Rebanho bovino cresce 1,3% após dois anos de redução

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.

O efetivo de bovinos no ano de 2008 foi de 202,287 milhões de cabeças, primeiro resultado positivo depois de dois anos sucessivos de redução do rebanho (2006 e 2007) e quatro de redução do seu ritmo de crescimento (2004 a 2007). Comparando-se os anos de 2008 e 2007, houve crescimento de 1,3% do efetivo nacional, ou seja, um aumento de 2,535 milhões de cabeças. O Centro-Oeste detinha 34,1% desse efetivo, tendo o Mato Grosso como o principal produtor (12,9%). Em 2008, o estado tinha 26.018.216 cabeças de gado contra 25.683.031 em 2007, o que aponta um crescimento de 1,3%. O município de Corumbá (MS) tinha o maior efetivo de bovinos do país com 1.935.896, em 2008, seguido por São Félix do Xingu (PA) com 1.812.870 e Ribas do Rio Pardo (MS) com 1.176.151. Esses são alguns dos destaques da Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) 2008, cujos principais resultados são detalhados a seguir.

Ao comparar os dados de 2008 com os de 2007, a maior taxa de variação do efetivo ocorreu na Região Sul, com aumento de 4,0%. Também apresentaram variação positiva as Regiões Norte (3,3%), Centro-Oeste (1,2%) e Nordeste (0,5%). Somente a Região Sudeste apresentou queda (-2,0%) no efetivo, sendo que São Paulo registrou a redução mais significativa (-5,1%). Os maiores aumentos nos efetivos dos estados foram observados em Santa Catarina (10,8%) e no Pará (5,8%) e a maior redução foi no Distrito Federal (-21,3%).

Em termos absolutos, o Pará apresentou um aumento de cerca de 886 mil cabeças entre 2008 e 2007, explicado pelo crescimento vegetativo do rebanho, após um ciclo de redução em função do abate de fêmeas em períodos recentes, além da instalação de três novas unidades frigoríficas no estado. Os aumentos dos rebanhos no Mato Grosso do Sul (533 mil cabeças) e no Mato Grosso (335 mil cabeças) decorreram de um crescimento natural dos efetivos já elevados. No Maranhão, o aumento de 206 mil cabeças ocorreu pela a expansão da atividade pecuária.

Em São Paulo, a redução de cerca de 605 mil cabeças no rebanho bovino é explicada pela substituição de pastagens por canaviais com maior rentabilidade, e a diminuição de 285 mil cabeças na Bahia se deveu, em parte, à seca, que causou morte de animais e desestimulou a atividade.

Efetivo de galinhas aumenta 5,1% e Rio de Janeiro registra maior variação entre 2007 e 2008

Em 31/12/2008, a PPM registrou o aumento de 5,1% no efetivo de galinhas, comparativamente a 2007. Todas as regiões geográficas tiveram aumento do efetivo com relação a 2007, com destaque para a Sudeste (6,4%), seguida pela Nordeste (5,5%), Sul (4,3%) e Centro-Oeste (4,4%).

No Sudeste do país, foram registradas variações significativas no Rio de Janeiro (16,1%) e Espírito Santo (10,4%). Em São Paulo, o principal estado em alojamento, o aumento foi de 7,8%. Em Pernambuco, registrou-se aumento de 25,3% no efetivo. O Distrito Federal teve a queda mais significativa, de 26,0%. Os principais municípios em alojamento de galinhas foram Bastos (SP), Santa Maria de Jetibá (ES) e Itanhandu (MG).

O efetivo de galos, frangas, frangos e pintos teve aumento de 6,9% comparativamente ao registrado em 2007. Todas as regiões geográficas apresentaram crescimento do efetivo em 2008, embora os maiores aumentos tenham sido registrados no Centro-Oeste (14,3%) e no Sudeste (7,8%).

No Centro-Oeste, o Mato Grosso teve aumento de quase 50,0%, em função da instalação de novas unidades de produção de frangos integradas à indústria de abate local, em expansão de suas atividades. Os municípios de destaque no alojamento de frango são foram Nova Mutum (MT), Brasília (DF) e Rio Verde (GO).

Efetivo de suínos chega a 37 milhões de cabeças em 2008

O efetivo de suínos existente em 31/12/2008 reunia 36,819 milhões de cabeças (PPM). O efetivo de porcas criadeiras teve aumento de 1,6% comparativamente ao ano de 2007, enquanto que o de outros porcos e porcas aumentou 2,5%.

A Região Norte apresentou a maior queda no efetivo (-6,3%), seguida pela Região Nordeste (-1,2%). Em Rondônia, o efetivo suíno caiu de 278 mil para 207 mil, entre 2007 e 2008, e na Bahia passou de 1,904 milhão para 1,835 milhão. O Centro-Oeste registrou a maior variação positiva (6,9%), puxada pelo crescimento em todos os estados, com destaque para o Mato Grosso (de 1,392 milhão para 1,620 milhão de cabeças). A Região Sul teve um aumento de 4,2% no efetivo e o Sudeste de 1,3%.

