Exclusiva: Deputado federal Domingos Leonelli afirma que vereador Roberto Tourinho terá que rever a posição e apoiar um candidato à deputado do PSB

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Domingos Leonelli sobre Roberto Tourinho: Ele terá que reformular sua posição. Porque é uma decisão do Diretório Nacional, que os vereadores filiados ao PSB apoiem um candidato a deputado federal do PSB.
Domingos Leonelli sobre Roberto Tourinho: Ele terá que reformular sua posição. Porque é uma decisão do Diretório Nacional, que os vereadores filiados ao PSB apoiem um candidato a deputado federal do PSB.
Domingos Leonelli sobre Roberto Tourinho: Ele terá que reformular sua posição. Porque é uma decisão do Diretório Nacional, que os vereadores filiados ao PSB apoiem um candidato a deputado federal do PSB.
Domingos Leonelli sobre Roberto Tourinho: Ele terá que reformular sua posição. Porque é uma decisão do Diretório Nacional, que os vereadores filiados ao PSB apoiem um candidato a deputado federal do PSB.

O deputado federal e ex-secretário do governo Wagner na SETUR (Secretária de Turismo do Estado da Bahia), Domingos Leonelli Neto, filiado ao PSB (Partido Socialista Brasileiro) foi entrevistado pela equipe do JGB, durante encontro de prefeitos da Chapada Diamantina, em Andaraí, no último dia 22 de maio. Ele lembrou que tem um carinho especial por Feira de Santana, por ter sido lançado candidato a deputado estadual por Francisco Pinto (ex-prefeito do município, cassado pelo regime militar).

Durante a entrevista citou que uma resolução nacional do partido, aprovada na véspera, obriga que vereadores e outros membros filiados ao partido, são obrigados a apoiar os candidatos do PSB. Quando perguntado sobre a situação do vereador de Feira de Santana, Roberto Tourinho (PSB) que apoia o deputado federal Sérgio Carneiro (PT/BA)? Ele foi enfático e disse que Tourinho terá que rever sua posição, pois esta é a decisão do partido. Confira a entrevista concedida por Leonelli.

JGB – Como o senhor avalia a candidatura de Lídice da Mata ao senado federal pelo PSB, na chapa majoritária do Governador Jaques Wagner?

Leonelli – Lídice cumpre uma trajetória pioneira. Foi a primeira prefeita da capital do estado, Salvador. E agora será a primeira senadora da história da Bahia. Tem sido uma aliada leal e correta do governador Jaques Wagner e isto significa que a primeira decisão do governador na chapa majoritária foi assegurar a pré-candidatura de Lídice ao senado.

É uma decisão política, mas também é afetiva e de confiança, de luta conjunta. Isto é uma coisa muito boa para o PSB. Ter uma candidata ao senado. Para o PSB nacional, ter uma senadora na composição majoritária é algo significativo.

JGB – Atualmente ela é deputada federal pelo PSB. Isto não abre a possibilidade para o partido lançar e apoiar outros nomes à Câmara Federal?

Leonelli – O fato de Lídice sair candidata ao senado acabou por nos criar um problema na Câmara Federal, que é substitui-la. A Câmara Federal determina coisas essenciais ao funcionamento de um partido, como o tempo de televisão e o fundo partidário. Que são definidos pelo número de deputados federais e não de senadores.

É necessário que o partido mantenha o número de deputados na Câmara. Fui secretário de turismo do Governo Wagner e tive o seu apoio, bem como do trade de turismo baiano. Fui em busca de colegas de partido e provoquei alguns, a exemplo do Capitão Tadeu e Sérgio Gaudenzi, ambos declinaram do convite de participarem das eleições de 2010 como candidatos a deputado federal. Tive que assumir a responsabilidade de sair candidato mais uma vez, como deputado federal.

Retomando uma trajetória que eu já havia interrompido, e tive que voltar ao cargo proporcional. Em política não fazemos sempre o que queremos, mas o que é necessário ser feito. Por está razão é que me coloco como pré-candidato a deputado federal pelo PSB.

JGB – Como o PSB vai participar no processo eleitoral de 2010 na Bahia?

Leonelli – Nós iremos participar de um chapão, que deve unir o PT, PSB, PP, PDT, além de outros partidos da base de apoio do governo Wagner. Esta coligação exigirá uma votação expressiva dos candidatos a deputado federal. Vou ter que disputar com políticos como João Leão, Mário Negromoente, Rui Costa e Afonso Florence, para citar alguns que considero forte eleitoralmente.

