“Estamos investindo na educação, sabemos que ainda é pouco, mas é um avanço”, diz Tarcízio Pimenta prefeito de Feira de Santana; Confira entrevista

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia (JGB), Tarcízio Pimenta, prefeito de Feira de Santana e Sérgio Jones, repórter do JGB.
Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia (JGB), Tarcízio Pimenta, prefeito de Feira de Santana e Sérgio Jones, repórter do JGB.
Tarcízio Pimenta, prefeito de Feira de Santana.
Tarcízio Pimenta: Reconheço que infelizmente ainda existe uma grande falta de compromisso neste setor principalmente no que diz respeito à preservação das estruturas físicas dos prédios escolares do município.

Última parte da entrevista realizada, pelo Jornal Grande Bahia com Tarcízio Pimenta, prefeito de Feira de Santana.

JGB – O nível da educação pública em Feira de Santana não conseguiu avançar, embora a educação no setor privado seja de boa qualidade. O que de fato está acontecendo com o ensino fundamental do município?

TP – Saúde e educação são setores considerados pelos políticos, principalmente em campanha, como pressupostos básicos de seus respectivos mandatos. Todavia reconheço que temos que ofertar condições e uma melhor qualidade a rede de ensino público que possibilite ao alunado obter a real capacidade de enfrentar as dificuldades existentes para o acesso à universidade e cursos técnicos.

Reconheço que infelizmente ainda existe uma grande falta de compromisso neste setor principalmente no que diz respeito à preservação das estruturas físicas dos prédios escolares do município. Cito como exemplo as escolas situadas na zona rural que em grande parte se encontravam com suas estruturas completamente comprometidas. Em parte isso ocorre por deficiência do poder público por não fiscalizar e ofertar a segurança necessária.

Mas graças a um dossiê que nos foi entregue pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado da Bahia (APLB) no qual traçava minuciosamente o perfíl das condições físicas dos prédios escolares, nos ajudou para que procedessémos a sua efetiva recuperação. Em apenas um ano reformamos mais de 50 escolas e estas, em sua maioria, estão sendo informatizadas, além de termos dado início ao projeto de alfabetização digital em mais de 30 escolas.

O projeto abrange desde o porteiro ao diretor do órgão. Entendo que para uma maioria dos professores investimentos tem que ser feito apenas um folha salarial, isso é importante e nós estamos fazendo. Mas isso não é tudo, existem outros segmentos importantes nesta área que não podem ficar à margem do processo. Estamos investindo na educação, sabemos que ainda é muito pouco, mas é um avanço.

JGB – Qual é a perspectiva de seu governo de aporte financeiro para Feira de Santana?

TP – Eu tenho um projeto em Brasília orçado em R$ 5 milhões. Projeto de complementação das ocorrências das chuvas que resultaram em graves problemas para o município que é enfrentado até os dias de hoje pela nossa administração: rompimento de canais, destruição da pavimentação de várias vias urbanas, estradas de acesso à zona rural, entre outros. Importante esclarecer que a nossa administração é sensível a todos estes problemas. Também quero observar que o nosso governo é responsável pelo maior número de cadastramento de emendas junto ao governo federal. Se houver a liberação destes recursos vamos ter muitas obras realizadas em Feira.

JGB – Como o senhor avalia o momento político para o PSDB/DEM e as dificuldades para compor as chapas majoritárias. Isso não demonstra certo enfraquecimento destas agremiações políticas?

TP – Eu acredito que toda essa situação não passa de uma articulação política. Como todos nós sabemos a política se alimenta de fatos e atualmente estas forças disputam eleições para a mojoritária que estão muito divididas. No pasado, elas se concentravam em apenas dois patidos. Hoje não, é um jogo de paciência.

JGB – segundo informações obtidas junto a uma fonte nossa foi celebrado um acordo entre o ex-prefeito José Ronaldo e o deputado federal ACM Neto, com relação à candidatura ao senado, e que ele passaria através de um apoio a candidatura da sua reeleição. Na época o senhor estava recepcionando todas as visitas do governo Wagner à Feira de Santana. Curiosamente, na última visita do governador ao município, o prefeito estava na cidade e não compareceu como vinha ocorrendo anteriormente. Houve o acordo ou não?

TP – Não, durante a última visita de Wagenr à nossa cidade o ato ficou restrito a entrega de viaturas no Complexo Policial o que não é atinente a administração pública municipal. Volto a repetir que todas as vezes que o governador vier oficialmente à Feira, não existe de minha parte nenhum impedimento em recebê-lo.

JGB – A coligação DEM/PSDB em nível estadual, de acordo com a sua experiência política, vai contar com um ou dois candidatos ao Senado?

TP – Pelo que estou a perceber, tudo está convergindo para apenas um candidato. Embora eu creia que outros caminhos possam ser traçados. Até mesmo pelo fato de que essas decisões nacionais não passam por aqui.

Edson Borges, secretário de Comunicação, Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia (JGB) e Tarcízio Pimenta, prefeito de Feira de Santana.
Edson Borges, secretário de Comunicação, Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia (JGB) e Tarcízio Pimenta, prefeito de Feira de Santana.
Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia (JGB), Tarcízio Pimenta, prefeito de Feira de Santana e Sérgio Jones, repórter do JGB.
Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia (JGB), Tarcízio Pimenta, prefeito de Feira de Santana e Sérgio Jones, repórter do JGB.
Sobre Carlos Augusto 9669 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).