A máfia de branco explora doentes renais crônicos | Por Oldack Miranda

Oldack Miranda fez parte da resistência democrática e foi preso e torturado por prepostos da ditadura militar.
Oldack Miranda fez parte da resistência democrática e foi preso e torturado por prepostos da ditadura militar.

O fotógrafo e documentarista André François lança hoje (11/08/2009), em São Paulo, seu livro intitulado “Escolher e Viver”. É o resultado de uma viagem pelo Brasil pesquisando a situação de saúde de pessoas obrigadas a fazer hemodiálise. Ele documenta a qualidade de vida dos pacientes renais crônicos. É uma realidade cruel. Ele descobriu que existe um tratamento alternativo eficaz chamado diálise peritoneal, tão bom quanto a hemodiálise, “mas pouco aplicado porque não interessa às clínicas”. Trata-se de uma maquininha que o paciente usa em sua própria casa.

A descoberta da diálise peritoneal, rejeitada pelos empresários carniceiros das clínicas em busca de lucro, levou o documentarista a 16 pacientes em seis estados, inclusive à Bahia. As fotos são acompanhadas de textos escritos pela jornalista Maria Alzira. Ela conta a história, por exemplo, do microempresário baiano Diacízio Alves de Oliveira, 53 anos, que combina dois métodos de diálise peritoneal, enquanto aguarda por um transplante e leva uma vida praticamente normal. As informações estão na Folha.

Sem querer, querendo, as fotografias de André François denunciam a máfia de branco que não oferece liberdade de escolha para os pacientes renais crônicos.

Que país é este…

*Por Oldack de Miranda é jornalista, escritor (foi co-autor do livro biográfico Lamarca, Capitão da Guerrilha), é Assessor de Comunicação e Ouvidor Especializado do DESENBAHIA – Agência de Fomento do Estado da Bahia S.A. Publica diariamente textos jornalísticos e artigos no blog Bahia de Fato.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9166 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).