JGB – Quais nomes o partido tem apoiado para deputado federal?

Leonelli – No nosso campo temos os companheiros: Bebeto da força sindical, Edson Dantas, vereador em Itabuna; Edmo Lima, que atua na aréa jurídica e do funcionalismo público; Joaquim Fonseca da CDL(Câmara dos Dirigentes Lojistas), enfim teremos cinco ou seis nomes como candidatos a deputado federal. Alguns partidos lançaram um número mais reduzido de pré-candidatos a deputados federal, a exemplo do PcdoB, que deve lançar: Alice Portugal, Daniel Almeida e Edosn Pimenta, este, sai de deputado estadual para federal. Será uma disputa dura e espero contar com o apoio de nomes do nosso campo.

Participei ontem de uma reunião do diretório nacional do PSB (21/05) e ficou decidido que é obrigatório para prefeitos, vereadores, cargos de confiança, dirigentes partidários e deputados estaduais a obrigatoriedade de apoiarem um nome do PSB como candidato a deputado federal. Devido aos fatores Tempo de Tevê e fundo partidário. Porém os nomes para deputado estaduais estão liberados desta obrigatoriedade, devido ao fato dos atuais prefeitos terem assumido compromissos como deputados de diversas correntes.

JGB – Como o senhor avalia a dobradinha PSB/PT em Andaraí?

Leonelli – Em Andaraí, Wilson Cardoso, prefeito do município e filiado ao PSB, está nos apoiando, ao mesmo tempo em que apoia a candidatura de Zé Neto a deputado estadual pelo PT. Inclusive o prefeito é responsável pela coordenação de nossa campanha na região da chapada diamantina. O deputado Zé Neto é uma pessoa querida por todos nós, tanto do PT como do PSB.

JGB – Como fica a situação do vereador feirense Roberto Tourinho (PSB)?

Leonelli – Volto a afirmar que para deputado federal, os dirigentes partidários, vereadores, cargos de confiança, prefeitos e deputados estaduais ou candidatos terão que optar por um dos nomes do PSB. Roberto Tourinho é um grande vereador. A expressão de uma vida política e uma atividade que muitos nos honra e quero muito que Roberto Tourinho seja um parceiro nosso nesta eleição.

Ele terá que reformular sua posição. Porque é uma decisão do Diretório Nacional, que os vereadores filiados ao PSB apoiem um candidato a deputado federal do PSB. Pelas necessidades citadas anteriormente.

Roberto Tourinho é um grande parceiro nosso e terá todo o nosso apoio caso seja confirmado como candidato a deputado estadual e será candidato. Obviamente que se trata de um companheiro correto, fiel e absolutamente leal aos ideias do socialismo e sabe que só poderá ser candidato a deputado estadual caso obedeça às resoluções partidárias.

JGB – Quais as realizações o senhor destacaria quando secretário do Governo Wagner?

Leonelli – O que me deu mais prazer em realizar como secretário do governo Wagner foi gerar e qualificar a formação da mão de obra ligada ao turismo. Foram duas tarefas que desenvolvi como maior prazer e convicção de que estava fazendo a coisa certa. Atrair investimentos para gerar empregos e qualificar os baianos para ocupar os cargos criados.

Saiba + sobre a biografia de Domingos Leonelli Netto (PSB/BA)

Nascimento: 21/01/1946

Naturalidade: Salvador, BA

Profissão: Publicitário

Filiação: Dante Leonelli e Jacy Ribeiro Leonelli

Legislaturas: 1983-1987, 1987-1991 e 1995-1999.

Gabinete

Mandatos Eletivos: Deputado Estadual, 1979-1983, BA, MDB; Deputado Federal, 1983-1987, BA, PMDB. Dt. Posse: 01/02/1983; Deputado Federal (Constituinte), 1987-1991, BA, PMDB. Dt. Posse: 01/02/1987; Deputado Federal, 1995-1999, BA, PSDB. Dt. Posse: 01/02/1995.

Licenças

Licenciou-se do mandato de Deputado Federal na legislatura 1987-1991, para tratamento de saúde, por 2 (dois) dias, a partir de 22 de março de 1988. Licenciou-se do mandato de Deputado Federal na legislatura 1995-1999, para tratamento de saúde, por 5 (cinco) dias, a partir de 29 de janeiro, e por 8 (oito) dias, a partir de 20 de março de 1996; por 2 (dois) dias, a partir de 20 de outubro de 1997.

