Radialista Gerinaldo Costa parte em defesa do prefeito de Santa Bárbara e chama jornalistas de oportunistas

Restos mortais jogados em lixão a céu aberto, em Santa Bárbara, pela gestão do prefeito Jailson Costa.
O prefeito de Santana Bárbara Jailson Costa dos Santos e Gerinaldo Costa Alves, servidor público e radialista.
O prefeito de Santana Bárbara Jailson Costa dos Santos e Gerinaldo Costa Alves, servidor público e radialista.
Restos mortais jogados em lixão a céu aberto, em Santa Bárbara, pela gestão do prefeito Jailson Costa.
Restos mortais jogados em lixão a céu aberto, em Santa Bárbara, pela gestão do prefeito Jailson Costa.

O neo radialista Gerinaldo Costa Alves partiu em defesa do prefeito de Santana Bárbara, Jailson Costa (PT), ao dizer que a ação que motivou as graves denunciais, com repercussão nacional, foram políticas.

Ao entrar em contato com Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia (JGB), Gerinaldo Costa questionou a isenção e a imparcialidade da matéria, que se constitui em um dos maiores furos jornalísticos da atualidade.

Talvez o neo radialista não queira somar-se a indignação e comoção encontradas no povo de Santa Bárbara ao saberem dos fatos amplamente documentados em primeira mão pela equipe do JGB e do programa de radiojornalismo Ronda Policial.

Eis os fatos:

Fomos ao local do evento em primeira mão.

Ouvimos testemunhas oculares dos crimes perpetrados pela administração pública de Santa Bárbara.

Gravamos e fotografamos o local onde se encontravam as evidências do hediondo crime.

Ouvimos uma gravação onde o prefeito declara ter autorizado que o serviço foi realizado.

Fomos testemunhas oculares dos crimes cometidos.

O radialista Gerinaldo Costa não foi ao local onde ocorreram os crimes. Esteve sim, no gabinete do prefeito, conchavando Deus sabe o que? Para assumir Deus sabe qual posição? E em troca de que, a defesa do alcaide municipal.

Em defesa do prefeito, Gerinaldo Costa acusa a imprensa de criar estardalhaço com os fatos divulgados. Sobre este aspecto, o radialista deve estar anestesiado para com o desrespeito com o qual tratou a saúde pública, para não citar a memória do povo barbarense.

Em defesa, o próprio prefeito argumenta que tentava fazer o bem. O que resultou na exposição a graves riscos de saúde dos concidadãos. Mas, esperar o que, de alguém tão despreparado para assumir o comando de uma prefeitura. O mínimo e mais sensato é que assumisse o seu grave erro e pedisse desculpa ao povo. Mas prefere escudar-se em inquéritos administrativos que apontem os responsáveis. Como se ele não soubesse e não tivesse ordenado os atos criminosos.

Vai ver Gerinaldo Costa, as equipes do JGB e do Ronda Policial mandaram derrubar o muro do cemitério, contrataram caçambas abertas e mandaram que removessem restos mortais e os jogassem em um lixão a céu aberto.

Certamente nós estamos errados em condenar a inépcia do prefeito Jailson Costa dos Santos. Estamos errados em defender que ele seja processado criminalmente pelos atos irresponsáveis realizados em sua gestão. Talvez certo esteja você e culpado nós que defendemos uma sociedade com maior responsabilidade. Jornalismo deve ser o seu. Que tem o lad, o do poder e não o do povo. Nós escolhemos o nosso. Que é o condenar atos que vão de encontro ao interesse público, atinja a quem atingir.

Existem homens e cães. Os homens podem cometer o mau, pois nele habitam o Yin-yang, o bem e o mau, vence aquele que o indivíduo alimenta. Hoje, vejo em você um cão, que para sobreviver serve ao seu dono, com fidelidade, pois este o alimenta, e não falo apenas do alimento do dinheiro, mas também das ideias ou falta delas.

Sobre Carlos Augusto 9506 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).