Estado da Bahia bate recorde na geração de empregos no mês de fevereiro, sendo responsável por 99,85% dos novos empregos do Nordeste

O deputado Zé Neto e o governador Jaques Wagner ao lado de cidadã. Governo da Bahia tem criado empregos e lidera posição no Nordeste. Foto: Manu Dias | AGECOM | JFH
O deputado Zé Neto e o governador Jaques Wagner ao lado de cidadã. Governo da Bahia tem criado empregos e lidera posição no Nordeste. Foto: Manu Dias | AGECOM | JFH
O deputado Zé Neto e o governador Jaques Wagner ao lado de cidadã. Governo da Bahia tem criado empregos e lidera posição no Nordeste. Foto: Manu Dias | AGECOM | JFH
O deputado Zé Neto e o governador Jaques Wagner ao lado de cidadã. Governo da Bahia tem criado empregos e lidera posição no Nordeste. Foto: Manu Dias | AGECOM | JFH

As informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho, dão conta que a Bahia gerou em fevereiro deste ano 6.088 empregos com carteira assinada, o melhor resultado de toda a série histórica do CAGED para o período e o melhor saldo da Região Nordeste.

A Região Metropolitana de Salvador registrou acréscimo de 3.699 empregos formais em fevereiro. O setor que mais gerou empregos foi o da Construção Civil (+2.766 postos), seguido pela Indústria de Transformação (+1.505 postos), Comércio (+1.324 postos) e Serviços (+1.198 postos).

No acumulado do ano, meses de janeiro e fevereiro, foram mais 20.512 postos, o melhor desempenho absoluto da região, o que representa 99,85% de todos os empregos formais gerados no Nordeste.

99,85% dos empregos no Nordeste

A Bahia praticamente gerou todos os novos empregos com carteira assinada do Nordeste no acumulado de janeiro e fevereiro deste ano: 20.512 dos 20.543 gerados na região, equivalentes a 99,85%. O Ceará ficou em segundo lugar com 3.446 empregos, seguido de Sergipe (3.180), Maranhão (3.076), Piauí (2.052) e Pernambuco (1.221), que ficou em último lugar entre os estados que tiveram saldos positivos no bimestre. Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte registraram saldo negativo no período.

Considerando apenas o mês de fevereiro, a Bahia também ficou em primeiro lugar na região, criando 6.088 empregos. O Ceará ficou novamente em segundo, com 5.700 empregos gerados, e Pernambuco registrou saldo negativo no mês, registrando a perda de 2.393 postos de trabalho.

Sobre Carlos Augusto 9462 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).