Cepal: mulheres da América Latina trabalham mais e ganham menos

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Logomarca do Jornal Grande Bahia.
Logomarca do Jornal Grande Bahia.

Estudo apresentado na 11ª. Sessão da Conferência Regional sobre Mulheres na América Latina e no Caribe, em Brasília, mostra que mulheres da região ocupam a maioria das posições de baixa remuneração e recebem salários inferiores aos homens para trabalhos de valor igual.

As mulheres latino-americanas continuam a enfrentar discriminação no mercado de trabalho, com salários menores do que os homens, carga horária maior e tempo gasto em atividades domésticas e sem remuneração.

As conclusões estão no relatório ‘Que tipo de Estado? Que tipo de igualdade?, apresentado nesta terça-feira em Brasília na abertura da 11ª. Sessão da Conferência Regional sobre Mulheres na América Latina e no Caribe.

Desafios

O relatório da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, Cepal, revê as conquistas e os desafios enfrentados por governos da região na questão da igualdade de gênero.

O estudo cita o Brasil, onde as mulheres trabalham um total de 56,6 horas por semana, em comparação com 52 horas dos homens. No México a diferença é ainda maior. Mulheres gastam mais de 76 horas no serviço e os homens, pouco mais de 58 horas.

Dados de 2008 mostram ainda que 31,6% das mulheres com mais de 15 anos de idade na região não tinham renda própria. O desemprego também é maior para quem é do sexo feminino, 8,3% em comparação com 5,7%.

Autonomia

Além disso, as mulheres ocupam a maioria das posições de baixa remuneração e recebem salários inferiores para trabalhos de valor igual.

O documento da Cepal enfatiza que o trabalho forma a base para a igualdade de gênero, por isso é essencial que as mulheres tenham autonomia econômica, física e política.

O relatório ressalta ainda a importância de capacitação de mulheres para que exerçam o direito de escolha, participem em igualdade de condições no mercado e na tomada de decisões.

Segundo a Comissão, políticas públicas são necessárias para que exista um novo pacto social para a redistribuição de trabalho entre homens e mulheres.

*Com informações da Rádio ONU

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113486 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]