Vitória do jornal A Tarde contra a manipulação da imprensa: prática muito comum em Feira de Santana | Por Sérgio Joenes

Logomarca do Jornal Grande Bahia.
Logomarca do Jornal Grande Bahia.

Em uma decisão histórica, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) proferiu no dia (21/07/09) sentença favorável ao jornal A Tarde,  Salvador, na ação indenizatória  pela discriminação sofrida pelo veículo de comunicação durante o governo do atual senador César Borges (PR). Em um editorial redigido pelo jornalista Samuel Celestino, ele é enfático ao sentenciar: “A vitória do jornal A Tarde na Justiça baiana como é uma vitória da imprensa livre sobre o uso da administração pública, dos impostos pagos pelos contribuintes, pelos governantes contra a democracia. Contra a liberdade de imprensa”.

Bastante apropriada à observação do conceituado jornalista em um momento que alguns prefeitos de hábitos tupiniquins assumem o poder e na condição de gestor passa a administrar o dinheiro público como se dele fosse. Para este tipo político retrógado é bom ficar atento, pois os adeptos dessas práticas pouco convencional, que não isenta o município de Feira de Santana, no tempo apropriado  terá a resposta devida contra os seus desmandos.

Erra o político quando imagina que ao provocar, inconstitucionalmente, a prática discriminatória no repasse de verbas destinadas à imprensa, que ao deixá-lo de fazer em relação a determinado órgão por não se curvar diante das suas patifarias praticadas contra os interesses da coletividade. Que a sua ação nefasta e fascista vai conseguir retroceder a prática do exercício do jornalismo livre e independente. Nunca é demais lembrar que esta vitória é da liberdade de imprensa e de todos os homens livres. Portanto, qualquer tentativa contrária, neste sentido, está fadada ao fracasso.

Tomamos conhecimento que por iniciativa do poder municipal estão sendo realizadas investidas juntos a órgão de imprensa, com o qual mantemos parceria, para pressionar os mesmos a romperem qualquer vínculo com o jornal Feira Hoje. Uma tentativa mesquinha adotada por um governo, como é do conhecimento geral, que faz da demagogia uma constante para camuflar as suas verdadeiras intenções. Ações indignas como estas não poderão prosperar para o todo e sempre.

Chegará uma hora, em que a máscara cairá e o povo vai perceber que o rei está nu. Providências  judiciais  serão adotadas por nós, visando corrigir   atos indignos e abjetos que  só podem ser perpetrados por  os mais vis dos seres. Também aproveitamos o espaço para advertir aos incautos  que algumas de nossas denúncias feitas contra atitudes e comportamentos suspeitos praticado pelo executivo feirense, já foram encaminhadas ao Ministério Público para que se  proceda os meios necessários  para apuração destes atos nebulosos. E as tornem transparentes e cristalinas diante dos olhos do povo.

*Sérgio Antonio Costa Jones é jornalista (sergiojones@live.com).

Sobre Sérgio Jones 158 Artigos
Sérgio Jones, jornalista formado na Universidade Federal da Bahia (UFBA).