Falando em crise…

Antonio Alberto de Oliveira PeixotoAntonio Alberto de Oliveira Peixoto

A grande depressão foi o laboratório para o desenvolvimento da macroeconomia.

É necessário esclarecer que a atual crise econômica que assola o planeta, não é a primeira com efeitos drásticos, envolvendo a autonomia dos diversos paises, inclusive o Brasil. No inicio do século XX (1929) ocorreu a maior de todas que causou a Grande Depressão que, por sua vez, deu início a um novo rumo na economia mundial e ao surgimento da macroeconomia – Teoria Keynesiana.No inicio do século XX – logo após o período neoclássico que teve inicio em 1870 – a evolução do conceito econômico, sofreu diversas transformações sendo modificado a cada nova teoria e, sobre tudo, através de inúmeros debates realizados entre diversos estudiosos da época.

Porém, a literatura da Ciência Econômica nos informa que a Macroeconomia surgiu a partir da quebra da bolsa de Nova Iorque no ano de 1929 e a queda das taxas de produção americana (a Grande Depressão), onde o desemprego assumiu proporções elevadíssimas, causado pela redução da demanda no comércio e na industria.

A “Grande Depressão” jogou as economias na maior de todas as recessões até então já ocorridas e mostrou que os conhecimentos dos economistas do século XIX, apoiados na chamada Lei de Say: – “toda oferta cria sua própria demanda” – não era capaz de tirar os paises da recessão. Essa teoria preconizava que no médio prazo o nível de produção de um país não sofreria grandes alterações, já que todos os fatores de produção estariam sendo empregados para produção dos bens e serviços que formam a renda, levando ao chamado pleno emprego dos fatores. Ou seja, toda renda distribuída no ato da produção na forma de salários, juros e impostos se dirigiria ao mercado para compra dos bens e serviços num processo contínuo.

Foi aí que surgiu o livro Teoria Geral do Emprego do Juro e da Moeda, que mudaria completamente a visão até então dominante, dizendo que as forças do mercado jamais levaria a economia ao pleno emprego, pelo contrário, tenderia mais ao desemprego. Keynes desenvolveu sua teoria estudando e analisando o sistema econômico de forma agregada em termos de suas grandes variáveis, Produção total, renda agregada, taxa de juro, inflação, baseado no pressuposto de que era necessária a intervenção do estado na economia, que teria uma função de coordenar o desenvolvimento e expandir a demanda agregada, buscando o equilíbrio da renda total e da produção nacional.

Foi o modelo de Keynes e as suas equações dos grandes agregados econômicos que criou a abordagem macroeconômica, tirando os países da crise e permitindo 30 anos de prosperidade, aumento da renda e do consumo. A grande depressão foi o laboratório para o desenvolvimento da macroeconomia.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.