Governador Jaques Wagner integra missão brasileira no Oriente Médio

A viagem do Governador Wagner com a comitiva do presidente Lula, inclui escalas em Israel, Cisjordânia e Jordânia.
A viagem do Governador Wagner com a comitiva do presidente Lula, inclui escalas em Israel, Cisjordânia e Jordânia.
A viagem do Governador Wagner com a comitiva do presidente Lula, inclui escalas em Israel, Cisjordânia e Jordânia.
A viagem do Governador Wagner com a comitiva do presidente Lula, inclui escalas em Israel, Cisjordânia e Jordânia.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou neste sábado (13/03/2010) para Israel, onde inicia uma missão oficial pelo Oriente Médio até o dia 18 em busca de aproximar o Brasil da região. Lula faz a primeira visita oficial de um chefe de Estado brasileiro a Israel, acompanhado de ministros de Estado, empresários e governadores. A missão ocorre em um momento em que o Brasil se aproxima crescentemente dos países do Oriente Médio e atua na busca de solução para o conflito israelo-palestino. Integra a comitiva oficial o governador da Bahia, Jaques Wagner. “É mais uma missão de tentar aproximar países que hoje têm conflito”, disse o governador.

O convite à Jaques Wagner se apóia, dentre outras razões, no relacionamento do Governo do Estado com Israel, por conta da visita do Presidente Mahmoud Abbas, à Bahia, e ao encontro que o Governador promoveu entre integrantes da Sociedade Israelita da Bahia e o presidente Abbas – encontro que teve o intuito de demonstrar o exemplo de convivência harmoniosa entre judeus e palestinos no Brasil, além de externar que o Brasil pode ter papel fundamental na intermediação do processo de paz no oriente médio, seja com o apoio do presidente Lula e também com o apoio da comunidade judaica brasileira.

A viagem inclui escalas em Israel, Cisjordânia e Jordânia. Durante a viagem serão abordados temas como o reinício das negociações entre israelenses e palestinos e a disposição do Brasil em contribuir com o processo de paz no Oriente Médio. Em todas as cidades haverá encontros entre empresários locais e a comitiva brasileira.

As relações bilaterais têm sido reforçadas nos últimos anos. O comércio triplicou no período 2003-2008, e, apesar da queda, em 2009, em razão da crise financeira internacional, o comércio naquele ano foi 107% superior ao de 2002. Além disso, o Acordo de Livre Comércio Mercosul-Israel, o primeiro do bloco com ator extra-regional, acaba de ser ratificado pelo Brasil. Os dois países têm, ainda, amplo potencial a explorar, já que as duas economias apresentam alto grau de complementaridade.

Há diversos exemplos de parcerias exitosas entre empresas brasileiras e israelenses. Existem excelentes oportunidades para a ampliação de tais parcerias em setores como os de alta tecnologia, semicondutores, instrumentos óticos e de alta precisão, telecomunicações, nanotecnologia, e biotecnologia e fármacos.

No plano político, pretende-se sinalizar o interesse brasileiro em continuar participando do processo de paz na região, bem como reafirmar as posições do País a respeito. Lula aproveitará a oportunidade, também, para reiterar apoio à constituição de um Estado palestino viável no curto prazo, para reforçar o credenciamento do Brasil como ator com influência nas questões da região e para apresentar propostas para o processo de paz do ponto de vista do governo brasileiro.

No plano bilateral, espera-se aprofundar os contatos em temas comerciais, com vistas, sobretudo à Conferência Econômica da Diáspora Palestina, que o Brasil sediará em julho. O presidente deseja também dar impulso às iniciativas de cooperação técnica, com a assinatura de um acordo-quadro e de memorandos sobre cooperação em saúde, educação e esportes.

A Bahia e as relações internacionais com o Oriente Médio

Em 2009, a Bahia recebeu líderes e representantes do Oriente Médio para conversas bilaterais no plano comercial e entendimentos de paz. O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, esteve em visita ao Brasil no período de 19 a 21 de novembro de 2009. Já em dezembro, foi a vez do embaixador de Israel Giora Becher, que esteve em visita à Bahia no período de 09 a 11.

Em Salvador, Abbas se reuniu com o Presidente Lula, no Palácio de Ondina, residência oficial do Governador da Bahia, Jaques Wagner, para um jantar, e no dia seguinte deram início às tratativas de sua visita no Museu da Misericórdia. À época, Lula defendeu que a paz entre palestinos e israelenses depende da criação de um Estado Palestino forte e sem restrições. Ele está certo de que o entendimento não virá com exclusão e isolamento, e afirmou que “o Brasil sempre estará ao lado de quem quer dialogar em busca de soluções”.

Abbas também se encontrou com Mauricio Kertzman Szporer, líder da comunidade judaica no Estado. Para Szporer, Abbas é “nosso melhor interlocutor do lado de lá”, falando sobre a esperança de que o Presidente da Autoridade Palestina possa concluir as negociações de paz antes que seu mandato acabe.

Becher se reuni com o governador Jaques Wagner e outras autoridades baianas. O embaixador de Israel relatou que sua reunião com Jaques Wagner tratou das “relações entre Israel e Brasil, e também de futuro projetos que podemos fazer aqui com o Estado da Bahia no campo da agricultura, alta tecnologia e segurança pública”.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9397 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).