Tremores causaram 60% das mortes por desastres naturais

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Logomarca Jornal Grande Bahia.
Logomarca Jornal Grande Bahia.

Segundo dados da ONU, 780 mil pessoas morreram nos últimos 10 anos, vítimas de quatro mil desastres naturais; ; oito das 10 cidades mais populosas do mundo, incluindo Nova York e Tóquio, estão localizadas em áreas de falhas entre placas tectônicas.

Os terremotos mataram na última década cerca de 60% das pessoas vítimas de desastres naturais.

A afirmação foi divulgada nesta quinta-feira, em Genebra, durante coletiva de imprensa do Centro de Pesquisa sobre Epidemiologia de Desastres e pela Estratégia Internacional da ONU para Redução de Desastres.

Bilhões Afetados

Segundo a representante especial de Ban Ki-moon para Redução do Risco de Desastres, Margareta Wahlstrom, os terremotos foram o fenômeno natural que mais causou mortes nos últimos 10 anos e que são uma ameaça séria para milhões de pessoas.

Ela revelou que oito das 10 cidades mais populosas do mundo, incluindo Nova York, Tóquio, Cidade do México e Mumbai, estão localizadas em áreas de falhas entre placas tectônicas.

Os dados revelam que quase 4 mil desastres mataram mais de 780 mil pessoas na última década, afetando mais de 2 bilhões de outras e causando danos avaliados em US$ 960 bilhões.

Cerca de 85% das mortes ocorreram na Ásia, o continente mais afetado por desastres nesse período.

Redução do Risco

Wahlstrom lembrou que reduzir o risco de desastres deve ser um investimento indispensável para cidades ameaçadas por tremores de terra. Ela indicou que as chances de eventos sísmicos é permanente e não pode ser ignorada, já que terremotos podem acontecer a qualquer hora.

O Haiti foi atingido no dia 12 de Janeiro por um forte terremoto que matou cerca de 150 mil pessoas, incluindo funcionários das Nações Unidas.

*Com informações da Rádio ONU

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113826 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]