O louco trânsito louco de Feira de Santana | Por Alberto Peixoto

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.
O louco trânsito louco de Feira de Santana.
O louco trânsito louco de Feira de Santana.

Estacionar em fila dupla ou atender celular ao volante, transgredindo as regras de condução do veículo, passou a ser uma coisa normal.

Quem transita pelas principais artérias de Feira de Santana pode dizer que “enfrenta uma batalha por dia”.Este tipo de frase deixou de ser metafórica e passou a ter um sentido espantosamente real. Durante o dia a dia da nossa cidade, neste louco transito feirense, enfrentamos diversos tipos de batalhas que se tornou à guerra do transito da Princesa do Sertão. Enfrentamos motoristas irresponsáveis, pedestres desatentos e, principalmente, a má sinalização e falte de organização dos fluxos de veículos que circulam pela cidade.

A Avenida Getúlio Vargas passou a ser uma grande pista de Formula 1, mesmo nos horários de pico. Também podemos presenciar nesta artéria, motoristas irresponsáveis que, por comodismo e falta de fiscalização dos órgãos competentes, estacionam na faixa da esquerda – faixa esta designada à ultrapassagem – para, sem sair de dentro do seu veículo, comprar jornais e revistas na bancas instaladas no canteiro central da avenida.

As pistas de aceleração e desaceleração, nos finais de semana, viraram estacionamentos onde ambulantes expõem seus produtos à venda, mesmo correndo o risco de provocar um acidente com grandes proporções. Estacionar em fila dupla ou atender celular ao volante, transgredindo as regras de condução do veículo, passou a ser uma coisa normal. Estas irresponsabilidades no trânsito prejudicam a todos que usam o espaço público. Os idosos, deficientes e as crianças são os mais atingidos.

É fundamental que se coloque, para melhor controlar o trânsito, sensores de controle à velocidade – os conhecidos pardais – lombadas eletrônicas, e uma fiscalização mais rígida, principalmente nos pontos críticos da cidade onde a possibilidade de acidentes é maior.

Tomei conhecimento através deste Jornal que um dos edis deste município, sugeriu que se coloque mais quebra molas pela cidade. Já vejo Feira de Santana como o “Paraíso dos Quebra Molas”. É inadmissível este tipo de prevenção em avenidas como a Maria Quitéria, José Falcão, Presidente Dutra e até mesmo na Avenida Eduardo Froes da Mota. Pode-se muito bem controlar a velocidade através de equipamentos de última geração. Não tem sentido a Eduardo Froes da Mota, com tantos viadutos, cheia de quebra molas. Precisamos nos conscientizar de que Feira de Santana não é uma cidadezinha de beira de estrada; é uma das maiores cidades do nordeste brasileiro.

Aproveito para perguntar: “quando vão colocar quebra molas no gramado do Estádio Jóia da Princesa”?

www.albertopeixoto.com.br

Alberto Peixoto
Sobre Alberto Peixoto 488 Artigos
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.