Estudantes brasileiros participam de projeto de pesquisa na Califórnia

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.

Diogo Vidal e Aline Guidolin integram a equipe do Entomologista Walter Leal.

Dois estudantes brasileiros se juntaram ao time de pesquisas do Professor Walter Leal, autoridade em entomologia na Universidade da Califórnia, campus Davis (UC Davis). Aline Guidolin, 23 e Diogo Vidal, 22, fazem parte do Programa Agrícola de Proteção Sustentável (SUSPROT, em inglês).

Trata-se de um programa de intercâmbio, e que promove a cooperação científica de comunidades acadêmicas e profissionais entre a Europa e os Estados Unidos. Agora o Brasil também está incluído. Os países europeus participantes do SUSPROT são a Holanda, França, Alemanha e Bélgica.

Diogo e Aline chegaram no dia 14 de setembro e permanecem na UC Davis por três meses. Uma hora depois da longa e cansativa viagem, os estudantes já estavam no laboratório, a fim de matar a curiosidade. Aline era a mais ansiosa. “É o meu ritmo de trabalho lá”, explicou ela.

A área de estudos de Diogo é totalmente nova para ele. O jovem vai pesquisar como os ligantes dos feromônios – compostos químicos responsáveis pela comunicação entre os insetos – acabam interagindo com as proteínas. Quando em grupos, os insetos liberam o feromônio de agregação, como aviso de que há outros insetos à volta. Os feromônios também estão presentes na atração do sexo oposto para o acasalamento, e nas formigas. Quando uma delas se sente ameaçada, libera o feromônio como forma de alarme, alertando as companheiras.

A importância destes estudos para a agricultura, segundo Diogo, diz respeito à diminuição de pragas e o uso dos inseticidas. Formando de química da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Diogo tem certeza de que ninguém está realizando este tipo de pesquisa no estado. “Acredito que será uma coisa muito bacana para acrescentar na minha formação, e que será importante até para o desenvolvimento do nosso laboratório”, disse ele.

Experiência ímpar

Aline estuda biologia na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ USP) em Piracicaba. É a primeira experiência dos dois fora do Brasil. “A primeira de muitas, espero”, disse Aline, que pretende ser professora e orientadora na área de pesquisa. Desde o início de 2006, Diogo trabalha com ecologia química, mais especificamente na parte de síntese dos feromônios.

Os dois se inscreveram num programa do governo brasileiro para pesquisadores, com duas vagas para a Califórnia e a Pensilvânia. Diogo escolheu trabalhar com o Professor Leal e acredita que a procura pelo programa aumente, no próximo semestre. Aline também gostou da idéia de ser parte da equipe do professor. “É uma equipe muito diversa, com pesquisadores de áreas diferentes, mas que se entendem. Esta integração é nova para mim”, disse ela.

A experiência acadêmica e profissional está sendo enriquecedora para Diogo. Segundo ele, a UC Davis investe muito em pesquisa e conta com um bom espaço físico e ótimos equipamentos. Sem contar que está em um ‘laboratório internacional’, com estudantes da China, Índia e França, além é claro do renomado entomologista Walter Leal.

A estudante também destacou a diversidade do laboratório e os recursos. Disse que quer levar toda a experiência adquirida para o Brasil, onde o trabalho na área de pesquisa está crescendo. Segundo Aline, é possível pôr em prática todo o trabalho em nosso país. “Só falta um pouco de experiência e quem aplique”. Quando voltar, pretende contribuir e muito com o grupo no Brasil.

As saudades de casa tem sido dribladas com as longas horas de trabalho. Segundo Diogo, são de 10 a 13 horas por dia dentro do laboratório. Mas a troca de e-mails e as ligações compensam a falta da família e amigos. Diogo presta exame de mestrado em fevereiro e já planeja colocar em prática tudo o que aprendeu.

Animado com os novos caminhos da pesquisa, Diogo pensa tanto na possibilidade de continuar estudando e pesquisando no exterior quanto no Brasil, onde estão aumentando os investimentos em pesquisa e educação.

*Com informações da Comunidade News

Sobre Alberto Peixoto 488 Artigos
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.