No Tribunal de Justiça da Bahia tem secretária recebendo R$ 17 mil. Você não gostaria de ter um emprego deste?

Logomarca do Jornal Grande Bahia..
Logomarca do Jornal Grande Bahia..

Servidores que exercem cargos de confiança no TJBA recebem irregularmente benefícios conhecidos como “adicional de função”

A inobservância no trato do dinheiro público por setores da sociedade que tem a obrigação e o dever de zelar pela sua devida aplicação tem sido uma das prinicipais mazelas no Brasil. Remunerações que chegam a R$52 mil e descumprimento da lei que obriga que metade dos cargos de confiança sejam ocupados por servidores concursados foram descobertos depois que o Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) foi obrigado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a divulgar sua folha de pagamento.

Diretores, chefes, supervisores e assessores que exercem cargos de confiança no TJ-BA recebem irregularmente o benefício conhecido como “adicional de função”. A resolução 88 do CNJ indica que pelo menos 50% dos cargos de confiança sejam ocupados por servidores da casa. Mas, dos 617 postos de confiança, apenas 129 são ocupados por servidores efetivos (20,9%). Outros 488 (79,9%) são ocupados por profissionais sem vínculo efetivo com o TJ-BA. O “adicional de função” é um benefício concedido “sem critério objetivo”, de acordo com ofício enviado da Secretaria de Controle Interno do CNJ ao TJ-BA em 9 de fevereiro.

O supervisor de expediente lotado na Comissão de Reforma Judiciária Administrativa da Comarca de Salvador tem remuneração básica (vencimentos e vantagens permanentes) de R$3.839,47. Mas, com os adicionais, o vencimento ultrapassou os R$52 mil em janeiro. O salto foi originário de “vantagens pessoais” no valor de R$22.268,88, mais R$450,00 de auxílios e R$26.108,35 de vantagens eventuais.

A desembargadora Telma Brito, recém empossada presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, reconhece a necessidade de uma auditoria na folha de pessoal do judiciário baiano, mas pondera que não há como fazê-la de imediato. Ela afirmou que uma auditoria como esta, em uma folha com mais de 11 mil nomes, levaria pelo menos cinco meses para ser realizada.

– Segunda-feira (hoje) vou conversar com o chefe do setor de Recursos Humanos sobre este assunto, porque ainda não consegui analisar com profundidade o documento, que tem quase mil páginas – disse a presidente do TJ-BA.

No TJ-BA, há motorista com rendimento de R$17 mil, oficial de justiça ganhando R$20 mil e atendente de recepção que recebeu R$17 mil. Um assessor jurídico embolsou R$48 mil. Todos referentes a janeiro deste ano.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115150 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.