Espumantes do Brasil: qualidade e tipicidade fazem crescer consumo

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Espumantes do Brasil: qualidade e tipicidade fazem crescer consumo.
Espumantes do Brasil: qualidade e tipicidade fazem crescer consumo.N

No Brasil, país com dimensões continentais, existem parreirais implantados em variadas condições edafo-climáticas. No sul e no semiárido do Nordeste há diferentes situações ambientais que, incorporadas aos produtos, dão sabores típicos que valorizam os vinhos e espumantes de cada uma das regiões. Este é um aspecto importante da vinicultura brasileira.

A produção de uvas para a elaboração de vinhos espumantes no Brasil tem aumentado substancialmente nos últimos anos. A comercialização passou de pouco mais de 500.000 litros em 2001 para mais de 2.000.000 de litros em 2008 (Cadastro vitícola). Este aumento mostra o grande potencial que o Brasil apresenta para a elaboração de espumantes de qualidade, e que pesquisadores da Embrapa Uva e Vinho e da Embrapa Semiárido têm destacado nos estudos que realizam.

Métodos – A região Sul é a mais tradicional no cultivo de videiras, no pais – em espacial, os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Por estar em zona temperada, a colheita é realizada uma vez por ano e onde são elaborados vinhos espumantes de alta qualidade, principalmente através do método tradicional ou “champenoise”, em que ocorre uma segunda fermentação na própria garrafa, o que garante maior complexidade aos produtos obtidos. Este processo pode durar mais de dois anos, até o consumidor ter acesso aos vinhos.

Outro exemplo é o semiárido do Nordeste do Brasil. A região produz uvas para consumo in natura há mais de quatro décadas, e vinhos há mais de duas décadas. A combinação do clima quente e seco com a disponibilidade de água para irrigação dos parreirais torna possível a obtenção de duas safras por ano.

Nesta região, o método de elaboração dos espumantes é diferente. Eles são produzidos a partir do método o Charmat, onde ocorre uma única fermentação, em cubas de pressão ou autoclaves, em aço inoxidável. Deste modo, fica pronto rapidamente, entre 40-90 dias, o que garante maior rapidez no processo e do capital de giro aplicado.

Ano todo – Com esta diversidade de climas e solos, quem sai ganhando é o consumidor, seja ele brasileiro ou estrangeiro, que tem acesso a produtos com tipicidades únicas de cada local de origem. Este fato aumenta o potencial vitivinícola e a procura pelo vinho e o espumante nacional.

Portanto, não tenha dúvida, brinde os desejos de felicidade, celebre o espírito de confraternização com espumantes do Brasil. Um pouco mais de atenção nas prateleiras dos supermercados, de lojas especializadas, e não vai ser difícil encontrar produtos muito bons, com qualidades típicas da região do país onde foram elaborados, para saborear nas festas do ano novo, com a família e amigos.

Mas, um lembretezinho dos especialistas: o consumo moderado de espumantes ou vinhos tranquilos (sem gás carbônico dissolvido) deve acontecer ao longo do ano e não somente nas datas festivas, como Natal e Ano Novo, pois esses produtos devem ser considerados como um complemento gastronômico, ideal para ser consumido em todos os momentos prazerosos da vida.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113867 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]