Geddel Vieira Lima fala de propostas para governar a Bahia e desafia Wagner na Rádio Sociedade

Jornal Grande Bahia compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.

Em entrevista concedida nesta quinta-feira (22/07/2010) a José Eduardo (Bocão) na Rádio Sociedade, o candidato a governador da coligação A Bahia Tem Pressa, Geddel Vieira Lima (PMDB), apresentou suas propostas para as áreas de saúde, segurança pública e educação e desafiou o governador do estado, Jaques Wagner, a debater no Palácio de Ondina, com ou sem regras.

Os desafios são em respostas à negativa do governador em participar do debate da União dos Municípios da Bahia (UPB), pelo fato de a instituição ser presidida pelo peemedebista Roberto Maia. “Debato em qualquer lugar, a qualquer hora, em qualquer condição. O homem público que tem ideias, soluções, não tem medo de debater. Eu não fujo de debates”, disse o candidato.

Geddel permaneceu no estúdio da rádio Sociedade durante uma hora, respondendo às perguntas de Bocão sobre seu programa de governo e a campanha eleitoral. Relatou as queixas que tem recebido de moradores e comerciantes das cidades do interior baiano que tem visitado durante a campanha, ressaltando as falhas de gestão em saúde do atual governo.

“O governo divulga que construiu cinco hospitais, mas na verdade foram apenas dois. O de Santo Antonio de Jesus demorou 20 anos para ser construído inclusive com verbas parlamentares. Além disso, o DATASUS mostra que houve redução de quase mil leitos na Bahia”, apontou.

Geddel lembrou ainda das instalações superlotadas nos hospitais públicos, mesmo passados quase quatro anos do governo Wagner. “Se você fizer uma visita surpresa aos hospitais Geral do Estado ou Roberto Santos, vai ver que as pessoas esperam atendimento nos corredores, em macas deixadas ao acaso”. E continuou: “falta também incentivos para os médicos, principalmente para atuarem no interior do estado”.

“Uma das prioridades do meu governo é a criação de um plano de cargos e salários, para que o profissional possa conhecer suas possibilidades de ascensão econômico-financeira”. Outra solução apontada pelo peemedebista é a parceria com a iniciativa privada e a construção de um hospital do Câncer, para desafogar o Hospital Aristides Maltez.

Na área de educação, Geddel exemplificou as falhas da gestão atual, que tem focado o TOPA. “O governo prioriza o TOPA, mas ele apenas ensina a escrever o nome. O aluno continua a ser analfabeto funcional. Seria muito mais interessante investir em creches, ensino fundamental, médio, para que os filhos e netos dessas pessoas fossem alfabetizados de verdade”. Além disso, o candidato falou da autonomia que dará para dirigentes de escolas. “Tudo isso vai mudar e muito a visão da educação na Bahia”, completou.

 O postulante ao governo do estado ressaltou ainda o prazer em manusear as ferramentas da Informática, como o Twitter. “Estou encantado, porque ele me permite interagir. Tenho recebido sugestões, importantes críticas, apoio significativo”, disse.

Geddel deixou a certeza de que irá reverter as pesquisas e garantir sua presença no segundo turno. “Eu estou disputando uma eleição com um ex-governador por duas vezes e ex-senador e com o atual governador. São pessoas muito conhecidas. Mas, temos exemplos recentes de reversão do quadro político: o atual governador saiu candidato e não era conhecido por ninguém; João Henrique tinha um alto índice de rejeição, e hoje está no segundo mandato.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9610 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).