Os municípios em que ocorreram os maiores aumentos de efetivos de porcas criadeiras foram Rio Verde (GO), Uberlândia (MG) e Concórdia (SC). Toledo (PR) perdeu posição neste ano de 2008, passando da 3ª posição para a 6ª. Xavantina (SC), por sua vez, passou da 11ª posição para a 4ª, tendo aumentado seu efetivo em 77,0%.

Em 2008, efetivo de codornas aumenta 18,3% com destaque para a Região Sudeste

O efetivo de codornas em 2008 teve aumento de 18,3% quando comparado com o ano de 2007, apresentando-se como aquele de maior variação. A Região Sudeste teve aumento de 29,6% no efetivo registrado de 2008, quando comparado com o ano de 2007. O que mais influenciou este dado é o aumento de 49,6% ocorrido no Estado de São Paulo. Outros estados também tiveram variações significativas: Mato Grosso (38,3%) e Bahia (26,3%) são exemplos. O Pará teve queda de 17,6%.

Coelhos tiveram redução de 9,7%; equinos, 1,1%; asininos, 2,8%; muares, 2,2% e caprinos, 1,0%. Bubalinos tiveram aumento de 1,3%, e ovinos, 2,4%.

Produção de leite aumenta 5,5% no país

No ano de 2008, foram produzidos 27,579 bilhões de litros leite (principal produto de origem animal), apontando um aumento de 5,5% sobre o volume registrado em 2007. O preço médio do litro no ano foi de R$ 0,62. Em termos mundiais, o Brasil é o quarto maior produtor, ficando atrás da Índia, China e Rússia.

A Região Sul do país teve aumento de produção de 10,1%, alavancado pelos incrementos em Santa Catarina (14,0%) e no Rio Grande do Sul (12,6%). O Centro-Oeste teve aumento de 6,5%, tendo o principal incremento ocorrido em Goiás (8,9%). A principal variação positiva geral aconteceu no Amazonas (101,9%), enquanto que a principal queda ocorreu no Distrito Federal (-18,6%).Os principais municípios produtores de leite são Castro (PR), Patos de Minas (MG) e Piracanjuba (GO). Patos de Minas e Piracanjuba ocupavam em 2007, respectivamente, a 7ª e a 6ª posições, e em 2008 despontaram como destaques. Outros importantes municípios produtores em anos anteriores, como Pompéu (MG) e Marechal Cândido Rondon (PR), perderam posições.

O número de vacas ordenhadas teve aumento de 2,3% comparativamente a 2007, segundo a PPM 2008. Os principais municípios em ordenha de vaca são Jaru (RO), Morrinhos (GO) e Ouro Preto do Oeste (RO). A maior parcela de vacas é ordenhada em Minas Gerais (5,143 milhões de cabeças). Em termos de vacas ordenhadas, o Brasil ocupa a segunda posição, atrás apenas da Índia.

São Paulo é o maior produtor de ovos de galinha e de codorna do Brasil

A produção de ovos de galinha apurada pela PPM no ano de 2008 foi de 3,074 bilhões de dúzias, aumento de 3,7% sobre o registro de 2007. O preço médio anual da dúzia do produto foi de R$ 1,63. O Brasil ocupa a sétima posição mundial em produção de ovos de galinha. A China é o principal país produtor, seguida de longe pelos Estados Unidos (FAO).

São Paulo é o maior produtor nacional de ovos de galinha (839,634 milhões de dúzias/ano) e em 2008 teve aumento de 4,1% sobre 2007. Tocantins, Distrito Federal, e Amapá tiveram reduções significativas da produção, respectivamente 18,3%; 14,0% e 23,10%. Bastos (SP), Santa Maria de Jetibá (ES) e Itanhandu (MG) são os municípios de maior destaque na produção de ovos de galinha.

A produção de ovos de codorna teve aumento de 20,4%, relativamente ao ano de 2007. Foram produzidas 157,781 milhões de dúzias, a um preço médio de R$ 0,70 a dúzia. São Paulo é o principal produtor nacional de ovos de codorna (82,837 milhões de dúzias) e no ano de 2008 teve aumento de 47,7% em sua produção, tendo grande impacto sobre a variação observada nacionalmente. O Distrito Federal, na outra ponta, teve queda de 12,0%. Iacri (SP), Bastos (SP) e Santa Maria de Jetibá (ES) são os municípios de maior destaque na produção de ovos de codorna.

A produção de mel teve aumento de 8,8% no ano de 2008 comparativamente ao ano de 2007. O mel brasileiro tem ganhado importância nacional e internacionalmente. Limoeiro do Norte (CE), Apodi (RN) e Picos (PI) são os principais produtores nacionais de mel. Destaca-se a perda de posição de Picos, que era o principal produtor em anos anteriores, e o surgimento de Apodi, município que não aparecia em anos anteriores entre os vinte principais produtores de mel.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110040 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]