Com roteiros “absurdos”, brasileiro tenta conquistar Hollywood

Felipe trabalha atualmente na Ridley Scott and Associates, na Califórnia.

A ambição de estar entre os melhores de Hollywood faz parte dos planos de um brasileiro de apenas 22 anos. Trabalhando atualmente na Ridley Scott and Associates na Califórnia, Felipe Machado sonha também em conquistar o mercado cinematográfico brasileiro.

Apesar da pouca idade, o brasileiro ostenta no currículo duas importantes conquistas. O drama “Sarah”, escrito e dirigido por ele, fez parte da seleção oficial do Mosaic Film Festival 2009 de Los Angeles, e foi mostrado no Short Film Corner do badalado Festival de Cannes em 2008. O objetivo do Short Film Corner é descobrir novos talentos e é separado da seleção oficial de filmes do festival francês.

O cineasta contou que já produziu bastante documentários. “Mas prefiro dramas e comédias”, confidenciou ele. Em “Sarah”, por exemplo, abordou os temas medo e amor. As comédias de Felipe são absurdas. “Tudo é meio maluco”. Para os documentários, o brasileiro escolhe a dedo as pessoas e histórias que mais o interessam. Foi assim quando falou sobre um professor que estava se aposentando. O documentário foi mostrado na festa de final de ano da escola.

Natural de Curitiba (PR), Felipe morou em Joinville (SC) até os 11 anos de idade. Um ano depois estava nos Estados Unidos. Cursou cinema no Fitchburg State College em Fitchburg, Massachusetts. Para estar mais perto da famosa indústria cinematográfica mundial, se mudou para Los Angeles, no início de 2009. O estágio de quatro meses na Ridley Scott and Associates rendeu ao brasileiro as funções de assistente de produção, junto com participações em gravações de comerciais de TV e de clips.

A empresa pertence a Ridley Scott, um dos maiores nomes de Hollywood. São deles os grandes “Blade Runner”, “Thelma & Louise” e “Gladiador”. É nesta grande indústria cinematográfica que Felipe sonha estar um dia. Único brasileiro na companhia, já ouviu de funcionários que ser brasileiro ou de outro país ajuda. “Porque é outro ponto de vista”.

Luz e câmera para os sonhos

A ambição de estar em Hollywood está sendo construída aos poucos. “Não acontece da noite para o dia”. Para isso, tem trabalhado duro e até produziu comerciais durante o estágio. “Gostaram”, disse ele, sobre a equipe da Ridley. O jovem, porém, acalenta também um outro grande desejo. “Talvez algum dia ir para o Brasil e ser diretor lá também”.

Felipe não sabe se a nacionalidade contribui para o trabalho dele na Ridley, mas disse que é bastante ajudado no âmbito profissional. Mas segundo ele, não existe povo mais solidário do que o nosso. “Nunca vi um país onde as pessoas se ajudam tanto”.

O caminho da sétima arte está sendo trilhado com grandes projetos. Felipe está atualmente escrevendo um curta sobre o caso Eloá Pimentel. A jovem assassinada pelo ex-namorado em 2008, no mais longo caso de sequestro e cárcere privado já registrado no estado de São Paulo. O crime teve grande repercussão nacional e internacional.

A tentativa de lançar o filme, seja no Brasil ou nos Estados Unidos, depende da arrecadação de fundos. Mas Felipe não desanima, e tem certeza de que verá um dia seus sonhos projetados nas mais famosas telas.

*Com informações da Comunidade News

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]