Análise preliminar da atual conjuntura política em Feira de Santana| Por Carlos Lima

Logomarca do Jornal Grande Bahia.
Logomarca do Jornal Grande Bahia.

É surpreendente o crescimento político do atual prefeito de Feira de Santana

Que tipo de analise da conjuntura política se pode fazer do atual momento político em Feira de Santana. Poderíamos começar falando sobre a situação do partido Democrata. Ainda considerado o mais forte no município.

Os Democratas mesmo passando por denúncias de corrupção no governo de Brasília; pela formação de “Demsalão”, numa grave e indesejada imitação do PT, a nível nacional, e as dissidências na Bahia, principalmente nos quadros do município de Feira de Santana que podem alterar sua densidade eleitoral. Sobrevive, até quando, é tema para outra análise.

Entretanto, devemos valorizar e abordar os aspectos subjetivos, para os eleitores, e objetivos para a cúpula do partido em Feira de Santana. A existência de grupos divergentes na militância do DEM, fatalmente forçará a uma tomada de decisão que significará o distanciamento político das suas principais lideranças no município. Tornando público o que todos já sabem, mais não ousam comentar.

Esse processo não é irreversível. O pano de fundo tem como objetivo as eleições municipais de 2012. Independente dos resultados das eleições que se realizam esse ano.

A busca de espaço na política feirense pode alterar substancialmente o seu cenário político no que diz respeito à correlação de forças. Ou seja, poderemos ver as duas principais lideranças do DEM, no município, em partidos diferentes e divergentes.

É surpreendente o crescimento político do atual prefeito de Feira de Santana. Até o presente momento é fato concreto a aceitação de sua administração pela população. Mas, alguns senões teimam infiltrar-se na avaliação conceitual das suas ações. Por exemplo; Os comentários em quase todos os pontos da cidade de que o executivo não cumpre com os acordos e com o prometido; de que algumas inverdades ultrapassam os bastidores da prefeitura; que alguns secretários, indicados por José Ronaldo, vão entregar seus cargos antecipando-se às exonerações.

O Executivo feirense não pode deixar determinados conceitos negativos se disseminarem entre a população. E, não é desmentindo através de notas públicas ou entrevistas. O fato deve ser combatido com ações específicas e a divulgação dessas ações, mostrando para a opinião pública que o governo cumpre seus compromissos e não mente.

Na conjuntura atual se pode deduzir que após as eleições, principalmente se o DEM não conquistar o governo do Estado, na Bahia e no município de Feira de Santana o partido sofrerá sérias mudanças. A única possibilidade de estabilidade do DEM em Feira, passa diretamente pelas eleições municipais de 2012, com Tarcízio Pimenta sendo indicado para a reeleição e recebendo o reconhecimento de sua liderança política. Tarcízio não é um político que se deixa comandar facilmente, sua liderança é de comando. Pode, nesse momento, não querer caminhar na frente, mas não caminhará atrás, no mínimo lado a lado.

Após o mês de outubro, o prefeito Tarcízio Pimenta deverá definir e mostrar como construirá o cenário político para a sucessão municipal. Será candidato a reeleição ou não, e qual será o planejamento estratégico empresarial do seu governo. No caso de não ser candidato a reeleição a estratégia é uma, se candidato a reeleição a estratégia é outra. Desde já, sem ter conversado com ele sobre o assunto, posso afirmar, pelo que conheço de Tarcízio Pimenta, e não é pouca coisa, que ele será candidato a reeleição.

Politicamente o prefeito Tarcízio Pimenta vem realizando um trabalho para consolidar sua liderança em Feira de Santana, e fazer sombra a liderança política já consolidada do ex-prefeito, José Ronaldo de Carvalho.

O executivo feirense carimba sua administração com a participação, em maio, na II Assembléia Popular Nacional em Brasília, que busca construir um projeto para o país. A perspectiva é assimilar novas contribuições, fruto do crescimento da consciência sobre a necessária sustentabilidade, inserindo Feira de Santana nesse projeto de desenvolvimento nacional, valorizando as experiências que apontam para uma nova economia.

Saúde Digital e Cidade Digital estão marcas. Vitrine do seu governo para o Brasil. O bom relacionamento com a oposição, dividindo palanque e investimento, mudou a cara a política local e criou espaço recíproco, onde não existia. Essas são ações inteligentes da administração pública em Feira de Santana.

No processo eleitoral desse ano, as eleições presidenciais adormecem as divergências internas do DEM em Feira de Santana, mas não as sepultam. Essas divergências não serão promotoras de grandes debates programáticos, muito pelo contrário, podem, simplesmente, para militantes, eleitores e o povo ser um simples comunicado.

Tarcízio Pimenta ao distanciar-se do discurso de José Ronaldo de Carvalho, não significa um rompimento imediato, mas não tenho nenhuma dúvida que o prefeito procura a chamada segurança democrática, que traz no bojo o seu projeto político que necessita do crescimento da sua liderança, fato que o obrigará a gerar possibilidades de novas articulações para a consolidação do seu espaço geopolítico na Bahia.

Essa é a minha primeira posição em relação a uma análise preliminar da atual conjuntura política em Feira de Santana.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 106957 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]