Filiações Partidárias

MDB, 1966-1980; PMDB, 1980-1989; PSB, 1989-1990; PSDB, 1992-1997; PSB, 1997-.

Atividades Partidárias

Vice-Líder do PMDB, 1987; Vice-Líder, PSDB, 1997.

Atividades Profissionais e Cargos Públicos

Diretor, Cia. Teatro ARENA da Bahia, Salvador, 1965-1966; Diretor de Criação, VOX Propaganda, GFM, PROPEG, PLUBIVENDAS e ENGENHO, Salvador, BA, 1967-1978. Secretário de Comunicação do Estado da Bahia, 1993-1994; Secretário-Geral de Programa de Desenvolvimento e Ações Estratégicas da Administração Municipal, Prefeitura Municipal, Salvador, BA, 1993-1994.

Seminários, Conferências e Congressos

Seminário Internacional sobre o Futuro do Socialismo, Madri, Espanha, 1990; Colloque L’Echange Dette Nature, 1991; Seminário de Cooperação Científica, Tecnológica e Meio Ambiente, Bari, Itália, 1991; Seminário Internacional sobre o Futuro do Trabalho, Madri, Espanha, 1992; Seminário Internacional sobre Planejamento Estratégico, Barcelona, Espanha, 1993.

Atividades Parlamentares

ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE: Subcomissão de Defesa do Estado, da Sociedade e de sua Segurança, da Comissão da Organização Eleitoral, Partidária e Garantia das Instituições: Suplente, 1987; Subcomissão dos Direitos dos Trabalhadores e Servidores Públicos, da Comissão da Ordem Social: Titular, 1987 CÂMARA DOS DEPUTADOS: Comissões Permanentes : Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, Titular, 1995-1997, e 1997-1998; Comunicação, 1985-1987; Direitos Humanos, Suplente, 1995-1996; Economia, Indústria e Comércio, Suplente, 1995-1996; Fiscalização Financeira e Controle, Suplente, 1995; Índio, Suplente, 1983-1987; Interior, Titular, 1983-1985; Relações Exteriores: Membro, 1989; Trabalho e Legislação Social, Suplente, 1983-1987; Trabalho, Administração e Serviço Público, Titular, 1995 e 1998-1999, e Suplente, 1996-1998. Comissões Temporárias : Comissão Especial – Analisar a Questão do Desemprego: Titular, 1997-1999; Cassinos no Brasil: Suplente, 1995-1999; PEC nº 3/95, Serviços de Telecomunicações: Suplente, 1995; PEC nº 188/94, Anistia dos Militares: Suplente, 1995; PL nº 2.648/96, Telecomunicações: Suplente, 1997; PL nº 5.430/90, Legislação sobre Direitos Autorais: Titular, 1997. Comissão Externa – Manifestações Populares, Salvador, BA: Titular, 1997; Recepção e Acompanhamento da Visita de Integrantes do Movimento dos Sem-Terra: Titular, 1997; Conflitos Agrários no País: Titular, 1997-1999. CPI – Recursos Hídricos: Titular, 1983.

Conselhos

Membro, Conselho do Comitê de Direção da Revista Socialismo do Futuro.

Obras Publicadas

NETTO, Domingos Leonelli. Esquerda: pluralismo e revolução: textos e entrevistas. Salvador: Instituto Pensar, [1994?]. 69p.

Missões Oficiais

Membro, Comissão representante da Câmara dos Deputados, em viagem à África do Sul com finalidade de estabelecer entendimentos para a vinda ao Brasil do Senhor Nelson Magela, 1990; Participou, como membro da Delegação Brasileira do Grupo Brasileiro da Associação Interparlamentar de Turismo, de reuniões no Parlamento britânico e nas repartições encarregadas do turismo naquele país, 1995.

Lídice da Mata, José Cerqueira Neto (Zé Neto), Domingos Leonelli e Wilson Paes Cardoso, durante encontro em Andaraí.
Lídice da Mata, José Cerqueira Neto (Zé Neto), Domingos Leonelli e Wilson Paes Cardoso, durante encontro em Andaraí.
Sobre Carlos Augusto 9669 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).