Educação Patrimonial que vêm sendo realizado desde julho deste ano (2010) e se prolonga até setembro, e que já beneficiaram, diretamente, cerca de 1,5 mil multiplicadores em vários municípios da Chapada.

“O Governo do Estado, através do Ipac/Secult, potencializa também o trabalho encapado há quatro anos pela Grupo de Pesquisa Bahia Arqueológica da Universidade Federal da Bahia (Ufba/Cnpq) e Instituto Julio Cesar Mello de Oliveira, que traz pesquisadores, estudantes e especialistas nacionais e internacionais para troca de conhecimentos e pesquisa da arte rupestre em especial, e do patrimônio arqueológico em geral, dessa região baiana”, disse Mendonça.

A Secretaria de Meio-Ambiente e Recursos Hídricos do Estado também participou com o repasse de R$ 250 mil para o projeto realizado nesses meses pelos arqueólogos e para o encontro internacional de Lençóis. Além de recursos, o Ipac/Secult disponibilizou equipe com educadores, fotógrafos e restauradores que participam das oficinas de educação patrimonial e viabilizou a vinda da mundialmente renomada arqueóloga Niède Guidon.

“Referência internacional respeitada por arqueólogos de todo o mundo, Niède Guidon desenvolve pesquisa de excelência no Piauí onde concebeu o Parque Nacional da Serra das Capivaras e criou a Fundação do Homem Americano (Fundham), assegurando brilhantismo e conceituação máxima para este evento” comentou o diretor do Ipac.

Estudantes, professores e pesquisadores tiveram oportunidade de – pela primeira vez – debater e ouvir pessoalmente a cientista Niède Guidon. Presentes, alunos e mestres de universidades brasileiras e, baianas, como a Ufba, Universidade Estadual de Feira de Santana e Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, entre outras.

O evento realiza, simultaneamente, o 5º Seminário de Arte Rupestre da Ufba e a 3ª Reunião da Associação Brasileira de Arte Rupestre – ABAR. Mais informações são disponibilizadas através do endereço eletrônico institutojcmo@gmail.com e do sitewww.bahiarqueologica.com.br.

· Evento: Encontro Internacional – ARTE RUPESTRE, 5º Seminário de Arte Rupestre da Universidade Federal da Bahia e a 3ª Reunião da Associação Brasileira de Arte Rupestre – ABAR
· Organização: Grupo de Pesquisa Bahia Arqueológica – UFBA/CNPQ e Instituto Julio Cesar Mello de Oliveira
· Local: Hotel Portal de Lençóis e Auditório Afrânio Peixoto (Cidade de Lençóis, Chapada Diamantina, Bahia)
· Data: 23 a 25 de agosto de 2010
· Contatos: institutojcmo@gmail.com
· Outras informações e inscrições: www.bahiarqueologica.com.br
· Apoios: Governo da Bahia/IPAC/SecultBA, FAPESB, CNPQ, Fundação Pedro Calmon, Agência Volta ao Parque

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115014 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.