Zé Neto: nem sempre é fácil, passar muito tempo enfrentando o adversário. E de repente, ele bate à sua porta e diz: quero ser seu aliado”

Logomarca do Jornal Grande Bahia.
Logomarca do Jornal Grande Bahia.

1ª Parte da entrevista com o deputado Zé Neto.

Dando início às entrevistas com os pré-candidatos a deputados, o Jornal Grande Bahia. Com. Br realiza interessante encontro com o deputado estadual Zé Neto (José Cerqueira de Santana Neto – PT/BA). Onde realiza ampla abordagem sobre assuntos diversos em relação o momento político em Feira de Santana. Dentre os temas abordados destacam-se a candidatura a reeleição, o racha do PT feirense e sua relação com os novos aliados do PP e PR. A entrevista será publicada em três blocos.

JGB – O senhor é candidato a reeleição?

Zé Neto – Sim, parto para o terceiro mandato estadual com a perspectiva agora de poder exercitar com mais vigor o aprendizado adquirido nos mandatos anteriores. Estamos vivedo pela primeira vez a experiência de ser governo e obviamente isto nos traz outra visão da máquina administrativa, da construação das coisas e da execução dos projetos.

JGB – Quem vivência a política baiana acredita que o seu mandato, enquanto deputado estadual, tem crescido bastante. Por que não tentar a candidatura a deputado federal?

Zé Neto – Existem vários motivos, o primeiro é a família que reside em Feira e eu não quero me distanciar do convívio deles e da cidade, o segundo é a questão política. Eu e o deputado Waldenor desenvolvemos um trabalho importante na Assembleia. Ele é candidato a federal e com a saída dos dois o governo se resentiria com essa situação. Também pelo fato de que eu pretendo dar continuidade ao trabalho que venho construindo ao longo desses anos e neste mandato, tenho certeza que me reelegendo poderei ser muito mais útil para a Bahia.

JGB – Tendo base política em Feira, o que foi possível avançar em termos de ações estaduais e federais no município e o que deixou a desejar. O deputado pode fazer uma síntese da situação?

Zé Neto – Nos úlitmos oito anos, Feira gozou de um grande desenvolvimento. A presença do presidente Lula em todo esse processo tem sido marcante. Hoje temos mais de 45 mil bolsas famílias no município; fortes investimentos da Caixa Econômica, do qual participei diretamente, implantação do projeto de moradia, além de investimentos em saneamento básico, na geração de emprego e renda, ampliação do mercado imobiliário e agora com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que está sendo responsável por investimentos que estão gerando milhões de empregos em todo o país.

O governo do Estado implantou projeto na Embasa que supera os R$ 25 milhões, na construção do Hospital da Criança os custos chegam próximo aos R$ 56 milhões, além de várias reformas empreendidas no Hospital Geral Cleriston Andrade (HGCA), que ao longo desses três anos os seus custos foram superiores a R$ 20 milhões, a reforma em 68 prédios escolares. Todas estas ações de cunho social implicam no desenvolvimento vivido hoje no Brasil. E o mais significativo, o aquecimento do salário mínimo. Estas ações repercutem principalmente em uma cidade do porte de Feira, com resultados muito positivo. Ainda este ano estaremos concluindo o projeto do Pólo Logístico, entre outros projetos a exemplo da obra da Av. Ayrton Senna, remanejamento de 790 famílias que residem na Lagoa Grande, local que passará por uma ampla recomposição estrutural. O governo do Estado juntamente com a prefeitura vão dar início, ainda este ano, a construção da Aveninada Nóide Cerqueira.

JGB – Comentá-se que o senhor intercedeu junto ao Estado para que fosse investido R$1, 5 milhão na Fundação Senhor dos Passos. O que existe de concreto neste sentido?

Zé Neto – Na verdade, alguns anos atrás, eles queriam vender um prédio da arquidiocese e a pedido da própria Fundação e do arcebispo Dom Itamar fomos até o governador e conseguimos efetuar esta compra, o que por certo contribuiu para com esta entidade religiosa, que realiza um bom trabalho em Feira e região.

JGB – Em Feira permanece o racha político existente no PT, os filiados estão divididos entre o deputado federal Sérgio Carneiro e o deputado estadual José Neto. Tal postura passa a impressão, para o eleitor, de que os interesses de ambos se sobrepõem ao do partido, quando a regra deveria ser inversa. Há perspectivas de se promover a união dos petistas e o que o deputado Neto tem feito neste sentido?

Zé Neto – Os petistas estão unificados com a presidência de Jaime Cruz, nós vamos equilibrar ainda mais esta relação. Da minha parte no tocante ao deputado Sérgio Carneiro não tem nenhum atrito. O que houve anteriormente foram dificuldades geradas pelas prévias, talvez se eu tivesse saido vitorioso não estaria hoje com a dimensão que o meu mandato tem. Atualmente conpreendo toda esta situação como um acontecimento natural inserido em um contexto no qual o tempo é o senhor da razão. A minha grande experiência política foi obtida nos últimos dois anos, com a minha participação em outras campanhas do PT e principalmente com as minhas idas ao interior baiano, onde logrei muito êxito.

