Ministro Geddel Vieira Lima critica Governo Wagner por investir mais em propaganda do que em segurança na Bahia

Geddel: O valor gasto em propaganda representa quatro vezes mais do que foi investido em segurança. Isso não tem cabimento principalmente neste período em que a Bahia registrou índices crescentes de violência e tem quase 150 municípios sem delegado.
Geddel: O valor gasto em propaganda representa quatro vezes mais do que foi investido em segurança. Isso não tem cabimento principalmente neste período em que a Bahia registrou índices crescentes de violência e tem quase 150 municípios sem delegado.
Geddel: O valor gasto em propaganda representa quatro vezes mais do que foi investido em segurança. Isso não tem cabimento principalmente neste período em que a Bahia registrou índices crescentes de violência e tem quase 150 municípios sem delegado.
Geddel: O valor gasto em propaganda representa quatro vezes mais do que foi investido em segurança. Isso não tem cabimento principalmente neste período em que a Bahia registrou índices crescentes de violência e tem quase 150 municípios sem delegado.

O governo da Bahia gastou mais em propaganda do que em investimentos na segurança e na educação, no período de janeiro a outubro deste ano. A informação foi divulgada hoje (30/10/2009) pelo ministro Geddel Vieira Lima em sua estréia como comentarista da Rádio Metrópole.

Fundamentado no relatório do Sicof Gerencial, o Sistema de Informações Contábeis e Financeiras da Secretaria da Fazenda do Estado, o ministro disse que, no período, mais de R$ 61 milhões foram aplicados em propaganda, enquanto os investimentos em educação foram de apenas R$ 50 milhões e em segurança ainda menos – R$ 15 milhões.

“O valor gasto em propaganda representa quatro vezes mais do que foi investido em segurança. Isso não tem cabimento principalmente neste período em que a Bahia registrou índices crescentes de violência e tem quase 150 municípios sem delegado, o que já virou uma piléria nacional”, afirmou o ministro na rádio de Mário Kértesz.

Além de considerar “claro exagero” o volume da propaganda do governo estadual, Geddel Vieira Lima voltou a questionar o conteúdo dos comerciais, lembrando, no seu comentário, da denúncia feita por seu partido, o PMDB, ao Ministério Público e ao Conar (órgão nacional de regulação da publicidade) contra a propaganda estadual por omitir a participação do governo federal nas obras mostradas nos comerciais.

Para o ministro da Integração Nacional “um governo que não realiza os investimentos previstos em áreas obrigatoriamente prioritárias, preferindo massificar investimentos em propaganda, além de cometer grave erro, só pode mesmo ter sua publicidade questionada como enganosa”. E completou: “Afinal se não investe em ações, como pode ter algo a mostrar”.

Sobre Carlos Augusto 9456 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).