Noite de premiação do cinema quebra tabus em 2010

Kathryn Bigelow ganha o Oscar de melhor diretora.Kathryn Bigelow ganha o Oscar de melhor diretora.
Kathryn Bigelow ganha o Oscar de melhor diretora.

Kathryn Bigelow ganha o Oscar de melhor diretora.

Depois de 50 anos, Academia volta a conceder Oscar a ator de língua alemã e declara, pela primeira vez, uma mulher na função de melhor diretora.

A estreia de Christoph Waltz em Hollywood não poderia ter sido mais produtiva. Conhecido na Europa por papeis interpretados na televisão e no teatro, o austríaco levou neste domingo (07/03/2010) o Oscar de melhor ator coadjuvante em sua primeira grande aparição no cinema – e acabou com o regime de 50 anos sem estatueta para um ator de língua alemã.

Na pele de Hans Landa em Bastardos Inglórios, Waltz vive um coronel nazista sarcástico, habilidoso com idiomas e faro apurado para encontrar esconderijos de judeus. A interpretação do ator de 53 anos já havia lhe rendido premiações no Bafta, em Cannes e um Globo de Ouro.

“Eu sempre quis descobrir um novo continente. E achei que deveria seguir ‘esse lado’. Mas então fui apresentado a Quentin Tarantino e entrei nessa expedição”, disse Waltz em seu discurso de agradecimento, lembrando a forma pouco ortodoxa de Tarantino ao contar a história.

Quebra de paradigmas

Pela primeira vez nos 82 anos de história da Academia, o prêmio como melhor diretora foi dado a uma mulher. Kathryn Bigelow dirigiu Guerra ao Terror, um drama de guerra ambientado no Iraque, que acompanha um esquadrão norte-americano que desarma bombas.

“Eu gostaria de dedicá-lo a todas as mulheres e homens militares, que arriscam suas vidas diariamente no Iraque, Afeganistão e em outras partes do mundo”, agradeceu. O filme também levou outras cinco estatuetas: melhor filme, roteiro original, montagem, edição de som e mixagem de som.

E Sandra Bullock fez história na edição de 2010 ao ser premiada como melhor e pior atriz da temporada. No sábado (06/03), ela havia recebido a Framboesa de Ouro pela comédia romântica Maluca Paixão. E, na grande noite do cinema, Bullock levou a estatueta pelo trabalho em Um sonho possível.

A atriz levou o primeiro Oscar pela interpretação de Anne Tuohy, uma mãe rica que transforma um jovem sem-teto em jogador de futebol.

Latino premiado

O segredo de seus olhos, história dirigida pelo argentino Juan Jose Campanella, foi o melhor filme estrangeiro. Esta foi a sexta vez que um filme argentino é indicado – e a segunda que conquista o prêmio.

O longa-metragem mostra o promotor aposentado Benjamin Esposito e seus planos de escrever um livro baseado num caso de estupro e assassinato registrado há 25 anos. O filme de Campanella derrotou o alemão A fita branca, considerado favorito.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]