JGB – Qual a avaliação que o senhor faz do trabalho do deputado Sérgio Carneiro, em Feira?

Zé Neto – Ele é um ótimo parlamentar que tem desenvolvido um trabalho intelectual muito expressivo no congresso. E que tem contribuido à sua meneira para que tanto o presidente Lula quanto o governador Wagner consigam avançar em seus projetos.

JGB – Jairo Carneiro, Eliana Boaventura, César Borges, Otto Alencar e Fernando de Fabinho, o que mudou foi o PT, o senhor ou foram eles?

Zé Neto – Nós estamos onde sempre estivemos, estamos conquistando corações e mentes. Nem sempre é fácil passar muito tempo enfrentando e combatendo o adversário e de repente, ele bate à sua porta e fala: agora eu quero estar ao seu lado. É natural que a militância reclame e com rezão, eles têm as suas motivações históricas que acumuladas geram insatisfações no acolhimento de algumas figuras. Mas é bom lembrar que Lula hoje conta com 85% de aceitação porque teve a capacidade de dialogar com todos os setores. Nós estamos fazendo uma construção no Brasil que não foi fácil no início do governo aceitar Collor, Sarney e tantos outros que por longo tempo foram nossos algozes políticos. E hoje, a sustentabilidade do governo federal passa por essas alianças. Aqui na Bahia não é diferente, o governo de Wagner é de coalisão. Ao elegermos Wagner, ele só contava com uma bancada de 14 deputados estaduais, quando precisavamos de 38 membros para manter maioria nas comissões.

Os 24 deputados que faltavam fomos buscar os seus apoios fora do PT e atualmente contamos com um número bem superior às nossas necessidades. E esses são oriundos de grupos políticos do carlismo e de outros matizes consideradas conservadoras. No meu caso, que sou presidente da Comissaão de Justiça, diariamente tenho que estar dialogando com eles, obivamente cvompreendo que temos quer estar acima dessas divergências consideradas naturais. Mas, sempre sabendo o que queremos e onde nós estamos e que ainda continuamos com o mesmo horizonte que historicamente nos trouxe desde o primeiro momento da criação do PT.

Biografia do deputado Zé Neto

Nome: José Cerqueira de Santana Neto

Profissão: Advogado

Nascimento: 30 de março de 1964, Feira de Santana-BA

Filiação: Epifânio Ferreira e Maria Santana Ferreira

Formação Educacional

Cursou o Primário na Escola Ubaldina Régis, o Ginasial na Escola Assis Chateaubriand e o Secundário na Escola Áureo Filho, em Feira de Santana. Formou-se em Direito pela Universidade Federal da Bahia, UFBA, 1989.

Atividade Profissional

Advogado autônomo, 1991-2001, Feira de Santana.

Mandato Eletivo

Eleito vereador pelo Partido dos Trabalhadores, PT, 2001-2004 em Feira de Santana, renunciou em 2003. Deputado estadual, PT, 2003-2007; reeleito deputado estadual, PT, 2007-2011.

Filiação Partidária

PT, 1989 – 2009.

Atividade Partidária

Líder do PT, CM, Feira de Santana, BA, 2001-2002; 2º vice-líder do PT, ALBA, fev./abr.2004.

Atividade Parlamentar

Na Assembléia Legislativa, presidente das Comissões: Proteção ao Meio Ambiente (2005-2006), Constituição e Justiça (2007-2010); vice-presidente das Comissões: Saúde e Saneamento (2003-2004,2006), Especial para Reforma do Regimento Interno (abr./ago.2003), Constituição e Justiça (2005-2006); relator da CPI para Proceder Investig. Acerca da Crise Finan. da Ebal (2007); titular das Comissões: Finanças e Orçamento (2003-2004), Saúde e Saneamento (2005, 2007-2008), Proteção ao Meio Ambiente (2005), Especial para Atualização e Reforma do Regimento Interno (2005), Especial para Reforma do Regimento (2007), Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos (2009); suplente das Comissões: Constituição e Justiça (2003-2004), CPI para Apurar Denúncias de Escuta Telefônica de Determinadas Autoridades (mar./abr.2003), Especial de Desenvolvimento Urbano e Habitação (abr./set. 2003), Especial para Reforma do Regimento Interno (ago.2003, 2005), Especial de Combate à Fome (2005-2006), Proteção ao Meio Ambiente (mar./abr. 2007), Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos (jun.2007-2008, 2009-2010), Saúde e Saneamento (2008-2010), Finanças, Orçamento, Fiscalização e Controle (2009).

Contato

Endereço: Prédio Anexo, gab. 207, Nelson David Ribeiro

Tel.: 3115-5291/3115-5292/3115-5529/3115-7001/3115-7133 Fax.: 5528

Site: http://www.zeneto.com.br/

E-mail: zeneto@alba.ba.gov.br

Leia a 2º parte da entrevista

Deputado Zé Neto: Paulo Souto vive um momento de completo isolamento. Afastado da máquina administrativa não sabe fazer política

3º parte da entrevista

O governo de Tarcízio Pimenta é considerado bom porque se beneficia das políticas públicas do presidente Lula, diz Zé Neto

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 114881 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.