Primeiro avião movido a célula de combustível alça voo na Alemanha

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Logomarca do Jornal Grande Bahia.
Logomarca do Jornal Grande Bahia.

A aeronave é capaz de percorrer 750 km em cinco horas e atinge até 170 km/h. Essas são algumas características do Antares DLR-H2, o primeiro avião do mundo a decolar utilizando um motor que não emite gás carbônico.

De forma silenciosa e sem liberar gás carbônico (CO2), o Antares DLR-H2 sobrevoou o aeroporto de Hamburgo por cerca de 10 minutos na terça-feira (07/07). O avião, desenvolvido pelo Centro Aeroespacial Alemão (DLR, do alemão) em cooperação com a empresa Airbus, traz sob as asas uma célula de combustível e um tanque de hidrogênio.

A célula de combustível do Antares DLR-H2 é uma espécie de bateria que libera energia a partir de uma reação química entre hidrogênio e oxigênio. Com isso, o avião dispensa o uso de combustíveis fósseis, como diesel e querosene.

Eficiência

O diretor da DLR, Johann-Dietrich Wörner, ficou satisfeito com o primeiro voo oficial da aeronave. “Melhoramos a produtividade e a eficiência da célula de combustível ao ponto de fazermos decolar um avião tripulado”, comemorou. O entusiasmo de Wörner faz sentido, já que a eficiência da propulsão da aeronave alemã chega a 44%, o dobro do que os motores a diesel ou querosene costumam atingir.

 O Antares tem 20 m de envergadura. Ele pode decolar com até 95 km/h e chega a voar a 170 km/h, mas sua velocidade média é 115 km/h. Em uma viagem de longa distância, espera-se que sejam percorridos 750 km em cinco horas. O primeiro voo em percurso longo está programado para o dia 20 de setembro, saindo do aeroporto de Colônia.

Futuro próximo

A construção da aeronave teve início no começo de 2008. “Na época éramos cinco, depois passamos a ser entre oito e dez pessoas”, conta Josef Kallo, responsável pelo projeto, que além do DLR teve a participação da Airbus, Lange Aviation, Basf Fuel Cells e Serenergy, esta uma empresa da Dinamarca. Os pesquisadores do DLR pretendem continuar cooperando com a Airbus e a Lufthansa para adaptar a tecnologia ao mercado.

Apesar do sucesso do Antares DLR-H2, o diretor do Instituto para Termodinâmica Técnica do DLR, Hans Müller-Steinhagen, é cauteloso: “Este é ainda o início de uma nova tecnologia. Pensar que aviões de grande porte já poderão voar amanhã com células de combustível está distante da realidade.” A princípio, Müller-Steinhagen acredita que as células de combustível possam servir para gerar a energia elétrica usada a bordo de aviões de passageiros.

*Com informação de Deutsche Welle.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123126 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.