A vergonha dos políticos em Brasília | Por Newton Oliveira

Permitam-me os leitores fugir hoje dos temas que tenho abordado neste espaço da mídia impressa. Como cidadão brasileiro, achei-me no direito de tecer algumas considerações sobre o escândalo da política que envolve governador, vice-governador e vários deputados distritais de Brasília. Por acaso, um dos participantes do escândalo, resolveu denunciar a corrupção desenfreada e desavergonhada. Diz a mídia que trocou a denúncia pela “delação premiada”. Ainda bem que às vezes alguém presta-se a este papel.

Tudo isto aconteceu porque neste país as leis não são para todos. E os detentores do poder que é uma mistura de políticos e empresários, partem do princípio histórico deste país: a impunidade. Quantos políticos ou empresários que participaram escancaradamente da corrupção estão na cadeia? Os processos quando existem, arrastam-se pelo labirinto da justiça brasileira num caminho sem fim. Há uma frase muito repetida: “quem pode pagar bons advogados nada lhe acontecerá”. Então a prisão do Sr. ARRUDA, Governador de Brasília é um fato histórico. Mesmo sabendo que logo, logo, ele estará em liberdade. Os partidos que, geralmente, acobertam os seus líderes, desta vez, os políticos do DEM tiveram vergonha de encarar os fatos lamentáveis. Tiraram o apoio ao Sr. ARRUDA, mesmo sabendo que iam perder o único governador da legenda. E o vice também do DEM, assumiu, sob suspeita, e só resistiu 12 dias. Uma verdadeira tragédia…

O Procurador Geral da República solicitou ao STF a intervenção federal em Brasília, alegando que a classe política está contaminada. Vejam a que ponto chegamos. A pergunta que fica no ar é: por que os políticos não querem a intervenção? Será que temem uma ação saneadora da corrupção com a descoberta de novos escândalos? Isto num ano eleitoral seria desastroso para os que têm contas a prestar. Vamos aguardar a decisão do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.

Uma das mazelas da vida política do Brasil é o financiamento de campanha. Quem financia faz um investimento e depois cobra os resultados. Isto é muito simples entender. Ninguém financia políticos por amor ao Brasil, ao Estado ou ao Município. Podem existir casos raros. No geral, todos procuram fazer um negócio. E os políticos que aceitam a barganha ficam reféns na administração. Esta vergonha atinge muita gente.

Há um projeto na Câmara dos Deputados para o chamado “financiamento de campanha”. Pelo tempo de tramitação, não alcançará as próximas eleições. Há também um projeto de iniciativa popular, prerrogativa existente na Constituição Federal, que procura proibir de participar de eleições, aqueles de “ficha suja”. Será que será aprovado? Duvido. Mas o fato da prisão do Sr. ARRUDA, exercendo o mandato de Governador de Brasília, é um acontecimento que devemos comemorar. A justiça brasileira, na pessoa de um juiz, acende uma luz de esperança. Será que daqui em diante, outras prisões poderão acontecer?

Isto seria desejável para criar um ambiente desfavorável à impunidade. Vamos acreditar que o Brasil está mudando. Vamos dar importância e votar naqueles candidatos de ficha limpa.

*Prof. Newton Oliveira é Arquiteto e Diretor Presidente da UNEF

*Com informações de Newton Oliveira

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112763 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]