Ao completar 50 anos como escritor, João Ubaldo Ribeiro se posiciona contrário à construção da ponte Salvador-Ilha de Itaparica e diz nunca ter visto José Sarney

João Ubaldo e Carlos Augusto. Entrevista versou sobre construção da ponte e festa de aniversário.
João Ubaldo e Carlos Augusto. Entrevista versou sobre construção da ponte e festa de aniversário.
João Ubaldo e Carlos Augusto. Entrevista versou sobre construção da ponte e festa de aniversário.
João Ubaldo e Carlos Augusto. Entrevista versou sobre construção da ponte e festa de aniversário.

O escritor baiano João Ubaldo Ribeiro completou 69 anos no último dia 23 de janeiro de 2009. O seu aniversário foi comemorado na ilha de Itaparica, na Biblioteca Pública Juracy Magalhães Júnior. Local onde redigiu o seu primeiro romance, considerado pela crítica como obra-prima: Viva o Povo Brasileiro.

João Ubaldo concedeu uma rápida entrevista ao JGB, onde falou sobre a construção da ponte Salvador – Ilha de Itaparica: “não existe nas grandes cidades brasileiras e Salvador que é a terceira maior cidade do país, não possuí espaço urbano vago que não seja ocupado por pessoas sem teto, sem moradia. Isto acontece em São Paulo, Rio de Janeiro e em toda a parte”. O escritor explica que: “com a construção da ponte, Itaparica estará incorporada à área urbana da capital. Para as pessoas que trabalham no centro comercial, a ilha estará a uma distância menor do que alguns bairros soteropolitanos.”

Na opinião de João Ubaldo, o processo de favelização ocorrerá de forma rápida, “no dia seguinte à construção da ponte, vão construir dois barracos na porta da minha casa. A ilha ficará ocupada por invasões e para remover estas invasões será outro problema”. Ele destaca que em Mar Grande existe um grau de desordem urbana, favelização, e declara: “sem a ponte isto já está ocorrendo, imagine com a ponte”.

Questionado quanto ao vinculo cultural das apresentações que ocorreram durante as comemorações do aniversário, ele explica que: “são pessoas locais, ou quase locais que tem uma aptidão, um talento a mostrar e aproveitam a chance. Isto é muito válido, seja com a dança do ventre, samba de roda ou canto lírico”.

Quando questionado sobre o convívio na Academia Brasileira de Letras com o imortal e presidente do senado José Sarney, respondeu de forma enfática: “não convivo com Zé Sarney, nunca o vi pessoalmente. Quer que eu diga de novo: Nunca vi Sarnei pessoalmente”.

João Ubaldo Ribeiro: no dia seguinte à construção da ponte, vão construir dois barracos na porta da minha casa. A ilha ficará ocupada por invasões e para remover estas invasões será outro problema”.
João Ubaldo Ribeiro: no dia seguinte à construção da ponte, vão construir dois barracos na porta da minha casa. A ilha ficará ocupada por invasões e para remover estas invasões será outro problema”.
Sobre Carlos Augusto 9759 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).