Monsanto patente, carte blanche | Por José Carlos García Fajardo

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia compromisso em informar.

Os E.U. transnacional Monsanto foi acusado pelo governo brasileiro para manipular a informação sobre a toxicidade de seus produtos. Em caso de perder o caso, a Monsanto vai pagar US $ 850.000 para o governo do país como compensação. A empresa faturado cerca de 8.000 milhões de euros durante o ano passado. Durante anos, muitos rostos causas semelhantes. Legislação em 71 países em que opera não exclui a empresa para enfrentar o processo, pagamento de multas e “reparações” e continuar a maximização do lucro.

Por mais de 100 anos, a Monsanto tem vários produtos no mercado com toxicidade comprovada. Um deles, bifenil polivinil, mais conhecido como PCB, é considerada pelas Nações Unidas como um dos poluentes mais nocivos aos seres humanos. Seu uso é proibido em todo o mundo, mas a 70 foi prorrogada para uso no setor de agroquímicos. Assim, está presente no corpo de água ao redor do planeta.

A exposição humana a este produto tem tido efeitos negativos sobre a saúde humana. Os estudos não são conclusivos e documentação dos danos à população. Nunca um diretor de Monsanto tem aparecido no tribunal responsabilidade. Eles sempre pago uma indemnização sem interromper as suas linhas de produção.

Hoje, a Monsanto tem uma política comercial focada na produção de recursos e insumos agrícolas. Apesar de ser uma empresa química, é definido como uma empresa do sector da agricultura. “A população mundial está crescendo, de acompanhar o ritmo de crescimento da população de agricultores devem produzir mais alimentos ao longo dos próximos cinqüenta anos do que durante os últimos 10 mil, os agricultores da América enfrentará o desafio”, diz o site.

Nos últimos anos, a Monsanto tem-se centrado na produção de patentes e de terapia genética em sementes que o torna resistente aos herbicidas do que a própria fábrica da empresa. O principal componente desses herbicidas, o glifosato é um produto não tóxico e biodegradável, apesar das tentativas da empresa de anunciá-lo como tal. A comunidade científica internacional argumenta que o impacto do glifosato é muito negativo para a população eo ecossistema. A imprensa transnacional para obter a cumplicidade de governos no desenvolvimento da política agrícola do imperialismo que se prepara para alterar os parâmetros da soberania alimentar e já transformou a figura do agricultor.

A modificação genética de alimentos pode ser entendido como uma forma de resolver os problemas da fome no mundo. Mas o trabalho da Monsanto não é altruísta em tudo, tanto quanto a empresa tenta disfarçar suas intenções éticas. Os planos estratégicos vejamos uma clara intenção: tornar-se o monopólio das patentes de toda a produção a partir do uso do que tem sido chamado de “biotecnologia”. O agricultor torna-se um fazendeiro. A produção deixa de ter valor local para se tornar uma fonte de abastecimento para as superestruturas de países desenvolvidos. A posse de patentes concedidas para a posição de uma multinacional dominante, abrangendo todas as fases da produção agrícola.

Desta forma, a Monsanto está em posição de ter, se ele pode ganhar o controle total do gene, a capacidade de bloquear o sistema agrícola internacional. Autonomia do agricultor desaparece ao largo da carta branca que lhe foi dado a esta empresa uma vez que, no momento da administração Reagan começou a desregulamentação em uma “final” liberal. A ameaça à biodiversidade e as ameaças aos povos são “efeitos colaterais” na corrida por um prêmio tão grande quanto o planeta inteiro. Um planeta que pode acabar por ser patenteado, planeta Monsanto.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113546 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]