Brasília adere a programa para combater pirataria

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.Jornal Grande Bahia compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.

A exemplo das cidades de Curitiba e São Paulo, Brasília agora também faz parte do programa Cidade Livre de Pirataria. A iniciativa integra o Plano Nacional de Combate à Pirataria presidido pelo Ministério da Justiça e prevê o trabalho integrado entre o governo federal e as cidades brasileiras para coibir o comércio de produtos ilegais.

O acordo de cooperação foi assinado hoje (26/08/2010) pelo governador do Distrito Federal, Rogério Rosso, e o presidente do Conselho Nacional de Combate à Pirataria e Delitos Contra a Propriedade Intelectual (CNCP), Rafael Favetti.

“Por trás da pirataria está uma série de procedimentos ilegais e eventuais crimes cometidos, além da possibilidade de trabalho escravo, trabalho infantil e crimes contra o meio ambiente”, explica o governador do Distrito Federal.

Rosso defende que é impossível enfrentar a pirataria sem a integração do governo federal, dos estados e das polícias. Ele lembra que a pirataria só traz aspectos negativos como a redução da arrecadação de impostos, da empregabilidade e do crescimento da economia.

Além de todos esses prejuízos, o presidente do CNCP e secretário executivo do Ministério da Justiça alerta para os perigos da pirataria de remédios.

“Imagine a complicação que um remédio pirata traz na vida de uma pessoa que já está com sua saúde debilitada. E o pior é ela consumir esse remédio pirata colocado a sua disposição pelo crime organizado”, diz ele.

Depois do evento de assinatura, começou o 1º Seminário de Capacitação para o Combate à Pirataria que vai instruir 300 agentes policiais do Distrito Federal que trabalham com a apreensão de mercadorias pirateadas.

Sobre Carlos Augusto 9664 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).