Tucano um ano depois das eleições | Por Igor Nunes

Logomarca do Jornal Grande Bahia.
Logomarca do Jornal Grande Bahia.

O dia 29 de junho de 2008 ficou marcado na história política do município de Tucano, pois neste dia ocorreu a convenção da coligação do atual prefeito da cidade. Naquela ocasião, houve distribuição de camisas com o nome e número do candidato, formação de carreatas com doação de combustível, utilização de meios de comunicação expressamente proibidos para atos intra-partidários (mini-trio e telão), além de outras irregularidades eleitorais sabidamente conhecidas. As coligações concorrentes denunciaram o fato à justiça eleitoral local, e houve impugnação das candidaturas do atual prefeito e do seu vice, sendo constatado abuso do poder econômico. Porém, a coligação do atual prefeito recorreu ao TRE, conseguindo manter as candidaturas. A conseqüência foi uma campanha desproporcional, prejudicando a igualdade entre os três candidatos à prefeitura, não havendo outro resultado tão óbvio se não a reeleição.

Atualmente, a maioria dos habitantes do nosso município está descontente e frustrada com a política que temos hoje. Há uma mistura de cansaço e de indignação, frente à realidade política do nosso município. Todos nós estamos cansados da corrupção, da malandragem, da impunidade e queremos atitudes éticas, pessoas honestas, comprometidas com o bem público. A esperança da maioria é a decisão do TRE que ainda não finalizou o caso…

Neste mês de junho, a população criticou bastante o “São João” de Caldas do Jorro, frente às atrações musicais. Até parece que isso é o mais importante… Na verdade, existem falhas administrativas muito mais graves, vejamos alguns tópicos da administração pública em nosso município:

 •SAÚDE: a política histórica de transferência de pacientes continua imperando no município. Inúmeros pacientes viajam diariamente em busca de atendimentos especializados (ortopedia e traumatologia, neurologia, cardiologia, urologia, oftalmologia, dermatologia, pneumologia, nefrologia, etc.).

•EDUCAÇÃO/CULTURA: apesar do grande número de jovens inteligentes no município inexiste a preocupação por parte do poder público em trazer um Campus de uma Universidade pública para nossa cidade. Não há programas efetivos para o teatro, para o esporte, para a música regional, etc. A juventude corre perigo com as drogas…

•ASSISTÊNCIA SOCIAL/ HABITAÇÃO POPULAR: a administração não implementou uma política séria para com os mais necessitados, até mesmo o financiamento habitacional da Caixa foi desprezado…

•AGRICULTURA/PECUÁRIA/APICULTURA: os agricultores familiares não possuem nenhum incentivo por parte do poder público, inexiste escola agrícola; apesar de várias reuniões, a situação da carne bovina ainda não foi resolvida (construção do matadouro e do açougue municipal). Os apicultores receberam apenas incentivos do governo estadual (casa do mel na sede do município).

•MEIO-AMBIENTE/REFORMA AGRÁRIA: o rio Itapicuru está sendo poluído cada vez mais, a reforma do aterro sanitário ainda não foi realizada, ameaçando nosso lençol freático. Não existe política municipal voltada para a reforma agrária.

•COMÉRCIO/INDÚSTRIA: o comércio vem sendo sustentado graças ao empenho da CDL, a feira regional mais reconhecida vem decaindo a cada dia.  Não se valoriza a micro-indústria do couro (Povoado de Tracupá), da cerâmica (Povoado de Rua Nova), o que poderia gerar mais emprego para os munícipes.

•TURISMO: o potencial do município representado principalmente pela Estância Hidromineral de Caldas do Jorro e pelo Povoado de Jorrinho não é explorado de forma correta. Até o momento não foi realizada nenhuma revitalização das praças/pontos de banhos públicos. A rede hoteleira pede socorro…

•URBANISMO/ESTRADAS DO MUNICÍPIO: o potencial que tucano tem por ser uma cidade “trevo” não é explorado. A “entrada” da cidade é a mesma há vários anos. Nossas praças imploram por projetos de revitalização. Com relação a conservação das estradas vicinais, nada é feito pelo poder público.

•SEGURANÇA PÚBLICA: a Guarda Municipal espera pela sua regulamentação, não há nenhum projeto de capacitação da mesma.

•TRANSPARÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO: a população cobra a presença do prefeito na prefeitura, exige também um novo administrador para caldas do Jorro.  Infelizmente, a maioria dos vereadores não apresenta projetos de lei, alguns dormem na câmara… Eles esquecem a função principal de fiscalizar a atuação do prefeito, para que o mesmo tenha limites, e principalmente transparência para com a população tucanense.

 Portanto, a situação do nosso município não está boa. Quando comparado às cidades vizinhas, o município de tucano tem evoluído a “passos de tartaruga”. Uma análise simples de tal situação pode mostrar a principal causa desta realidade: a incompetência política. O poder público tem sido manipulado por oligarquias partidárias, constituindo um modelo de gestão pública ultrapassado, onde prevalecem os interesses individuais de uma minoria, sobre o interesse público. Não existe participação efetiva da população sobre as decisões do Poder Legislativo nem do Executivo. Os políticos “tradicionais” se preocupam constantemente em criar mecanismos de dominação (“favores políticos”), perpetuando a dependência das classes menos favorecidas.

Como diria Dom Helder Câmara: “Quando sonhamos sozinho, não passa de um sonho. Mas quando sonhamos juntos, é o começo de uma nova realidade”. É preciso ter esperança para viabilizar a construção de um novo município, possibilitando a transformação social, o desenvolvimento sustentável. A função da esperança é justamente a de não nos deixar acomodar e se conformar com a situação em que vivemos. Esta visão de um futuro aberto às possibilidades se aplica à política e à democracia. Nesse aspecto, é indispensável que a juventude se envolva. A essência do jovem é de dinâmica, de transformação. Assim como a juventude pode se unir, em defesa de um estilo musical (por exemplo, em busca do forró para o São João de Caldas do Jorro), ela deve se manter unida, lutando por um sistema político melhor. Para mudar realmente o município é necessário muito mais do que sonhar, devendo-se se utilizar de instrumentos concretos de luta para a transformação social da cidade. É necessário mudar, urgentemente, a realidade do nosso município, construir um novo modelo de gestão pública, que respeite não somente o Principio Constitucional da Supremacia do Interesse Público sobre o Privado, mas também que respeite outros princípios constitucionais, tais como: legalidade, moralidade, eficiência administrativa, publicidade, etc.

Temos que recomeçar a reorganização da sociedade, mas, sob outra perspectiva, fortalecendo os movimentos sociais (principalmente associações, sindicatos), melhorando a participação popular frente à gestão pública. Não podemos nos afastar dos ideais políticos, das mobilizações populares. Precisamos rever os papéis de cada um, exercendo ativamente a cidadania…

*Por Dr. Igor Moreira Nunes é  Médico CRM 18.815 e Advogado OAB 22.401.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108786 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]